“Cosmos: Odisseia no Espaço”: Evento mundial chega dia 10 a Portugal


“Cosmos: Odisseia no Espaço” vai estrear em 90 canais National Geographic em 180 países e em 120 canais Fox em 125 países, fazendo com que este seja o maior lançamento global na história da televisão.

A série documental dos produtores executivos Ann Druyan e Seth MacFarlane (“Family Guy”) chega a Portugal a 10 de março, às 23 horas. A estreia nacional acontece com menos de 24 horas de diferença em relação à estreia nos Estados Unidos, agendada para dia 9 de março.

A estratégia adotada por Portugal é repetida em todos os outros mercados Fox International Channels (FIC) e National Geographic Channel (NGC) em que o primeiro episódio é emitido em simultâneo em todos os canais Fox e NGC, sendo que os restantes 12 episódios da série são emitidos, exclusivamente, no NGC, todas as segundas-feiras, às 23 horas.

 

Mais de três décadas depois do primeiro “Cosmos: A Personal Voyage”, a viagem exploratória pelo universo de Carl Sagan é agora apresentada e continuada numa nova versão produzida por Seth MacFarlane que se junta aos colaboradores criativos originais – produtora executiva e escritora Ann Druyan e o coautor e astrónomo Steven Soter – para conceber uma série de 13 episódios combinando drama, fantasia e uma realidade natural que vai ser sucessora da lendária e galardoada série original.

«Nunca houve um tempo tão importante como o que vivemos hoje para fazer reemergir o “Cosmos”. Quero fazer este programa tão divertido, e tão vistoso, e tão excitante que todas as pessoas que não tenham qualquer interesse na ciência tenham curiosidade de o ver só porque é um verdadeiro espetáculo televisivo», disse Seth MacFarlane.

Assim como na lendária série original, este novo “Cosmos” é a saga de como descobrimos a leis da natureza e encontramos as nossas coordenadas no espaço e no tempo. Esta série promete dar vida a histórias nunca antes contadas da jornada pelo conhecimento, transportando os espectadores para novos mundos numa viagem pelo universo para uma visão do Cosmos na sua plenitude.

Os mais profundos conceitos científicos são apresentados com uma clareza, uma união de ceticismo e pensamento e uma interligação entre a ciência rigorosa com elementos visuais, emocionais e espirituais, permitindo aos espectadores uma experiência transcendente – a visão do cosmos na sua imensa escala tal como a conhecemos.

«É uma verdadeira emoção levar o navio espacial da imaginação (Ship of Imagination) para mais uma volta», afirmou Druyan. «Vamos a lugares onde nunca ninguém esteve antes, fazendo uso de capacidades que não existiam na altura da série original. Apesar disto, parece tudo como a primeira vez».

A “Cosmos” original foi uma linha divisória que marcou os programas televisivos não ficcionais, mudando, em 1980, a maneira como as audiências eram capazes de ver além do nosso mundo. Durante 33 anos, esta série permaneceu numa contínua distribuição mundial vista por mais de 750 milhões de pessoas em mais de 175 países.

Nos Estados Unidos, tornou-se numa das mais vistas da televisão pública na altura da sua emissão e manteve o recorde de audiências durante uma década. “Cosmos” venceu três Emmy Awards e um Peabody Award.

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close