Mariana Pacheco fala de Catarina, a grande vilã de “Coração d’Ouro”


Foto: Lux

Foto: Lux

Mariana Pacheco ainda pode ser vista como a doce Tânia de “Bem-vindos a Beirais”, mas em setembro prepara-se para entrar casa dos portugueses como a pérfida Catarina de “Coração d’Ouro”.

A atriz de 23 anos já está a gravar a nova novela da SIC e vai ser a grande vilã da trama de Pedro Lopes, onde interpreta a filha da personagem de Rita Blanco.

«As gravações estão a correr muito bem. Estou superfocada neste trabalho», revelou Mariana Pacheco à revista TVMais.

A relação com Rita Blanco já tem química gerada segundo a atriz: «Serei a filha da Rita Blanco. E um sonho! Muita gente disse-me maravilhas sobre ela, mas nada como comprovar isso ao vivo. Já criámos uma ligação genuína. Ela é extraordinária! Excelente colega e sempre pronta a ajudar. E superdivertida».

Embora já tenha uma carreira com alguma dimensão, este será o maior papel da atriz até à data e é apontada como mais uma das grandes revelações do canal de Carnaxide.

As expectativas estão altas e a artista não quer desiludir os que apostaram em si: «Prefiro não sentir o peso da responsabilidade. Quando estou agravar quero, sobretudo, mostrar um bom trabalho, perceber a personagem e dar o meu melhor», afirma.

As gravações de “Coração d’Ouro” vão desenrolar-se entre Lisboa e a zona do Douro, no norte do país. Ter a produção deslocada não é nada que preocupe Mariana Pacheco: «Vou andar sempre entre Lisboa e o Norte. Sou apaixonada pelo Porto! Por mim, vivia lá. E também vou gravar no Douro», garante, acrescentando que gosta de «trabalhar sob pressão».

Para interpretar Catarina, uma jovem fria, calculista, ambiciosa e assassina, Mariana fez uma longa e intensa preparação: «Uma personagem não se cria do dia para a noite. Não é como carregar num botão. Está a ser um processo de construção e um grande desafio», terminou.

A má da fita de “Coração d’Ouro” estreou-se com 9 anos na novela “O Jogo” (2003) da SIC. Entre 2005 e 2006 foi Teresinha em “Morangos com Açúcar”. Depois passou por “O Bando dos Quatro” (2006), “Floribella” (2007) e “Dancin’ Days” (2012) até chegar a “Bem-vindos a Beirais”.

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
  • Fabio Sousa

    A Mázinha da vez……

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close