Manuel Arouca sobre “Jardins Proibidos”: «A memória afetiva vai resultar a favor da TVI»

Manuel Arouca

Manuel Arouca e José Eduardo Moniz juntaram-se para escrever a sequela de “Jardins Proibidos”, novela quem em 2000 encantou os portugueses e conseguiu liderar frente à ficção da Globo.

O argumentista está confiante no êxito pois «estamos todos a trabalhar para fazer a melhor novela de sempre. É esse o nosso objetivo», conta ao Diário de Noticia.

«Acho que a memória afetiva vai resultar a favor da TV. Quando digo que fui eu que escrevi os “Jardins Proibidos” ainda hoje ouço: ‘Ah essa novela…’ Os miúdos que tinham 10 anos e agora têm 26 devem quer voltar a vê-la. Há curiosidade de saber como é que vai ser agora», explica Manuel Arouca, afirmando que a sequela tem o objetivo de fazer «que a novela atinja o maior número de espectadores», até porque «o desafio é fazer algo inédito, que é uma sequela.»

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close