História estreia “Black Ops da Antiguidade”

Canal História

HISTÓRIA estreia em exclusivo “Black Ops da Antiguidade“, a partir do dia 13 de outubro, pelas 22h.

Do Havai da Idade da Pedra ao Japão do século XVI, da Grécia Antiga ao Império Bizantino, sempre houve forças especiais de elite: homens treinados até à perfeição, com um devastador leque de armamento ao dispor. 

OS ASSASSINOS

A Pérsia do século XI – o país que conhecemos como Irão – é destruído pelo ancestral conflito entre os muçulmanos xiitas e sunistas. Hasan I Sabbah, o líder de uma pequena comunidade xiita, os Ismailis, precisa de uma estratégia de sobrevivência. A solução dele é utilizar o homicídio político, atingindo os inimigos no topo da escada hierárquica. Na Síria, Sinan, o Grande Líder dos Assassinos, enfrenta tanto inimigos muçulmanos como cristãos. Sinan usa uma guerra psicológica para derrotar o poderoso senhor da guerra sunita: Saladin, o Grande. Passado pouco tempo, até Saladin teme pela sua própria vida e aceita negociar com os Assassinos. O próximo alvo de Sinan é um emergente líder dos Cruzados: Conrad de Montferrat. O homicídio dele sela a reputação dos Assassinos. São a Força Especial mais letal do mundo medieval.

Segunda-feira 13 de outubro, às 22h.

 OS ESPARTANOS

No verão de 480 a.C., o imperador persa lidera uma vasta força invasora contra a Grécia Antiga. Em desespero, os Gregos recorrem a Esparta, a única cidade-estado em permanente estado de alerta. Os seus melhores guerreiros formam uma unidade de forças especiais de elite: Spartan 300. Com o Rei Leónidas no comando, a sua missão era travar os avanços persas até os outros estados gregos conseguirem reunir uma força defensiva.

Segunda-feira 13 de outubro, 22h50.

 OS SICÁRIOS

São conhecidos como os Sicários, lendários assassinos a soldo que atuavam no auge da ocupação romana da Terra Santa, no primeiro século d.C. O seu objetivo era claro: a libertação da Judeia e a unificação do país sob uma liderança religiosa fanática.

A arma de eleição dos Sicários era um sicário, um punhal curvo muito fácil de esconder por baixo da roupa. Os assassinos a soldo infiltravam-se nas multidões, nas ruas estreitas de Jerusalém, em busca de alvos inimigos, quer fossem romanos ou colaboradores. Depois de deferirem a facada letal, voltavam a imiscuir-se na multidão.

Segunda-feira 20 de outubro, às 22h.

 OS GUERREIROS FANTASMA

Eram tropas de elite especiais da antiga Alemanha. Um fanático corpo de guerreiros independentes e orgulhosos, treinados para combater à noite. Apareciam à noite, espalhando o medo e o pânico entre os inimigos. Eram conhecidos como os “Guerreiros Fantasma”. No século I d.C., lutaram contra o poderoso Império Romano. O resultado ainda ressoa na História. Faziam parte de um exército, comandado por um chefe tribal chamado Arminius. Ele tinha passados os primeiros anos de vida em Roma e tinha aprendido tudo sobre os métodos do Império. Ele tinha treinado com o Exército Imperial e agora comandava uma força de reserva romana. Arminius era considerado um amigo e aliado de Roma. Mas Arminius tinha sido testemunha da natureza repressiva e cruel do domínio romano. Quando as forças romanas se preparavam para colonizar a terra dele, Arminius começou a traçar um plano contra elas.

Segunda-feira 20 de outubro, às 22:50h.

 OS VIKINGS BERSERKERS

Com a fama de serem alimentados por uma potente mistura de cogumelos mágicos e álcool, os Vikings Berserkers até teriam – supostamente – o poder de se transformarem em animais selvagens. Como fanáticos pagãos, sob as ordens do grande deus nórdico Odin, até se congratulavam por ter oportunidade de morrer a lutar. Tal como os jihadistas do século XXI, os Berserker imaginam que ao darem a vida no calor da batalha, assegurarão a grande glória e recompensas em Valhalla, o paraíso dos guerreiros no Além. Armados com machados dinamarqueses e espadas nas de dois gumes, o fanatismo torna-os uma perspetiva assustadora para as vítimas.

Nenhuma história ilustra melhor o espírito do Viking Berserker do que a Batalha de Stamford Bridge em 1066. As ações extraordinárias de um guerreiro grandioso perante o vasto exército anglo-saxónico do Rei Harold Godwinson assegurou-lhe um lugar na História como o mais admirável de todas as Forças Especiais Ancestrais.

Segunda-feira 27 de outubro, às 22h.

A GUARDA VARANGIANA

São os “Vikings a soldo” ao serviço de um imperador estrangeiro. Seis mil guerreiros corajosos com um único objetivo em mente: enriquecer. Com o origem nas terras gélidas e agrestes da Escandinávia, eles e os seus antepassados viajaram para Leste, até à Rússia e Ucrânia da atualidade, e depois para sul, através dos sistemas fluviais russos até ao maior, mais rico e melhor organizado Estado na Europa: o Império Bizantino. Recrutada pela primeira vez para ajudar o Imperador Basílio II a pôr fim a rebeliões internas, a Guarda Varangiana foi transformada na sua guarda pessoal, uma força policial secreta e uma tropa de choque armada com machados e terrivelmente eficaz no campo de batalha. As suas inúmeras vitórias ajudaram Basílio a expandir o seu Império e a aumentar a sua influência em terras mais longínquas.

Segunda-feira 27 de outubro, às 22:50h.

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close