‘ESC2014’ – A Critica: Quais são as chances Suzy?

Depois de um ano fora do certame, Portugal volta ao Festival Eurovisão da Canção. Para seleccionar a música que nos representaria voltou o sempre polémico Festival da Canção, que teve como vencedora a canção ‘Eu Quero Ser Tua’, interpretada por Suzy e escrita por Emanuel.

Ao longo do próximo mês, aqui no Zapping, iremos avaliar todas as músicas a concurso, mas nesta 1ª edição da crítica vamos olhar fundo na música portuguesa. Quais são as suas chances e o que precisa de ser melhorado?

***

A música é o típico pimba, e quanto a isso nada há a mudar. Dentro do género, penso que é apenas mediana. Não sendo tão horrível como algumas pessoas pintam, também não é nada de especial. O que é pena, porque com uns bons arranjos, poderia (poderá?) melhorar consideravelmente. O início da música (tirando os irritantes “auauêuauê”) promete mais do que é efectivamente concretizado. O primeiro solo instrumental parece dar a impressão de um futuro crescendo, que não chega a acontecer. A música acaba por ser apenas uma exagerada repetição da frase “Eu quero ser tua” sem nunca passar disso, e quase sempre no mesmo tom. Acaba por cansar. Precisava de alguma variação, de um instrumental mais rico, e de menos “Eu quero ser tua”. O refrão pode ser orelhudo, mas o que é demais, enjoa.

Depois, quanto à actuação, desastre completo. Vocalmente, a Suzy, não é perfeita, mas cumpre. Não se pede um vozeirão para este tipo de música. No entanto, os tambores destilam azeite, o batuqueiro mete medo ao susto, a postura da Suzy é para lá de pindérica. Pede-se uma coreografia bem marcada, quem sabe com um ou mais bailarinos (substituindo assim os tambores), mais do que os tímidos movimentos que a Suzy nos ofereceu no Festival da Canção. O batuqueiro precisa de desaparecer, não acrescenta nada de bom visualmente. Os tambores deviam ser reduzidos em tamanho. E, por favor, que vistam melhor a rapariga.

Claro que nem tudo é mau, e a música vai certamente destacar-se no meio da calmaria musical que caracteriza a primeira semi-final eurovisiva. Contudo, resta saber se será pela positiva (caso ocorram as necessárias mudanças) ou pela negativa (caso continue tudo na mesma). Apesar de tudo, confio no profissionalismo do Emanuel.

                Pontuação: 10/20

                                                                                                                por Helena Gilberto

***

Para alegria dos muitos fãs do ESC que existem em Portugal, o nosso país decidiu regressar às lides eurovisivas, e com isso, regressou o nosso amado Festival da Canção, repleto de polémica, como sempre. Suzy sagrou-se a grande vencedora do festival, para alegria de alguns e tristeza de muitos, o que causou tumultos que fizeram concorrência com a invasão da Crimea.

“Quero Ser Tua” é o título da canção interpretada por Susana Guerra (Suzy), a cantora escolhida por Emanuel, através de um casting, que aconteceu antes do Festival da Canção. Suzy já teve em tempos reconhecimento no mundo da música em Portugal, depois de fazer um dueto com os Anjos e com uma ou outra canção nos Anos 90. A canção é o típico Pop/Pimba com um cheirinho a qualquer coisa tribal e Kuduro, que bem presente tem estado nas canções de Emanuel.

A canção é imediata, que é o que se pede num evento como o Festival Eurovisão da Canção, e põe-nos logo a trautear o “wawawewawe” e também o refrão, de rima fácil, até para os estrangeiros. São pontos positivos e que devem ser mantidos na versão final da canção. O que deve ser melhorado, é o instrumental, que tem de ser trabalhado para que não pareça tão básico e tenha mais força. Acredito num bom trabalho por parte do Emanuel, que já deu provas de que é um bom profissional e que está empenhado em trazer de Copenhaga um bom lugar para Portugal.

                Pontuação: 17/20

                                                                                                                                  por Rafael Lopes

***

A canção da Suzy, “Quero Ser Tua”, venceu o Festival da Canção este ano com uma grande vantagem comparativamente ao 2º lugar, alcançado novamente pela Catarina Pereira, pela segunda vez desde que participa no certame.

Esta canção é uma produção típica do Emanuel e que faz, claramente, as delícias dos fãs eurovisivos. Menos dos portugueses (pelo menos da maioria). No entanto, é impossível de negar que isto é uma lufada de ar fresco para a oferta musical desta edição do ESC. Uma aposta alegre, viva e dançante, que poderá sobressair, tendo em conta que Portugal actua entre duas baladas. O único problema recai na qualidade vocal da intérprete e algum falta de carisma.

No entanto, há alguns cuidados a ter na preparação da actuação, não só a nível vocal, mas também a respeito coreografia. É urgente trazer bailarinas para acompanhar a Suzy em palco, e acima de tudo, a coreografia precisa de ser mais arrojada. Já se falou igualmente em incluir alguns versos em inglês e francês, o que poderá funcionar, se for bem estruturado. Emanuel já deu provas em 2007 que trabalha sempre com muito empenho, basta é esperarmos por uma boa vontade da parta da estação pública da RTP.

                Pontuação: 14/20

                                                                                                                           por Tiago Vale

***

 Na próxima edição, a 5 de Abril, iremos avaliar as músicas que actuam na 1º metade da primeira semifinal.

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close