“Dancin’ Days”: 09 a 15 de setembro

Anterior1 de 3Seguinte

Cab_Dancin DaysEsta Semana em “Dancin’ Days”
(09 a 15 de setembro)

320º Episódio

Duarte faz menção de ligar para o 112 ao mesmo tempo que diz a Inês que precisa de ser internada outra vez. Ela destila ódio ameaçando estragar-lhe a vida, tirando-lhe o filho e Mafalda, que trata por cabra. Duarte riposta, também já muito irritado, que ela vai é estragar a sua vida, pois não escapará a um novo internamento e, desta vez, sem data para sair. Depois de bater em si própria com os punhos cerrados, Inês começa a bater em si própria e obriga Duarte a pousar o filho para a forçar a parar. Inês pega finalmente nas suas roupas e acaba por ir embora com um ar tresloucado. Duarte abraça Martim e telefona imediatamente a Áurea, dizendo que Inês acabou de sair da sua casa e que precisa muito de falar com ela.

Mafalda acha estranho que alguém tenha requisitado os seus serviços de babysitter e depois nem sequer ter aparecido, acrescentando que quem marcou não tinha filhos. Filipa avança a hipótese de ser Inês a pessoa mistério e Mafalda acaba por considerar essa hipótese, atendendo ao perfil que Duarte traçou da ex-mulher. Filipa comenta depois que o casamento de Júlia com Artur está tremido e avisa que ela pode voltar a interessar-se por Duarte. Sem valorizar muito o assunto, Mafalda garante que está preparada se ele começar a rondar.
Júlia conta a Mariana que Artur saiu de casa mas esconde-lhe os verdadeiros motivos para que a filha não se sinta co-responsável por isso.
Duarte conversa com Áurea e defende que Inês deve ser internada outra vez, pois está totalmente descompensada, com a agravante de se ter tornado numa pessoa perigosa. Áurea é obrigada a reconhecer que ele tem razão e dispõe-se a falar com o psiquiatra da filha para avaliar o que fazer. Nesse instante recebe uma chamada de Ester, que a avisa que Inês foi para sua casa.
Ester, cheia de paciência, faz ver a Inês que não se portou bem ao fugir, quando a mãe a deixou à porta do prédio. A neta inventa que foi ter com uma amiga e Ester repreende-a por não ter dito nada. Apesar de tentar esconder o que sente, Ester está francamente desapontada.
Bernardo recebe uma chamada de Paula e combina tomar o pequeno-almoço com ela e o filho no dia seguinte. O advogado inteira-se de como está Rui mas, quando Teresa aparece, finge que está a falar ao telefone com um cliente. Depois de desligar a chamada responde à mulher que vai ter de atender o homem que vem de propósito de Estremoz para esse efeito. Realçando a importância que o cliente teve quando ele começou a exercer, Bernardo afirma que tem mesmo de o atender, apesar de no dia seguinte ser Domingo. Ao ver que Teresa fica desapontada, sugere que almocem depois no Guincho, passeando no descapotável. Ela põe como condição que esse seja apenas um atractivo do dia, pois espera muito mais.
Áurea encosta Inês à parede e conta-lhe que sabe que ela não esteve com amiga alguma. Ela acaba por justificar que foram as saudades que a levaram até Duarte e jura que seria incapaz de lhe fazer mal, ou a Martim, pois são as pessoas que mais ama. A mãe avança com a hipótese mais que provável de ter de a internar de novo, mas Inês suplica-lhe que não o faça. Como Áurea está inflexível, ela faz chantagem emocional e lembra-lhe que esteve sempre ao seu lado e a ajudou nas crises provocadas pela bipolaridade. Áurea interioriza que a filha herdou a sua doença e, sentindo-se culpada, aceita o seu pedido para guardar segredo sobre o que ela fez, contra a promessa de nunca mais voltar a mentir. Depois de terminar a conversa com a mãe, Inês vai ter com a avó e pede-lhe desculpa por ter causado tantas preocupações. Ester assume que não querem fechá-la entre quatro paredes mas também não podem permitir que não dê satisfações do que anda a fazer. Ester propõe à filha e à neta que durmam lá em casa. Inês aceita de pronto, até como forma de Áurea ir mais descansada para o jantar com Rafael. No entanto, ela diz que desmarcou o encontro com o encenador, porque perdeu a vontade de sair.

Raquel recebe uma chamada do advogado a avisá-la que foi convocada a prestar depoimento na esquadra, apesar de ser Domingo. Raquel confirma com uma calma aparente que se apresentará às autoridades mas quando desliga o telefone fica muito nervosa e escreve uma mensagem de forma atabalhoada, aguardando com grande ansiedade que lhe respondam.
Júlia está a ver um filme com João e Mariana quando recebe a mensagem de Raquel a avisar que tem de prestar esclarecimentos à polícia no dia seguinte. Todos ficam preocupados, até porque João reforça que a polícia só chama as pessoas ao Domingo em casos muito excepcionais. Mariana desabafa que não está a gostar nada da situação, enquanto Júlia tenta aliviar a tensão lembrando que o advogado vai estar com a irmã.
Cristóvão e Matilde conversam sobre o invento que ele está a produzir e falam da qualidade de um fluído. Sónia ouve a conversa ao longe e pensa que eles estão a falar de sexo. Toda entusiasmada vai até eles e pergunta se finalmente a “coisa” se deu. Quando Matilde percebe do que ela está a falar faz um esgar de nojo. Cristóvão esclarece que estiveram foi a trabalhar no invento e que nada aconteceu. Sónia recebe uma chamada de alguém que lhe pede segredo sobre algo. Ela responde que a sua boca é um túmulo, um túmulo sexy. De seguida avisa Cristóvão para se preparar porque as coisas vão mudar ali na loja e diz que vai falar com Cátia. Cristóvão diz-lhe para dar os parabéns à prima, uma vez que ela arranjou trabalho em Hollywood. Depois de ela sair para a loja de doces, Cristóvão pergunta-se o que terá Sónia querido dizer quando falou em mudanças na Flor de Sal.
Sónia dá os parabéns a Cátia e a prima confessa que ainda não acredita que foi contratada para trabalhar como actriz em Hollywood. Sónia conta que Wilson, o empresário angolano com quem anda, comprou a cadeia de lojas de Veiga, uma vez que este está doente e o médico lhe recomendou descanso. Sónia dispara que um dia as lojas ainda serão todas suas, embora acrescente de seguida que não espera que Wilson a peça em casamento. Cátia oferece a sua casa à prima, enquanto estiver nos Estados Unidos, para ela poupar a renda. Sónia fica toda satisfeita por que gosta muito da cama que ela lá tem e brinca dizendo que na sua está sempre a bater com a cabeça na parede porque o seu negão parece uma locomotiva. Cátia pede-lhe que a poupe aos pormenores.

Júlia agradece a Mariana por tê-la deixado dormir em sua casa, mas receia que João não tenha gostado da ideia. A filha coloca-a à-vontade e até lhe sugere que espere por João, que apenas foi comprar pão. Júlia responde que está ansiosa por chegar a casa, onde aguardará que Raquel apareça, pois foi o que combinou com ela, depois de concluir o interrogatório na polícia. Mariana pede à mãe que lhe dê notícias e confirma que Gui regressa da Noruega nessa noite. Júlia incentiva-a a aproveitar bem o dia com Carolina.
Bernardo toma o pequeno-almoço com Paula e Rui e fica emocionado por perceber que o miúdo ficou radiante por saber que ele afinal é seu pai e não tio. Rui afasta-se e espera que Bernardo vá jogar à bola com ele. Bernardo comenta com Paula que o menino é fantástico e Paula recorda que aproveitou o momento em que ele disse que se pudesse escolher um pai escolheria um como ele, para lhe contar que Bernardo é mesmo seu pai. Bernardo reafirma que quer constituir família com eles e que precisa apenas um pouco mais de tempo para resolver as coisas com Teresa. Paula acena que sim, disposta a esperar por ele.
Rafael vai tomar um café em casa de Áurea pela manhã. Ela está mais fragilizada e, depois de falar sobre Inês, ganha coragem e confessa que ele é para si algo mais que um amigo. Rafael também não se faz rogado e afirma que ela é a segunda mulher por quem se apaixona, na vida. Ela sorri-lhe esperançada.
Júlia e Alves Cardoso tentam convencer Raquel a retirar a confissão de que matou Hugo. Depois de perceber que não adianta insistir, o advogado deixa as irmãs a sós para conversarem. Júlia implora a Raquel que desista da ideia de assumir a morte de Hugo quando nada teve a ver com isso mas a irmã reafirma que esta é uma forma de a compensar do que perdeu, durante os dezasseis anos que esteve presa no seu lugar.

Artur conta a Jorge que a sua decisão de se divorciar de Júlia é irreversível e que quanto mais depressa isso acontecer, melhor. Para si, porque se recomporá mais rapidamente e para Júlia que poderá casar com Duarte, ou ser feliz sozinha se assim preferir. Jorge ainda tenta demovê-lo, mas em vão. Urbano chega acompanhado por Mónica à clínica e, sem saber que Artur e Júlia estão separados, pergunta pela ex-mulher. Artur responde que deve estar bem e vai-se embora, deixando o médico desconfiado com aquela resposta.
Nicole confessa o seu desespero a Isabel, por nunca mais conseguir que Hernâni volte a ser homem e recupere a virilidade. A manicura afirma que vai recorrer à artilharia pesada e mostra uma chibata e um par de algemas que arranjou para ver se “entusiasma” o marido. Isabel avalia os artefactos com curiosidade.
Wilson conta a Sónia que acabou de assinar contrato com Veiga, tornando-se no novo dono da cadeia de lojas Flor de Sal. Sónia deixa-o embaraçado ao chamar-lhe seu matulão e toma-se de liberdades, pensando em sugerir uma série se ideias em que pensou. Ele propõe-lhe que tenham um jantar de trabalho e Sónia aceita, desde que misturem o trabalho e o prazer. Ele acolhe a brincadeira e quando Cristóvão se aproxima, também lhe conta que é agora o dono das mercearias gourmet. Cristóvão felicita o novo patrão e acata a ordem para fazer um relatório detalhado sobre a mercadoria em stock. O gerente empenha-se em satisfazer o novo patrão de forma muito profissional, enquanto Sónia abusa do seu estatuto e arrasta Wilson, com o pretexto de lhe mostrar o armazém mas cheia de segundas intenções.
Mafalda fica incrédula quando Duarte lhe conta que Inês lhe invadiu a casa e que quando chegou e encontrou deitada, quase totalmente despida. A babysitter ainda se impressiona mais com o relato do ataque de loucura que ela teve quando começou a bater em si própria à frente do filho. Duarte penaliza-se por não ter descoberto mais cedo os sinais que indiciavam a doença da ex-mulher. Mafalda interroga-se como é que ele se pode sentir culpado, se esteve casado com uma louca.

Júlia prepara o almoço quando tocam à campainha. Ao abrir, depara-se com o inspector Garcia que vem acompanhado por outro agente. Ao mesmo tempo Raquel também é visitada por outro elemento da Polícia Judiciária e é detida por suspeita do assassínio de Hugo Figueiredo. Raquel aceita o seu destino e dispõe-se a ser algemada. Nesse instante, a irmã, Júlia, é algemada pelo inspector Garcia que informa que está a ser detida por ser suspeita de cumplicidade no homicídio de Hugo. Júlia acusa a pressão de estar de novo a ser presa. .

Anterior1 de 3Seguinte
Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close