Ana Sofia Martins fala de Vera, a vilã de “Ouro Verde”


Ouro Verde

Ouro Verde

Ana Sofia Martins ainda está no ar como Mara de “A Única Mulher”, mas já grava a todo o vapor a sucessora, “Ouro Verde”.

Na nova novela da TVI a atriz vai dar vida a uma personagem diferente. Na trama de Maria João Costa a artista é Vera Andrade, uma chef de cozinha de reputação internacional.

A jovem é ainda ex-noiva de Jorge (Diogo Morgado), protagonista da história, de quem se separou com grande desgosto há cerca de sete anos, mas nunca o esqueceu.

Com um visual diferente do de Mara, a atriz quis libertar-se do estigma de “A Única Mulher”: «Este é o visual da Vera. Até gosto da franja e do cabelo liso. Não foi fácil, experimentámos um bocadinho de tudo e chegámos à conclusão que a Vera tinha de ser muito diferente da Mara. Fui à TVI e sete pessoas que me conhecem bem passaram por mim e não me conheceram. E bom sinal».

As gravações de “Ouro Verde” já arrancaram, e a personagem de Ana Sofia já entrou em cena. «Já comecei a gravar, mas ainda estou à procura da Vera. Comecei pelo cabelo, pela voz, para depois começar a trabalhar o resto. E muito diferente da Mara. Ela é uma chef de cozinha, superdecidida, não diria que ela é má, mas sim uma mulher que vai ajustar contas com a vida em geral», revela.

Enquanto a protagonista de “A Única Mulher” tinha parecenças com a atriz, a Vera de “Ouro Verde”, não: «A Mara era mais próxima de mim, esta não, é completamente distante de mim, e por isso é que foi ótimo ir fazer o curso para perceber que nem tudo vem de mim. Na primeira personagem, tudo o que vinha da Mara vinha das minhas gavetas emocionais, aqui nada vem porque sou muito bem resolvida, felizmente, mas vem das gavetas emocionais de outras pessoas e elas sabem. A minha personagem finge que está bem resolvida com a vida, mas quando lhe tocam no calcanhar de Aquiles desmorona tudo», confessou.

Com uma personagem do mal, Ana Sofia Martins ainda está a apalpar terreno: «Está a dar-me pica por isso, ainda ando um bocadinho à procura da personagem, mas quando a encontrar vão ter medo dela».

Dedicada à representação, a também modelo confessa ainda que a moda está agora em segundo plano: «São escolhas. Quando estive em Nova Iorque, a minha agência arranjou-me um trabalho magnífico, pago a peso de ouro, e tive de dizer que não porque o curso de representação começava às nove da manhã», revelou.

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close