[Crítica] A 2 dias da final, o Festival da Canção 2014 visto pelos olhos dos especialistas!


FdC-1

Tal como no ano passado, os especialistas em Eurovisão João Leite e Rafael Lopes voltam a emitir opinião.

O Festival RTP da Canção 2014 foi avaliado pelos críticos e obteve um resultado diferente, quase paradoxal em termos de opinião.

João Leite

Depois de um ano fora, a RTP decidiu voltar à Eurovisão e o método para escolher a nossa canção não podia ser outro: o Festival da Canção.

Foram feitas alterações em comparação com o certame em 2012. Apesar de se ter convidado novamente compositores, este ano em vez de 12 o número foi reduzido para 10, em vez de um espetáculo teremos dois espetáculos, uma semifinal, que aconteceu no passado sábado e a final, que acontece este sábado que vem e a responsabilidade da escolha fica a cargo apenas do público.

Cinco músicas foram eliminadas na semifinal e durante esta semana os portugueses têm estado a votar na música que querem ver em Copenhaga a representar Portugal. São essas cinco músicas que vamos aqui avaliar.

Sábado tivemos a semifinal do Festival da Canção de 2014 e o espetáculo foi apenas razoavelzinho. Inho. Inho. De bom só o trabalho da Sílvia Alberto, o palco e as luzes. O José Carlos Malato fala sempre mais do que deve, o som esteve péssimo, os planos de câmara horríveis e no mais importante: as canções, nenhuma foi particularmente surpreendente, inovadora e cativante.

Ainda assim as canções “O Teu Segredo”, interpretada por uma Lara Afonso bastante carismática e com uma performance em palco bastante agradável e a orelhuda “Eu Vou”, de Ivo Lucas, mereciam um lugar na final. A RTP precisa de investir mais neste espetáculo, se quer audiência e qualidade.

Canção nº 1: “Ao Teu Encontro”
    Intérprete: Rui Andrade
    Música/Letra: Mark Paelink/Rui Andrade
Nesta música pouco resultou. O instrumental é aborrecido e óbvio, o Rui teve uma atitude arrogante em palco e a letra não tem criatividade alguma. O que de bom se tira daqui é a voz do intérprete. O Rui quer muito ir representar Portugal na Eurovisão, mas não vai ser este ano. Porque a concorrência é mais forte, mas principalmente porque a música não é boa.
Pontuação: 10/20

    Canção nº 2: “Mea Culpa”
    Intérprete: Catarina Pereira
    Música/Letra: Andrej Babic/Carlos Coelho
O objetivo aqui era fazer um upgrade de “Canta Por Mim” e apesar de ter saído uma boa canção eurovisiva, o objetivo não foi cumprido. A canção também tem uns toques eletrónicos (a lembrar a péssima “Sobrevivo” do Festival de 2011) que cortam a belíssima guitarra portuguesa. Ainda assim a canção é a melhor das cinco e uns retoques podem torná-la bem melhor e quem sabe trazer um bom resultado de Copenhaga. A performance em palco foi muito boa, mas a Catarina precisa de ganhar mais fôlego e mudar o seu vestido.
Pontuação: 15/20

Canção nº 3: “Nas Asas da Sorte”
    Intérprete: Zana
    Música/Letra: Jan Van Dijck/Paulo Abreu Lima
Não consigo ficar indiferente aos boatos que dizem que esta canção é um plágio da canção “Kom” das Timoteij (de quem sou fã). Para mim os instrumentais são parecidíssimos e o Jan devia ter algum cuidado com isso, já que em 2008 foi acusado do mesmo. Esquecendo este triste facto, a canção tem uma interpretação poderosa por parte de Zana e uma performance interessante (uma mistura de Tonicha e Simone de Oliveira), mas a letra e a orquestração tornam-na antiquada. Há umas décadas atrás venceria sem problemas.
Pontuação: 12/20

Canção nº 4: “Sonhos Roubados”
    Intérprete: Raquel Guerra
    Música/Letra: Nuno Feist/Nuno Marques da Silva
Desde os Ídolos que achei a Raquel uma cantora incrível e fiquei muito feliz com a sua participação no Festival, mas o Nuno fez mal em a escolher. A música não encaixa nada bem no seu tom de voz e algumas palavras ficaram mesmo irreconhecíveis no direto. Uma pena. A canção em si é bastante boa, apesar de lembrar excessivamente os anos 60. A letra é a melhor das dez. Com a voz correta esta canção teria muito mais potencial.
Pontuação: 13/20

 Canção nº 5: “Quero Ser Tua”
    Intérprete: Suzy
    Música/Letra: Emanuel
Todos os portugueses conhecem o clássico de Natal ‘Nesta Noite Branca’ dos Anjos com uma tal de Susana. Essa Susana agora é Suzy e vem ao Festival cantar uma música com composição de Emanuel. E esta música tem tudo o que o cantor pimba nos tem trazido nos últimos anos: um toque de ritmos africanos e uma música bastante orelhuda, o que resulta bem na Eurovisão. Mas se Suzy e Emanuel querem um grande resultado vão ter de trabalhar para ele. A Suzy precisa de dançar mais em palco e mandar embora os senhores dos tambores e trazer bailarinas e sensualidade (sem ser reles) para o palco. E o mais importante: a música precisa de uma orquestração decente. Muito trabalho a fazer, mas se for bem feito, a Suzy pode brilhar em Copenhaga.
Pontuação: 14/20

Rafael Lopes

    Canção nº 1: “Ao Teu Encontro”
    Intérprete: Rui Andrade
    Música/Letra: Mark Paelink/Rui Andrade
Uma boa balada, bem construída mas que peca por não ter originalidade nenhuma. Serve para mostrar a grande voz que o Rui tem, mas isso já nós todos sabemos. A atuação foi meio aborrecida. É apenas mais uma canção à Disney que no ESC consegue passar à final, mas depois acabam num modesto lugar (vide Filipa Azevedo, Harel Skaat, Nadine Beiler, etc…).
Pontuação: 14/20

   Canção nº 2: “Mea Culpa”
    Intérprete: Catarina Pereira
    Música/Letra: Andrej Babic/Carlos Coelho
Ora aqui está um caso bicudo para mim. É sem dúvida uma excelente composição, a melhor do Babic desde a “Canta Por Mim”, ou melhor… não será antes uma primeira versão dessa mesma canção? A melodia é idêntica, o final é praticamente o mesmo, os acordes e os instrumentos usados também. Falta originalidade aqui também. No entanto, em termos de potencial, é mais que notório que a Catarina vence.
Pontuação: 17/20

    Canção nº 3: “Nas Asas da Sorte”
    Intérprete: Zana
    Música/Letra: Jan Van Dijck/Paulo Abreu Lima
É a minha favorita de todas as 10 semifinalistas, e a que apoio na final também. Uma excelente composição aqui numa grande voz. Sem dúvida a grande surpresa deste festival. Sei que não tem qualquer hipótese de vencer, por causa da grande concorrência que enfrenta, no entanto não ficaria minimamente chateado se fosse a Zana a nossa representante em Copenhaga.
Pontuação: 18/20

    Canção nº 4: “Sonhos Roubados”
    Intérprete: Raquel Guerra
    Música/Letra: Nuno Feist/Nuno Marques da Silva
Esta é aquele caso da finalista wtf (passa-se a expressão), não se esperava o seu apuramento. A actuação ao vivo foi confusa, não se percebia bem aquilo que a Raquel dizia, mas confesso que até acho que tem potencial. É sem dúvida, para mim, a melhor composição por parte do Nuno Feist, mas nesta aqui não gostei da letra, muito ultrapassada. Penso não ter hipóteses de vencer no próximo sábado.
Pontuação: 15/20

    Canção nº 5: “Quero Ser Tua”
    Intérprete: Suzy
    Música/Letra: Emanuel
Do que vi na televisão, pareceu-me a que mais resulta visualmente, o Emanuel sabe bem o que faz. A voz não esteve mal, mas o som do instrumental estava demasiado baixo, o que pode ter tirado algum potencial da canção. É sem dúvida a canção mais orelhuda das finalistas, uma fórmula que já funcionou muitas vezes no ESC, até para nós (consideremos que sim). A provável vencedora, e isso não me deixa desapontado!
Pontuação: 17/20

Quanto à semifinal no seu todo, achei um espetáculo bem conseguido, os apresentadores estiveram bem (mais a Sílvia do que o Malato), não encheram muitos chouriços, felizmente, e os interval acts com as homenagens também foram bem sucedidas. Só tenho pena que se continue a apostar no mesmo, que é na história, e não em algo com visão para o futuro. Mas perdoo por ser a edição de comemoração dos 50 anos do FC.

Falando agora um pouco das músicas não apuradas, a minha favorita era sem dúvida a da Lara Afonso, uma composição fresca, alegre, algo diferente do que se ouve habitualmente no festival. O Ricardo e a Carla tinham canções demasiado idênticas, e ambas foram salvas pelo seu poder vocal, tramaram-se mutuamente. O Ivo e a Madalena tinham, para mim, as canções mais fracas da noite.

Concluindo, foi o melhor Festival da Canção que assisti, desde que sigo a Eurovisão.

Pode comentar esta crónica no Facebook Zapping, aqui.

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

  • Miguel Angel

    Catarina is the best please vote for her. Good luck!!!

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close