‘ESC2014′ – A Critica: Fique a conhecer as canções da primeira semifinal [Parte II]

A avalição do Festival da Eurovisão 2014 está de volta e desta vez para terminar a avaliação das músicas da 1ª semifinal. Portugal não será avaliado, já que a canção foi escrutinada pelos nossos comentadores há duas semanas atrás. Vamos então às restantes.

Ucrânia
Mariya Yaremchuk – “Tick-Tock”

Não sei o que achar desta canção. Para mim não tem sentido nenhum, é infantil, tem uma letra que me causa algumas náuseas. O ritmo é mais do mesmo, vindo daqueles lados de Leste. Não sei se vai causar sensação no palco do ESC, a não ser que a Ucrânia decida montar mais um grande espectáculo, como quase sempre faz. O júri não deve apoiar muito o país, o televoto é uma incógnita, mas há possibilidades de ficar pela primeira vez fora da final.
Pontuação: 09/20
Rafael Lopes (RL)

Desde que a canção venceu a final nacional ucranina (há uns bons meses) que achei que a canção tinha um refrão orelhudo, mas tudo o resto não funcionava. A letra era péssima, a performance e o instrumental confusos. Mas então a versão final corrigiu tudo isso e neste momento é das que mais gosto. É orelhuda e a performance que a Mariya entregou no Eurovision in Concert foi cheia de sensualidade e elevou as expectativas para o que irá fazer em Copenhaga. A Ucrânia pode não repetir o 3º lugar do ano passado, mas merece um bom resultado.
Pontuação: 15/20
João Leite (JL)
***

Bélgica
Alex Hirsoux – “Mother”

Outra canção que tem sido falada como uma das preferidas dos eurofãs, mas que eu não aprecio por aí além. Penso que é uma balada um bocado pretensiosa, cliché de certa forma, que apenas conta com a grande voz do Axel. Não deve apelar muito ao televoto, mas o júri ficará babado por esta canção. Se chega à final, é uma incógnita, depende de muitos factores. A posição na qual actua, pode ser favorável a uma passagem. Já na final, o resultado não seria assim muito bom, creio.
Pontuação: 10/20
RL

Mas há música mais clichê que esta? O instrumental é básico, a letra dedicada à mãe não é nada criativa… Só a voz do Axel se destaca. O júri vai amar, as pessoas em casa irão se emocionar, a actuação irá ser partilhada no facebook por imensas pessoas a dedicar a canção à mãe, mas é para mim a canção mais fraca a concurso e nem a voz impressionante do Axel me convence do contrário.
Pontuação: 09/20
JL

***
Moldávia
Cristina Scarlat – “Wild Soul”

Esta poderá ser daquelas canções que passam despercebidas na época pré-ESC, mas que depois no Dia D surpreendem. Não sei bem o que achar, acho-a um bocado indiferente. Penso que a canção até tem um fundo de interesse, mas não é muito memorável, creio que poderá ficar perdida na semifinal. A Moldávia até tem um apoio considerável de vizinhos e emigrantes na semifinal, o que se calhar vai ser suficiente para uma passagem à final. Estou bastante curioso para saber como se vai safar.
Pontuação: 12/20
RL

Eu acredito que a Moldávia pode passar novamente à final. O júri vai apoiar a voz forte da Cristina e estamos pertante um país que aposta sempre bem na performance. Mas o vestido híbrido usado na performance da final nacional precisa de ser alterado ou tudo ficará muito estranho e não apelará ao televoto. A música é interessante, tem um boa letra e um bom instrumental, mas não empolga.
Pontuação: 13/20
JL

***
São Marino
Valentina Monetta – “Maybe”

Valentina Monetta, take 3! Mais uma balada, desta vez em inglês. Preferia a versão em italiano, porque assim é mais uma no meio das 2813812012 em inglês este ano. E a falta de destaque é algo que não abona nada a favor de um país como São Marino. Vou ter pena se não conseguirem passar à final, mas penso que até poderá ser possível. Difícil mas não impossível. O júri deve apoiar, o televoto já é mais impossível, mas talvez tenham pena, quiçá. É mais fraca que no ano passado.
Pontuação: 14/20
RL

São Marino acredita piamente que a Valentina Monetta irá conseguir levar o país à final, ou então já teria trocado de artista. Mas não será desta. A Valentina canta muito bem e esta canção até é a melhor das três, com um instrumental muito bonito e a voz doce da Valentina, mas não é forte o suficiente e numa semifinal tão complicada irá ficar perdida. Sem o apoio do televoto, o apoio do júri não será suficiente. Uma pena.
Pontuação: 15/20
JL

***
Holanda
The Common Linnets – “No Prejudice”

Fiquei surpreendido com esta escolha, mas não pelos melhores motivos. Isto não é uma canção para se apresentar no ESC. Tem bastante qualidade, e até tenho gostado mais e mais, mas penso que é demasiado linear e não fica no ouvido com facilidade. Pode marcar por ser a única do género, e às vezes a simplicidade é tudo. No entanto, num evento como o ESC, que dá primazia a grandes actuações, creio que a Holanda será, efectivamente, esquecida.
Pontuação: 14/20
RL

Esta música tem imensa qualidade. A dupla de intérpretes é óptima, o instrumental country/folk é bastante agradável, a letra é boa, mas não irá conquistar grande parte do público pois é demasiado linear. A ver se o apoio do júri é suiciente. Eu espero que seja, pois é das minhas favoritas.
Pontuação: 17/20
JL

***
Montenegro
Sergej Ćetković – “Moj Svijet”

No caso do Montenegro, a minha surpresa foi mais do que positiva! Aqui está, para mim, a balada do ano. Uma canção de fazer inveja à Sérvia, que decidiu ficar fora este ano, e ao Zeljko Joksimovic. Adoro o instrumental bem característico das baladas balcânicas, aqueles sons que dão sempre um toque especial a este tipo de canções. Creio que o júri votará em massa neste país, e mesmo o televoto não deverá ficar indiferente a esta proposta. Irá finalmente à final, mais do que merecidamente.
Pontuação: 18/20
RL

Montenegro irá passar à final pela primeira vez. Uma balda balcânica fantástica que irá deliciar os jurados e até conseguir um bom lugar no televoto. Mesmo sem o apoio dos restantes países balcãs uma música desta qualidade tem tudo para conseguir um grande resultado. Excelente aposta de Montenegro!
Pontuação: 19/20
JL

***
Hungria
András Kállay-Saunders – “Running”

A Hungria apresenta-se este ano como outra das grandes favoritas à vitória. Na minha opinião, creio que é uma boa canção, mas que é também (a par da Arménia) bastante sobrevalorizada. Confesso que é uma proposta interessante, com qualidade e que tem uma boa mensagem, além de que é bastante radio-friendly, mas não sei qual é o impacto que terá no ESC. A passagem à final está mais do que garantida, ainda por cima actuando na última posição. Na final, o resultado é uma incógnita.
Pontuação: 13/20
RL

A Hungria pode conseguir com esta canção um grande resultado (melhor que o surpreendente décimo de 2013), mas é preciso que o András cante melhor ao vivo, pois o refrão não tem tanta força como na versão estúdio. Apesar disso é uma boa canção, algo orelhuda e que com uma excelente performance pode conseguir a primeira vitória da Hungria na Eurovisão.
Pontuação: 16/20
JL

***

Na próxima semana os nossos comentadores começarão a avaliar as músicas da 2ª semifinal.

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close