Canal História estreia em exclusivo a série “Big History”‏


Depois de “A Humanidade”, “Big History” é a próxima grande produção do Canal História, com estreia no canal a partir do dia 25 de novembro, pelas 22h50.

Esta série de 16 episódios e um especial de duas horas, será exibida em 150 países e vai derrubar as divisões entre a ciência e a história para revelar um percurso unificado do universo e como tudo está relacionado.

Bryan Cranston o protagonista de Breaking Bad representou o papel de professor de química mais amado (ou insultado) na televisão. Agora, torna-se professor de história, sendo o narrador desta série.

«A melhor forma de entender Big History é pensar como aprendemos História na escola. Podemos chamar-lhe “história tradicional”. Olhamos para a história tradicional como uma linha temporal com um ponto de partida no início das primeiras civilizações humanas em locais como a Mesopotâmia e Egito. Seguindo essa linha temporal, a história tradicional ensina-nos sobre factos significativos que aconteceram no mundo entre essa época e a atualidade – impérios, religiões, conquistas, revoluções, indústrias, democracia – até chegarmos a 2013», revela Paul Cabana, vice-presidente sénior e diretor de programação, e Kristen Burns, produtora executiva

A história humana tem sido fantástica, mas o facto verdadeiramente notável é que todos estes acontecimentos importantes, desde os hieróglifos até ao iPad, basicamente aconteceram nos últimos 5500 anos. “Big History” pede-nos para pensar numa escala maior. A nossa casa, o planeta Terra, é quase 1 milhões de vezes mais velho que isso, cerca de 4600milhões mais velho. E o próprio universo é quase três vezes mais velho – 13.000 milhões de anos. Quando se pensa a essa escala repara-se que limitámos o nosso conhecimento da história ao defini-la tão limitadamente. Em vez de deixar a cargo da ciência a explicação de milhares de milhões de anos, Big History em 10horas, junta tudo o que alguma vez aconteceu numa história completa que vai mudar a forma como olhamos para a história e como tudo aconteceu. Big History revela ligações épicas e surpreendentes entre o espaço e tempo e mostra como as coisas mesmo numa pequena escala podem ter um grande impacto.

«”Big History” é mais uma das nossas ambiciosas e surpreendentes produções que revela uma rede quase infinita de ligações entre momentos icónicos na história e eventos épicos, por isso o segredo foi contar uma grande história em apenas 10horas, sem aprofundar muito um só tema. Esta série vai levantar questões com que a humanidade se tem debatido desde que existe no planeta. Não podemos afirmar que temos todas as respostas, mas o final oferece uma teoria que vai alterar a forma como olhamos o mundo à nossa volta e mudar a nossa perspetiva sobre os acontecimentos históricos que pensávamos conhecer», revela Carolina Godayol, diretora geral do The History Channel Ibéria.

Sabia que o legado do Titanic nos acompanha diariamente no nosso bolso? Sempre que fazemos uma chamada telefónica de um telemóvel, estamos a utilizar ondas de rádio, que foram introduzidas na sequência de pedidos de socorro fracassados, transmitidos por telégrafo e que inviabilizaram o resgate do icónico transatlântico. Além disso, este dispositivo está também relacionado com o Big Bang, já que aquela explosão deu origem ao tântalo, elemento misterioso, e que é utilizado em pequenas quantidades na fabricação de telemóveis. Sem isso, estes dispositivos seriam 12 vezes maiores. Outros episódios vão abordar temas como o dos pais fundadores dos Estados Unidos, a guerra da secessão ou a revelação dos mistérios antigos, tudo polvilhado com ícones da ciência surpreendentes, protagonizados pelo sal, gelo, conchas, etc.

“Big History” é um movimento académico que teve origem há duas décadas quando um grupo de professores começou a acreditar que estava a refrear a imaginação dos estudantes ao ensinar as disciplinas divididas. Tiveram uma ideia revolucionária: juntar ciência e história e usar a história para revelar o poder da ciência.

Agora o Canal História será o suporte de divulgação, já que o seu target gosta de informação através de storytelling e não há maior história que a história de tudo.

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close