"

A Banqueira do Povo no “Perdidos e Achados”


SIC

Maria Branca dos Santos, mais conhecida por Dona Branca, manteve um esquema bancário clandestino durante décadas. A quem lhe confiasse as poupanças garantia juros de 10 por cento ao mês, 120 por cento ao ano. O negócio rolou sem percalços até aos anos 80.

O escândalo estalou, em 1983, quando o jornal O Tal e Qual revelou ao país e ao mundo quem era e o que fazia a banqueira. Em pouco tempo as autoridades começaram a investigar, os depositantes a perder confiança e o esquema bancário não tardou a ruir.

A ”Banqueira do Povo”, foi assim que ficou para a história, foi condenada em 1990 a 10 anos de prisão pelos crimes de burla agravada, emissão de cheques falsos e associação de malfeitores. A justiça acabou por condoer-se com a idade avançada e o estado de saúde e reduziu-lhe a pena. 2 anos depois saiu em liberdade mas acabou doente, sozinha, na miséria e morreu num lar em 1992, tinha 90 anos.

As autoridades nunca conseguiram saber ao certo o número de pessoas que perderam dinheiro na Dona Branca e também nunca se chegou a saber quantos ficaram ricos à conta da ”Banqueira do Povo” – Esse foi também o título da novela baseada na vida da banqueira cuja história permanece para além do tempo…

A não perder a reportagem no próximo “Perdidos e Achados”, no “Jornal da Noite” de sábado.

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close