Canal História estreia “Arqueólogo Por Um Dia”

Tagged: , ,


O Canal de História prepara-se para estrear, em exclusivo para Portugal, a série “Arqueólogo Por Um Dia”. A produção vai ser exibida aos domingos.

Mais de 3500 km percorridos por uma equipa de oito pessoas em dois carros. Peças e vestígios arqueológicos encontrados desde há 950000 anos até ao século XII.

O que iria acontecer se colocássemos um famoso a escavar numa jazida arqueológica? Encontraria algum vestígio? Iria partir algum vestígio com milhares de anos? Seria capaz de aguentar o trabalho árduo? Faria história?

Todas estas perguntas têm resposta no programa de produção própria “Arqueólogo por um Dia”, a estrear em exclusivo no Canal História, a partir do dia 27 de outubro, pelas 23h35.

Foram mais de 3500 quilómetros percorridos por uma equipa de oito pessoas em dois carros carregados até ao tejadilho com material. Em cada programa, deslocamo-nos com um famoso a uma das jazidas arqueológicas mais importantes da geografia espanhola – La Draga (Girona), Anfiteatro de Córdoba (Córdoba), Atapuerca (Burgos), Castelo de Gauzón (Astúrias), Lancia (Léon) e Puig Ciutat (Barcelona).

Com o apresentador Eloi Vila e com a ajuda de toda a equipa de arqueólogos, responsáveis pelas jazidas, pudemos escavar durante um dia inteiro com o objetivo de aprender o ofício de arqueólogo, descobrir os segredos das jazidas e conseguir algum achado espetacular.

Em todas as jazidas arqueológicas, o famoso acabou por descobrir muito mais material do que se pensava e do que tinham previsto os arqueólogos. Foram encontradas peças e vestígios arqueológicos que vão desde há 950.000 anos atrás até ao século XII.

A série faz os famosos viver a história na primeira pessoa e tocar vestígios e objetos que há milhares de anos estão debaixo da terra. Eles aprenderam a utilizar ferramentas tão distintas como um pincel, um martelo pneumático ou um georadar. Trabalharam arduamente sob os raios do sol com temperaturas de até 47 gaus ou afundando-se no barro para recuperar um pilar com mais de 7000 anos.

As estrelas foram ainda transportadas para a realidade da vida quotidiana dos períodos que estão a escavar. Aprenderam a fazer fogo como se fazia há 300.000 anos e cozinhar com técnicas pré-históricas e a fabricar e usar ferramentas do neolítico. Conheceram como era a vida de um gladiador. Dispararam uma catapulta escorpião como se fossem legionários de Júlio César ou uma besta medieval. Aprenderam a ser artesãos de uma cidade romana e a forjar uma espada como se fazia nos castelos do século X.

Dias intensos. Muito trabalho e esforço. Calor e condições extremas, mas também diversão, história e conhecimento. Isto é “Arqueólogo por um Dia”.

Carolina Godayol, Diretora Geral do The History Channel Iberia, afirma que «Com este novo projeto de produção própria queremos reconhecer o trabalho diário dos arqueólogos, grandes profissionais que partilham a paixão pela História. De forma divertida e surpreendente, o nosso canal mostrará parte de uma grande riqueza patrimonial de Espanha demonstrando uma vez mais que a História está viva e é acessível a todos».

 

SINOPSES:

FLIPY EM LA DRAGA

O comediante Enrique Pérez Vergara, Flipy, torna-se arqueólogo por um dia em La Draga (Banyoles, Catalunha), um assentamento neolítico e único. Em conjunto com Eloi e com a equipa de arqueólogos, irá descobrir uma jazida neolítica de mais de 7000 anos que esteve perfeitamente conservada devido ao facto de estar parcialmente submersa no lago de Banyoles.

Flipy vai descobrir os segredos da arqueologia, escavar para encontrar vestígios com mais de 70 séculos, aprender a construir e usar ferramentas neolíticas e afundar-se num charco cheio de barro e caranguejos para tentar retirar os pilares de uma cabana neolítica.

Domingo, 27 de outubro, 23h35

MACARENA GÓMEZ NO ANFITEATRO DE CÓRDOVA

A jovem atriz Macarena Gómez visita a sua cidade natal, Córdoba (na Andaluzia), uma cidade que foi sendo construída por múltiplas e anteriores civilizações e que esconde, sob a atual reitoria da universidade, o terceiro maior anfiteatro romano do império.

Enquanto arqueóloga por um dia e sob um sol impiedoso e temperaturas de até 47 graus, Macarena, Eloy e a equipa de arqueólogos vão escavar o que foi o terceiro maior anfiteatro do império e trazer à superfície tesouros e segredos dos gladiadores romanos, autênticas “estrelas” da época.

Domingo, 3 de novembro, às 23h35

ÍÑIGO URRECHU EM ATAPUERCA

O cozinheiro Íñigo Urrechu surge como mais um arqueólogo em Atapuerca (Burgos, Castilla y León). Uma das jazidas pré-históricas mais importantes do mundo, que nos permitem percorrer quase 1 milhão de anos da nossa evolução. Com a ajuda de Eloi e sob a orientação de Eudald Carbonell e a sua equipa, Íñigo vai escavar ao lado de onde foi descoberto o hominídeo mais antigo da Europa (800.000 anos), num espaço extraordinariamente rico em fósseis.

Na jazida da Gran Dolina, Urrechu vai procurar vestígios de animais e hominídeos e vamos vê-lo trabalhar com ferramentas tão distintas como um pincel ou um martelo pneumático, aprender a fazer fogo como se fazia há 300.000 anos e, como bom cozinheiro, deverá enfrentar o desafio de cortar e cozinhar uma vitela com os utensílios de um Neanderthal.

Domingo, 10 de novembro, 23h35

CRISTINA BRONDO EM LANCIA

A atriz Cristina Brondo torna-se arqueóloga por um dia para descobrir a história de Lancia (León, Castilla y León), que foi a cidade mais importante dos ástures e conquistada pelas tropas romanas em 25 a.C. Esta jazida, que começou a ser escavada no século XIX, conserva vestígios das duas civilizações e exemplos da arquitetura e do urbanismo romano.

Com a ajuda dos arqueólogos e de Eloi, Cristina vai escavar em locais tão singulares e distintos como um aterro asturiano ou habitações da cidade romana. Vamos ver edifícios públicos como as Termas, o Mercado ou o Fórum, e vamos tentar conhece como era a vida na República e numa cidade como Lancia.

Além de escavar e suportar o calor, Cristina irá por à prova os seus dotes como artesã ceramista e será testemunha direta da recriação de um confronto entre guerreiros ástures e legionários romanos.

Domingo, 17 de novembro, 23h35

JUAN RAMÓN LUCAS NO CASTELO DE GAUZÓN

O jornalista e apresentador asturiano Juan Ramón Lucas encontra-se cara a cara com os seus antepassados no Castelo de Gauzón (Avilés, Astúrias). Cenário mítico e onde foi criada a Cruz da Vitória, símbolo das Astúrias, que se acreditava que era feita com a cruz de madeira que Pelágio usou na Batalha de Covadonga. A arqueologia está a permitir esclarecer alguns destes mitos mas, por seu lado está a reescrever a história da dinastia dos reis asturianos.

Juan Ramón, com Eloi e os arqueólogos, torna-se em arqueólogo por um dia, para ajudar a descobrir os segredos que esconde o castelo e aprender como era a vida medieval na ria de Avilés. Vamos vê-lo trabalhar e escavar mas também enfrentar as chamas de uma forja para fazer uma espada de cavaleiro ou afinar a pontaria disparando uma besta medieval.

Domingo, 24 de novembro, 23h35

MARÍA VASCO EM PUIG CIUTAT

A atleta e medalhista olímpica e mundial, María Vasco, exerce a profissão de arqueóloga por um dia na jazida arqueológica de Puig Ciutat (Oristà, Catalunha). Puig Ciutat foi uma fortaleza da república de Roma destruída em plena guerra civil romana pelas tropas imperiais de Júlio Cesar. Armamento, edificações defensivas e vestígios da destruição e devastação da batalha encontram-se ocultos sob a terra deste jazigo.

Em conjunto com Eloi e a equipa de arqueólogos, María vai escavar, mas também vamos por à prova a tecnologia como detetores e georadores para descobrir o que se esconde debaixo da terra.

Vamos procurar provas do assédio e da batalha, mas também vamos testar o poder de destruição de uma das maiores armas da engenharia militar romana: a catapulta escorpião.

Domingo 1 de dezembro, 23h35