"

Depois de 15 anos e 12 novelas, autor deixa TVI

António Barreira

António Barreira

Depois de 15 anos e 12 novelas, o mais histórico dos autores de novelas da TVI prepara-se para terminar a ligação com o canal.

António Barreira chegou à escrita de novelas depois de ganhar um concurso para novos talentos do guionismo promovido pela então NBP (atual Plural).

“Saber Amar” de 2003 foi a primeira aventura na TVI. Esta novela, escrita a várias mãos, deu vários autores ao mercado como Pedro Lopes, Inês Gomes, João Matos.

“Queridas Feras” estreada no mesmo ano trazia Paula Neves depois do megassucesso “Anjo Selvagem” e a estrela em ascensão Fernanda Serrano.

No ano seguinte o autor esteve envolvido em “Mistura Fina”. A novela teve uma das maiores estreias de sempre – em termos de audiência – mas depressa se transformou num problema e foi escondida na grelha da TVI.

Em 2006 José Eduardo Moniz – então diretor-geral da TVI – encomendou a adaptação da argentina “Kachorra” para combater o fenómeno “Floribella” da SIC. António Barreira foi mais uma vez chamado à primeira linha de combate e foi uma das cabeças por trás de “Doce Fugitiva”.

“Fascínios”, de 2007, foi o primeiro grande trabalho em nome próprio. A produção marcou o regresso de grandes nomes da representação ao pequeno ecrã como João Perry, Margarida Carpinteiro, Francisco Nicholson, Júlio César, Julie Sergeant, Rogério Samora ou Vera Kolodzig. Marina Mota fazia a sua estreia em novelas nesta história.

Meses depois “Flor do Mar” também contou com a mão de Barreira, mas foi depois, com “Meu Amor” (2009) que  chegou a consagração. A trama venceu o Emmy Internacional de Melhor Novela do Mundo.

Seguiram-se “Remédio Santo”, “Destinos Cruzados”, “O Beijo do Escorpião” e a sequela de “Jardins Proibidos”. A última novela no currículo do autor é “A Impostora” cujo lugar foi ocupado por “Jogo Duplo”.

Com uma websérie ainda por estrear segundo dá conta a imprensa brasileira, António Barreira deixa a família Plural/TVI após 15 anos ininterruptos de trabalho.

Foi através do Facebook que o autor deu a notícia:

15 anos depois… Chegou o momento de seguir novos rumos e dizer adeus à família Plural/TVI. Fui muito feliz nesta casa que fiz minha por mais de uma década. Jamais esquecerei os momentos marcantes, os amigos que fiz e que ficarão para a vida, e os excelentes profissionais com quem trabalhei. Da minha passagem deixo talvez aquele que é o momento mais icónico, não só para mim, mas também para a ficção portuguesa! Amanhã, um novo projeto começa, uma nova caminhada, uma nova camisola, uma nova casa… Estou grato por tudo o que passei, mas a vida é feita de mudanças e chegou a hora! Fica esta recordação!

 

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close