[2ª Edição] Os Melhores da Década – A Crónica


Os Melhores da Década, uma iniciativa Fórum Zapping

Os Melhores da Década, uma iniciativa Fórum Zapping

Mais uma semana e uma nova fase começou. ‘Os Melhores da Década’ estão na sua semifinal e contam com o seu voto aqui.

Os comentadores de serviço Margarida, Samuel, Nelson e Leandro preparam-se para comentar os resultados da primeira fase e os nomeados que ainda registem no TOP 10 do melhor que se fez nos últimos dez anos.

Margarida

Antes de mais, quero referir que os meus cinco escolhidos da semana passada estão todos nesta segunda fase! Confesso que só fiquei surpreendida com o vilão “Rodrigo Monteiro Castro”, não pela excelente personagem que foi, mas porque pensei que houvessem outros vilões na fila da frente. Ainda bem que passou, foi merecido. Quanto às minhas outras referências, nenhuma me espantou visto que são programas excelentes.

Não houve assim uma grande surpresa nesta eliminatória, pelo menos para mim. Foi tudo mais ou menos espectável, com a TVI a liderar em muitas categorias. Nada de novo!

Dos meus cinco escolhidos apenas dois estão no ar. A ideia era escolher programas que já não estariam no ar há algum tempo considerável, mas não podia ignorar os dois que passam atualmente na televisão portuguesa. Tenho, também, a avisar que desta vez é tudo TVI.

Casos da Vida: Comecei por escolher Casos da Vida (nomeada para Melhor Série) porque foi de facto uma excelente aposta do canal quatro. Tenho pena que tenha sido posto de lado porque realmente era algo diferente e bastante interessante. Histórias que podiam ser reais contadas com argumento de novela, mas com a duração de um filme. Vi histórias muito boas, umas mais marcantes que outras, com atores fantásticos que a produção fez questão de não repetir de história para história. Espero, pessoalmente, que mantenha o lugar na próxima eliminatória e chegue ao fim.

Nota: 17/20

Caia Quem Caia: O segundo programa que escolhi é o Caia Quem Caia que está na categoria de Entretenimento Light. Confesso que não pensava que pudesse passar para os 10 mais por ter dado tão pouco tempo e por ter acabado de uma semana para a outra porque um ministro não gostou de ser referido no programa. Sim, o que aconteceu ao CQC chama-se censura e, supostamente, devia ter acabado em 1974. Pelos vistos não. O CQC é um programa de enorme sucesso no Brasil exatamente porque toca em temas fraturantes e nem precisa de ser totalmente ligado à política. É uma forma diferente de ver e abordar os assuntos, com alguma piada e muito sarcasmo. Eu gostava imenso e tenho pena que a TVI não o traga de volta.

Nota: 16/20

“Morangos com Açúcar”: não podiam faltar na minha análise. Em nove anos tivemos séries muito boas e outras nem por isso, mas não podemos negar que os Morangos na sua globalidade foram uma excelente aposta. Uma série virada para os jovens com assuntos reais (uns mais que outros) e histórias reais (umas mais que outras). Da série saíram vários excelentes novos atores: Sara Prata, Pedro Caeiro, Benedita Pereira, João Catarré, Sara Matos, Ângelo Rodrigues, Cláudia Vieira, Pedro Teixeira, Rita Pereira (apesar de ter participado em outros projetos, o seu grande lançamento foi nos “Morangos com Açúcar”). Não me surpreendeu o primeiro lugar na votação, acho que foi mais que merecido por tudo o que representou na ficção portuguesa. Tenha-se gostado ou não, foi um excelente contributo para televisão em Portugal.

Nota: 18/20

“Secret Story”: Se na semana passada falei do “Big Brother”, esta semana não podia deixar passar o “Secret Story”. Se o primeiro revolucionou e marcou uma reviravolta na televisão portuguesa, o “Secret Story” também deu a sua ajuda nesse campo. É um reality show como os outros, no entanto acho que requer mais jogo de cintura e mais… Jogo propriamente dito. Com elencos e polémicas melhores ou piores, a verdade é que, atualmente é um dos programas mais falados na imprensa e nas redes sociais.

Nota: 17/20

“Somos Portugal”: Finalmente vou falar do tão gozado “Somos Portugal”. A verdade é que, mesmo que não gostemos da maioria da música que por lá passa, acabamos sempre por ver e ouvir uma ou outra. Não esperava que ficasse tão bem classificado, mas também é verdade que foi o pioneiro no que respeita aos programas do género. Pessoalmente preferia trocá-lo com algum outro programa que não tenha passado.

Nota: 12/20

Samuel

E chegámos aos 10 melhores! Apesar de já estarmos a caminho da semifinal, há resultados surpreendentes no TOP10 de cada categoria, a começar pelos informativos, que me deixaram espantado. No entanto, houve também categorias cujos resultados eram um tanto ou quanto óbvios, talvez porque a qualidade, geralmente, é reconhecida pela maioria.

Creio que a luta vai ficar intensa, até porque há menos produtos a votação e produtos mais reconhecidos. Ainda assim, acho que não haverá grandes surpresas na revelação dos 5 melhores.

Esta semana decidi escolher cinco elementos da votação de que gosto bastante.

“Momentos de Mudança”: É um dos melhores programas já feitos a nível da informação. Custa-me vê-lo no décimo lugar de uma tabela que contém informativos vulgaríssimos comparativamente a este. Porventura não marcou tanto quanto os outros, mas merecia mais. Por tudo isso e muito mais, dou-lhe 18 pontos.

Nota: 18/20

“O Elo Mais Fraco”: Dou 17 pontos essencialmente devido à Luísa Castel-Branco e à forma como apresentava o programa e o tornava tão interessante. Para além de me ter marcado, é o tipo de programa que aprecio. Tenho pena que a recente aposta nele não tenha corrido tão bem assim.

Nota: 17/20

“Vale Tudo”: É um programa que me marcou bastante e é por isso mesmo que anseio pelo seu regresso. É inovador, tem um grau de comédia que não é exagerado como outros programas e teve um elenco de luxo! Espero que fique no TOP5, pois bem o merece.

Nota: 19/20

“Espírito Indomável”: Diana Bastos – “Grita, Sente”: Lembro-me de ouvir a canção todas as noites, de cantá-la sozinho… Enfim, é uma canção muitíssimo bem interpretada pela Diana. Ficou numa boa posição nos 10 melhores e espero que assim continue. Totalmente merecido!

Nota: 18/20

“Você na TV”: Para mim o melhor talk show português da atualidade! É um prazer vê-lo diariamente, aturando a melhor dupla de apresentadores e os melhores convidados. O programa merece sem dúvida alguma a vitória na categoria e daí os meus vinte pontos, que premiam tanto o programa em si como Manuel Luís Goucha e Cristina Ferreira.

Nota: 20/20

Nelson

Os dez melhores de cada categoria já estão escolhidos. Quais serão os programas eleitos como os melhores da década? Contamos com a sua participação, porque n’Os Melhores da Década o seu voto é que conta!

Esta semana irei falar de cinco nomeados que se encontram no top 10 de cada categoria.

“Ninguém Como Tu”: Não podemos falar em ficção nacional sem não nos lembrarmos de “Ninguém Como Tu”. A novela protagonizada por Alexandra Lencastre marcou uma viragem na ficção nacional. O sucesso foi estrondoso e ninguém ficou indiferente à pergunta “Quem matou o António?”. Para mim, esta é a melhor novela portuguesa de sempre.

Nota: 20/20

“Gato Fedorento – Esmiúça os Sufrágios”: Simplesmente genial! Foi uma ideia de mestre juntar humor com política numa altura de campanhas eleitorais. Foi o auge dos Gato e tenho pena que após este grande sucesso, nunca mais tenham voltado com um formato televisivo. O humor de Ricardo Araújo Pereira e companhia faz falta ao pequeno ecrã.

Nota: 19/20

“A Outra”: Adelaide Ferreira – “Papel Principal”: Uma das poucas novelas da TVI em que a letra do genérico tem alguma coisa a ver com a história da novela. Uma música forte aliada as boas imagens merece destaque como uma das melhores músicas de genérico da década.

Nota: 17/20

“Nós Por Cá”: foi sem dúvida um grande programa de serviço público e um dos melhores trabalhos de Conceição Lino. No entanto, penso que o programa era apenas necessário semanalmente e portanto não concordei com a medida de terem tornado este programa diário. Com a saída de Conceição Lino do entretenimento, ‘Nós por Cá’ podia marcar o regresso da atual apresentadora à informação, num formato semanal ou como rubrica integrante do Jornal da Noite.

Nota: 14/20

“Somos Portugal”: Fiquei espantado com a presença deste programa no top 10. Como já referi em relação ao “Portugal em Festa”, não vou criticar a dita pimbalhada mas sim o vazio de conteúdos do programa que se limita semanalmente a fazer referência ao passatempo de casa durante 80% do tempo, intercalando com atuações cantores da música popular portuguesa. Talvez se investissem mais na interação com o público e na promoção das diferentes cidades, o programa se tornasse mais interessante de assistir.

Nota: 8/20

Leandro

Chegámos ao fim da primeira votação d’Os Melhores da Década. Algumas categorias surpreenderam-me, mas a maioria acabou por ter um desfecho mais ou menos previsível. Vamos ver se esta próxima votação dará um maior azo a surpresas. Vou agora avaliar alguns dos programas que estarão presentes nesta fase:

“Caia Quem Caia”: Era um grande fã deste programa. Adorava tudo, desde as mais simples reportagens, às diversas rubricas e, principalmente, as lições de Inglês com o Mr. Jones. Não sei explicar exatamente o que mais me cativava mais no programa, talvez fosse o facto de ser um programa irreverente, onde nada ficava por dizer, fosse a quem fosse. Quando terminou a primeira edição, ficou prometida uma nova temporada que nunca chegou a acontecer. Acredito que pode fazer uma gracinha na próxima votação.

Nota: 19/20

“Casos da Vida”: Gosto deste estilo de entretenimento. No fundo, cada episódio era uma espécie de telefilme, que tinha a sua própria história, baseada em outras histórias verídicas. O meu episódio favorito foi o ‘Último Recurso’, onde a história me cativou do princípio ao fim, embora tenham havido episódios que não me atraíram minimamente. No geral, gostei deste programa, foi uma alternativa às novelas, onde tudo se passava em apenas uma hora e meia. Acredito que vai estar na próxima fase.

Nota: 13/20

“Dancin’ Days”: É inegável que esta novela foi um fenómeno de audiências e que, devido a isso, a SIC fortaleceu o seu horário nobre. No entanto, a minha opinião não é assim tão positiva. Gostei da fase inicial, mas sentia falta de uma figura assumidamente vilã. Mais tarde, a ‘Teresa’ mostrou os seus dotes maléficos e a novela esteve excelente nessa altura. A partir daí foi ficando cada vez mais enrolada com a loucura da ‘Inês’ e perdeu a sua identidade, embora raramente tenha tido falta de ação. Se analisarmos o primeiro e o último episódio, parecem produtos diferentes. Não acredito muito que esteja presente na próxima fase.

Nota: 12/20

“Vale Tudo”: Este programa foi uma autêntica lufada de ar fresco. Diferenciava-se de todos os outros, na medida em que aqui não havia um prémio final e o único objetivo dos participantes era rir e fazer rir. Os desafios eram excelentes, principalmente o ‘Cenário Inclinado’ e o ‘Voz-Off’, e os concorrentes residentes eram fantásticos. Assim que terminava o programa, desejava que o próximo Domingo chegasse rápido e tentava adivinhar quem seriam os próximos convidados. Talvez tenha uma palavrinha a dizer nesta semifinal.

Nota: 20/20

“5 Para a Meia Noite”: Um pouco à semelhança do “Caia Quem Caia”, também acho este programa irreverente e diferente das típicas entrevistas formalmente corretas. Ultimamente já não tenho assistido com tanta frequência, até porque acho que faz falta uma figura feminina como a Filomena Cautela na lista de apresentadores. De qualquer forma, continua a ser um programa bom de se assistir. Provavelmente estará na lista dos 5 melhores, acho que acaba por ser merecido.

Nota: 13/20

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close