“Mar Salgado”: Resumo de 22 a 28 de setembro

Mar Salgado Capa

Resumo dos episódios de “Mar Salgado” de 22 a 28 de setembro

 8º Episódio

Gonçalo contém a irritação quando pergunta a Leonor o que faz em sua casa. André antecipa-se e justifica que a convidou já que a amiga queria falar com ele e não o encontrava. Leonor, percebendo os estragos que está a causar, acrescenta que o procurou por todo o lado e que ele desligou a chamada, sempre que tentou ligar-lhe. Gonçalo exige-lhe que saia mas a entrada de Antónia muda tudo, quando pergunta se há algum problema. Patrícia é forçada a apresentar-lhe Leonor e Amélia murmura que não acredita no que está a acontecer. Gonçalo teme que ela se descontrole e André estranha o comportamento da irmã. Temendo piores consequências, Amélia decide retirar-se com a desculpa de que tem um assunto para tratar. Patrícia e Gonçalo ficam preocupados quando Leonor se senta a conversar com Antónia.

Carlota prepara-se para ir andar de mota e Kika decide dizer que ela está ridícula com o capacete na cabeça. A discussão que se previa entre as primas acaba por não acontecer, já que Amélia aparece repentinamente a dizer que têm de ir às compras. Carlota diz que quer ir andar de mota com o tio mas a mãe arrasta-a por um braço e mente ao dizer que ele tem de resolver um assunto e que deixou de estar disponível. Kika fica radiante com o facto de a prima ficar com os planos estragados e ele poder acompanhá-las nas compras.

Antónia continua a conversar com Leonor, depois de saber que ela chegou a trabalhar na fábrica e que regressou a Portugal por ter questões do passado para resolver. O constrangimento é cada vez maior e Patrícia incita Gonçalo a acabar com aquela conversa e a tirar Leonor dali. O marido intervém e lembra a Leonor que ali foi para falar com ele, abrindo-lhe passagem para a estufa. Antónia exclama que Leonor é muito simpática e Patrícia faz um grande esforço por continuar a responder às dúvidas da sogra e às perguntas de André sobre a amiga e sobre o que veio fazer neste regresso.

Entretanto, Gonçalo ralha com Leonor por tê-lo procurado em sua casa, reafirmando que ela está enganada ao pensar que era seu filho o bebé que morreu dois dias depois de ter sido deixado abandonado na igreja. Gonçalo reafirma que ela deu à luz um nado morto e que está a acreditar na versão alucinada de uma enfermeira que vive encharcada de comprimidos. Leonor contra-ataca e revela que as ossadas do bebé desapareceram e que apurou que foi autorizada a cremação dos seus restos mortais. Gonçalo garante com indignação que não teve conhecimento algum do sucedido. Ela não fica abalada com a conversa de Gonçalo e garante que só vai descansar quando tiver respostas sobre o que aconteceu, disparando à queima-roupa se ele também abandonou a filha. Gonçalo insiste que as acusações que lhe faz não têm fundamento e tenta amolecer-lhe o coração relembrando como se davam bem no passado. Leonor diz que apenas se recorda que ele lhe exigiu que fizesse um aborto e que ninguém a impedirá de descobrir a verdade. Patrícia aparece nesse instante e cruza-se com Leonor que sai da estufa apressada. Gonçalo não consegue contar à mulher o teor da conversa que acabou de ter porque Antónia surge com uma pasta na mão, pedindo-lhe que ao filho que a ajude no projecto que a Fundação Queirós está a iniciar com uma escola de São Tomé e Príncipe.

Leonor despede-se de André e tenta perceber se ele lhe pode dar alguma pista sobre o que sucedeu aos filhos, já que abordou o assunto com o irmão. André afiança que Gonçalo nada lhe disse e que quase não fala com ele.

Tina vai a casa de Nuno, onde Joni está alojado, entrando de rompante para o avisar de que iniciou uma guerra por ter colocado gelo nos sacos de uma cliente que ela estava a atender. Joni ainda faz troça e confessa que se tratou apenas de uma brincadeira para a ver zangada e sexy, a deitar fumo pelas ventas. Tina sai tão rápida quanto entrou e Nuno pergunta a Joni quem é aquele furacão. Joni responde que é a sua concorrência e que um dia casa com ela.

Idalina fica de pé atrás quando Rute aparece lá em casa à hora do jantar à procura de Messias, com o pretexto de querer pedir desculpa por não ter acreditado na sua inocência. João conta que o filho está com a irmã Vitória a fazer limpezas no restaurante que vão abrir e Rute fica espantada, despedindo-se logo de seguida. Idalina desabafa com o marido que receia que Messias se deixe enganar por Rute, mas Pedro é de opinião que ele não é tão ingénuo assim. João sugere a Idalina que convidem Leonor e o irmão para jantar, mas quando a mulher pergunta se ele sabe porque é que regressaram depois de tantos anos no estrangeiro, o mestre disfarça e não conta o que sabe.

Leonor conta a Diogo que a sua conversa com Gonçalo não lhe trouxe qualquer novidade sobre o que aconteceu aos filhos e questiona-se se poderá confiar em André, pois ele é afinal irmão de Gonçalo e afirma que pouco ou nada sabe sobre o assunto. Diogo acha que André é porreiro e Leonor revela que ele está disposto a avaliar-lhe o currículo, pois precisa de um novo programador informático para a sua empresa. Diogo confessa que até gostaria de lá trabalhar, lamentando no entanto não estar no Dubai. Leonor sorri e diz que não quer jantar, preferindo fazer mais pesquisas sobre o passado, no computador. Diogo vai comer sozinho e ela recomenda-lhe que não ingira mais porcarias.

André discute com Gonçalo, censurando-o por não querer falar com Leonor e por nunca ter assumido as suas responsabilidades. O irmão fica furioso e aconselha-o a não se meter na sua vida. André não se atemoriza e ainda o irrita mais, vincando que ele podia ao menos poupar Patrícia que anda cada vez mais nervosa com tudo o que se tem passado. A cunhada aparece nesse momento e pergunta se estão a discutir. André responde, agastado, que não havia necessidade de haver discussão, se Gonçalo falasse normalmente com Leonor. Antónia faz com que todos se calem quando os chama para jantar. Patrícia sussurra para Gonçalo se Leonor descobriu alguma coisa e o que é que André queria. O marido responde a seco que depois fala com ela, deixando Patrícia ainda mais ansiosa.

Madalena brinda com Sebastião às surpresas da vida, maravilhada com o jantar que ele preparou. Enquanto ela afirma que não acreditava ser possível estar a jantar com alguém a quem foi devolver um bloco perdido, o escritor graceja e diz que a situação se repete com frequência. Entre sorrisos, acaba por confessar que afinal é a primeira vez que tal lhe acontece.

Sara, elogia o jantar de Laurinda e a sogra comenta, com boa disposição. que não sabe se ela terá boa mão para executar a receita. Henrique pressiona Filipe e avança que será útil que ele acompanhe o mestre João no barco de pesca. O filho protesta, pois só quer trabalhar no escritório e Henrique aproveita para lhe atirar à cara que os seus anteriores negócios faliram por não saber tudo sobre eles. Sem se deter, Henrique pergunta por Mateus e fica irritado quando Laurinda conta que ele foi jantar fora mais uma vez. O marido prossegue o interrogatório e quer saber de Madalena. Ao saber que ficou em casa de uma amiga, quer saber de Bento. Este entra em casa nesse momento e conta que só está a chegar naquele momento porque foi obrigado a ir beber uns copos com amigos. O cunhado censura-o por não ter avisado a irmã, mas Laurinda compadece-se de Bento e vai servir-lhe o jantar, notando que está vidrado do arroz doce.

Messias e Vitória concluem a limpeza no restaurante e conversam sobre o que fazer com o mobiliário. Ela quer restaurar o existente, enquanto o irmão prefere comprar tudo de novo. Enquanto estão neste debate, Rute aparece com uma pizza nas mãos e começa a insinuar-se a Messias, que se mostra grato e sem perceber que ela está com o olho no seu dinheiro. Já Vitória engole a irritação por ver que o irmão continua a ser ingénuo e come uma fatia de pizza.

Patrícia fica furiosa com Gonçalo, porque o marido se prepara para sair depois de ter jantado, recusando-se a ter de lhe dar satisfações. Ainda por cima culpa-a pela morte do bebé que deixou na igreja, levantando suspeitas a Leonor que aquele era o seu filho. Patrícia fica muito magoada e devolve o ataque, lembrando que ele é que era o pai da criança. Gonçalo resmunga que não espere por si e ela fica em choque com a possibilidade de poder ter responsabilidades na morte da criança.

Sebastião e Madalena continuam a jantar e estão cada vez mais desinibidos por causa do vinho que toma e começam a tratar-se por tu.

André regressa a casa e quando acende as luzes fica surpreendido ao encontrar Patrícia, que toma uma bebida. Ela confessa a sua mágoa por ser tratada com indiferença por Gonçalo, revelando que ele ficou irritado ao encontrar Leonor lá em casa. O cunhado assume que quis ajudá-la e pergunta se Patrícia já sabe da história de Leonor com Gonçalo e da gravidez que escondeu. A cunhada aproveita para manchar a imagem da amiga, dando a ideia que ela foi irresponsável ao lidar com a gravidez e que, na verdade, nunca quis ter um filho. Patrícia adivinha que André está a ficar muito próximo de Leonor, advertindo que ela não é a vitima que parece. André não se deixa envenenar e Patrícia fica desapontada, voltando a beber depois de ele se ir deitar.

Entretanto, Gonçalo vai com Marta para um hotel que, por acaso, é o mesmo hotel em que Leonor e Diogo estão alojados. Gonçalo beija a amante e diz que só quer esquecer a vida que tem. Ela corresponde e murmura que está ali para isso.

Para Leonor, noite traz-lhe mais um pesadelo em que vivencia a perda do filho na sala de partos, descortinando por alguns momentos a cara de Alice que lhe tira a criança acabada de nascer, levando-a, numa outra imagem, para uma campa de cemitério. Leonor desperta da sua angustia e grita pelo filho.

De manhã, Gonçalo despede-se de Marta e beija-a. Nesse momento, Leonor regressa ao seu quarto e esconde-se, observando Gonçalo e a amante juntos. Quando entra no quarto não comenta nada do que viu com Diogo e conta ao irmão que vai ver uma casa que André lhe arranjou e que poderão arrendar se lhes agradar.

Patrícia não consegue concentrar-se no trabalho e só consegue recordar o momento em que abandonou o filho de Leonor na igreja.

Carlota toma o pequeno-almoço com o pai, radiante com viagem que vai fazer com ele e com a mãe. Martim assume que preferia que ela não perdesse aulas, mas acaba por se resignar. Kika senta-se à mesa e Carlota critica-a por estar a atrasar a ida para o colégio. Martim acaba com a discussão e Kika confessa que também gostava de viajar com os pais.

Leonor fica muito satisfeita com a casa que acaba de visitar na companhia de André e agradece-lhe por ter falado com os seus amigos para que lha arrendassem. No entanto, o momento faz com que Leonor quebre emocionalmente e comece a chorar, dizendo que desde que regressou a Portugal sente a presença do filho. André confessa que não suporta vê-la chorar, enquanto a abraça. Ela aninha-se e ele não resiste a beijá-la com grande paixão. Leonor corresponde e deixa-se envolver no beijo. (conclusão)

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close