“Big Brother VIP” – Crónica VIP [Estreia]


"Big Brother VIP"

O espaço de opinião sobre o “Big Brother VIP”

O “Big Brother VIP” estreou este domingo, 10 anos depois da última edição ter ido para o ar e, como já era de esperar, foi um sucesso absoluto em termos audiométricos, não dando quaisquer hipóteses à concorrência. Sandra Rodrigues e Margarida Costa têm opiniões bem vincadas e, em muitos casos, coincidentes.

A Gala poderia ter tido mais surpresas uma vez que foi apenas um desfilar de concorrentes. Concorrentes esses que, também eles, não eram surpresa nenhuma. Mérito das revistas ou demérito da Endemol, o certo é que todos aqueles nomes vieram nas capas de revista e, claro, isso retira o brilho à gala porque não existe nenhuma novidade. Talvez a única tenha sido a entrada da Kelly em vez da Laísa Portela que esteve durante muitos dias dada como confirmada.

Tive pena porque julgo que a Laísa seria ainda mais espevitada que a Kelly e já estava conformada com a sua presença. Uma das coisas que gostei foi não terem existido os famosos intervalos da TVI, ver a gala quase toda seguida é fantástico. Gostei também de terem sido o Flávio e a Carolina a escolher o destino dos seus colegas. Era, sem dúvida, a melhor dupla.

Quanto a decorações: a casa principal está muito semelhante à do “Secret Story” e acho que são poucos os concorrentes para um espaço tão grande. Andam muito dispersos e isso retira muito ao programa, mais 2 ou 3 concorrentes lá só trariam vantagens. O barracão, a parte que despertava maior curiosidade, podia ter sido melhor trabalhado. Nas primeiras imagens, dada a desarrumação, parecia um lugar sujo e quase inabitável mas depois de uma arrumação, ficou a parecer uma casa modesta mas simpática, até.

Por fim, os grupos que sem intenção por parte da dupla de concorrentes, foram muito bem escolhidos. O do barracão é, de longe, o meu favorito e fico feliz por a Carolina e o Flávio lá terem ficado. Os da casa rica não me chamam muito à atenção porque é no barracão que está a animação! Naquela parte pobre reina a alegria e, dado o espaço ser mais pequeno e as mordomias quase nulas, têm de estar sempre juntos ou no quintal ou na cozinha e é óbvio que tem de existir uma mais entreajuda. Só trocava a Nucha pela Kelly pois acho que ela neste grupo se integrava muito melhor: mais gente nova e pessoas mais divertidas e menos sérias.

Avaliação dos concorrentes:

  • Zezé Camarinha: 1/5 – O objetivo era ter o famoso macho latino a seduzir as raparigas todas da casa. Mas, para azar nosso e da produção, esse conquistador deu lugar a um Zézé Camarinha pudico que aproveita todos os momentos para se queixar que a Kelly se atira a ele. Se não vai andar próximo das meninas, não faz lá nada.
  • Joka: 1/5 – Um desconhecido que também não acho que vá dar alguma coisa ao programa. A maioria das pessoas nem se lembra dele, o que ainda o prejudica mais. Ontem vi-o a apanhar banhos de sol e pouco mais.
  • Nucha: 1/5 – É das concorrentes que me desperta menos interesse. Passou por um mau bocado na vida, é mais velha e pode ser a “mãe” da casa mas não me interessa mesmo nada.
  • Carla Baía: 2/5 – Outra “mãe” da casa. Não ia muito com a cara dela mas ontem surpreendeu-me um pouco. Até agora até estou a gostar. Vamos ver no que vai dar mas espero que arrebite.
  • Hugo Sequeira: 2/5 – Quer provar que não é maluco e que apenas teve uma fase menos boa na vida e é por isso que lá está. Interessa-lhe mais o jogo a ele do que ele ao jogo. Não me parece que vá dar nada ao programa e penso que vai passar pela sombra.
  • Pedro Guedes: 2/5 – Nunca gostei nem dele nem do seu irmão. Querem ter piada à força toda e acabam por não ter é nenhuma. Parece estar mais “calmo” nesse sentido mas ainda é pouco o tempo para se poder concluir isso.
  • Raquel Henriques: 2/5 – Desaparecida da televisão há muito tempo, regressou. Não me parece ser uma pessoa muito divertida, animada e que ande na amena cavaqueira com os colegas mas é responsável e colabora nas tarefas domésticas. Não é das minhas favoritas mas vamos ver no que vai dar.
  • Sara Santos: 2/5 – Não a conheço bem mas até agora parece divertida e descontraída. Passa um pouco despercebida e é bom que faça algo para mudar isso.
  • Edmundo Vieira: 2/5 – Era dos meus favoritos na altura dos D’ZRT mas agora não lhe acho assim tanta piada. Já muito foi dito sobre a sua timidez mas espero que isso faça parte do passado e que agora, numa versão 24 horas por dia, se mostre e revele a pessoa que é. Timidez e reality shows não combinam.
  • Francisco Macau3/5 – Com aquele corpo todo trabalhado tive medo que não fosse um concorrente do qual gostasse mas achei positivo o que vi hoje. Vi-o a brincadeira, a participar num desafio, a interagir bem com os colegas. Estou a gostar!
  • José Calado: 3/5 – Não o conhecia e até agora pouco vi dele. Gostei da cara dele ao entrar no barracão e parece-me bem-disposto e divertido. Não sei se é uma pessoa tímida mas, pelo menos, é a impressão que tenho agora. Contudo, penso que mostrando-se mais, será positivo porque parece-me um bom concorrente e, instintivamente, gosto dele.
  • Kelly Baron: 4/5 – Não sou muito fã de estrangeirismos mas percebo a ideia da produção. É do conhecimento geral que as brasileiras são muito mais desinibidas, basta ver os acontecimentos ocorridos nas diversas edições do “Big Brother Brasil”, e visto que isto até é de Verão… Biquínis reduzidos para ela! No que toca a homens, ela não foge deles e se ficar algumas semanas, o ambiente na Venda do Pinheiro é capaz de aquecer.
  • Liliana Queiroz: 4/5 – Surpreendeu-me imenso a sua maneira de ser. Ontem pareceu ser uma “cabeça no ar” que contrasta com a postura de manequim de nariz empinado que eu achava que ela tinha, dada a fama que as revistas masculinas lhe trouxeram. Animada e descontraída, pode ir mais longe do que se tivesse a postura de “mulher fatal”.
  • Marta Melro: 4/5 – Descontraída, sem manias e também muito divertida. Não ficou minimamente incomodada por ir para o barracão e deu logo outro ar ao local sujo e desarrumado que ficámos a conhecer no início da gala.
  • Carolina Salgado: 5/5 – Fiquei contente quando as revistas começaram a associar o nome dela ao programa porque achei o mesmo que a produção: “ela vai dar polémica”. Devido ao seu passado, também não tinha a melhor impressão e agora é das minhas favoritas! Ontem estava um bocado nervosa e pouco à vontade, talvez por não estar habituada ao mundo da televisão, mas no confessionário com o seu recente amigo Flávio lá se soltou. Agora, estou a gostar da postura dela, parece ser recatada, tem um lado maternal e parece ser boa pessoa, o que me surpreendeu muito. Sempre a ajudar nas tarefas, a tratar das galinhas, a cozinhar… Estou a gostar. Muito!
  • Flávio: 5/5 – Inicialmente não achei que fosse ser nada de especial devido à opinião que tinha dele enquanto comentador. Contudo, está a ser uma excelente surpresa! É descontraído, divertido e não se mete à sombra da bananeira: faz as tarefas e ajuda a sua equipa.

Por Sandra Rodrigues

Confesso que já tinha saudades de um reality show com famoso, mesmo que esses famoso não o sejam completamente. Enfim, dá para encher o olho e passar o tempo. À medida que o elenco foi saindo nas revistas fui ficando desiludida. Queria mais e melhor. Mas destaco o facto de não haver ninguém ligado ao “Secret Stroy”, sejam concorrentes ou familiares. Conseguiram separar as águas e fazer um “Big Brother VIP” de raiz, com as alterações que são necessárias para prender, depois de um concurso mais complexo como o “Secret Story”.

Confesso que pensei que o estúdio seria adaptado do “Secret Story”, ainda bem que não foi. Gostei da simplicidade e a porta no topo das escadas dá uma sensação de proximidade à casa. Podia ser mais elaborado, podia, mas para quê? Eu acho muito bom assim.

Contudo, e continuando com as comparações, achei a primeira gala do “Big Brother VIP” mais parada que as galas do “Secret Story”. Tinha tudo para ser uma gala mais interessante e com mais movimento. Acho que o que estragou o interesse foi o facto de já se saber o elenco todo. Não houve surpresas.

As perguntas que a Teresa Guilherme preparou podiam ter fugido ao previsível: com a Carolina foi só Pinto da Costa; Carla Baía foi só João Pinto; Hugo Sequeira foi só a queda e a depressão. A apresentadora esteve igual a ela própria: nada de novo. Não sou do grupo que não a suporta, mas a verdade é que já teve melhores dias. Está saturada.

Não gostei muito das VTs de apresentação. Demasiado simples para aquilo a que estávamos habituados. Esperava muito melhor e mais original. O facto de ser o Flávio e a Carolina a dividir o grupo pareceu-me interessante e acho que, apesar de não ter sido essa a intenção, se esmeraram bastante no grupo do barracão.

E por falar em barracão… A decoração da casa principal é excelente. Adorei a sala e a cozinha porque estão bastante familiares, parecem uma casa normal. Contudo não posso dizer o mesmo do quarto: está frio e não muito acolhedor, mas compreendo que seja difícil fazer de um quarto com quatro camas de casal, um sítio acolhedor.

O barracão é do melhor que há. Claro que a primeira imagem que a produção quis dar foi de um lugar sujo e pobre, mas com a arrumação ficou um sítio bastante bom, para aqui que se esperava.

Avaliação dos concorrentes:

  • Carla Baía: 1/5 – parece-me que adora ser falada. Não tenho nada contra, mas também não tenho exatamente nada a favor. Para mim não acrescenta interesse ao programa.
  • Zezé Camarinha: 1/5 – a fama de machão do Algarve vale-lhe o interesse no programa. Para mim nem isso lhe vale. É mais um para encher.
  • Joka: 1/5 – já ninguém se lembra dele e muitos nem sabem quem é. Foi para encher vaga, só pode. Acho que teve a sorte de ter piada na apresentação, no estúdio, mas tirando isso… Pouco interesse no programa. Não o acho interessante, por agora, para o jogo.
  • Hugo Sequeira: 2/5 – percebo que ele queira voltar às novelas e mostrar que está bem, mas acho que é das pessoas que só se começa a revelar para o fim e que tem de ser bem puxado. Só não sei se aguenta até lá.
  • Pedro Guedes: 2/5 – é convencido e já teve a sua piada. Deve estar perto do fim da carreira de modelo e, por isso, quis marcar a sua presença. Não é uma pessoa que me chame o interesse.
  • Nucha: 2/5 – pode ter a vantagem de ser a mulher mais velha, mas interesse para o jogo não lhe vejo muito.
  • Raquel Henriques: 3/5 – está lá por ser uma mulher bonita e atraente. Não tem grande história e está lá porque, pelos vistos, o Edmundo anda atrás dela.
  • Francisco Macau 3/5 – não tenho grandes referências dele. Durante o dia de Segunda-feira esteve bastante activo e mostrou não ser o canastrão que parece. Dou-lhe 3 porque espero que evolua.
  • Sara Santos: 3/5 – até acredito que ela seja super divertida e simpática, mas tenho de ver para crer. Até lá fica o benefício da dúvida.
  • Edmundo Vieira: 3/5 – gosto dele desde a OT. Gostei nos D’ZRT. Aceitou ir para promover o novo trabalho. Foi convidado por causa da Raquel Henriques. Poderá ter interesse q.b., se tirar, de vez, aquela capa de tímido (que não deve ser)!
  • José Calado: 3/5 – gosto dele dos tempos do Benfica. Entrou no programa para limpar a imagem que tem desde a polémica que o envolveu a ele ao Melão, mas não sei se poderá dar assim tanto ao jogo.
  • Kelly Baron: 3/5 – não percebo a necessidade de se ir buscar pessoas de fora para o programa. A Kelly nem é assim tºao conhecida no Brasil. Está no programa, sem dúvida, pela ideia generalizada que temos das brasileiras: loucas e atrevidas (não quer dizer que sejam todas assim). Ela está cá pela esperança que se envolva com alguém.
  • Liliana Queiroz: 4/5 – convenhamos que a Liliana já não é o que foi. Entrou exatamente pela fama que a Playboy lhe deu. Durante o dia de Segunda revelou-se divertida e muito semelhante à Cátia (“Secret Story 2”), o que lhe poderá valer muito lá dentro.
  • Carolina Salgado: 4/5 – Carolina Salgado é sinónimo de polémica, nada mais adequado para o programa. Eu, pessoalmente, gosto dela. Clubismos à parte, acho que vai surpreender pela positiva.
  • Flávio Furtado: 5/5 – vai ser a cara do programa, não tenho dúvidas disso. Não gosto dele como comentador da vida dos outros, mas já me arrancou muitas gargalhadas. Estou bastante surpreendida com ele. Não é um Castelo Branco, mas poderá ir muito longe no jogo. Eu espero que sim, já me divertiu imenso, mais do que eu esperava.
  • Marta Melro: 5/5 – eu simplesmente a adoro e tenho receio que esta entrada a prejudique mais do que ajude, mas espero que não. Aliás, neste primeiro dia ela tem-se mostrado super querida, simpática, trabalhadora. Mas claro, isso, só por si, não é suficiente para ganhar e ainda a procissão vai do adro.

Por Margarida Costa

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close