Mau ambiente entre atores de “Destinos Cruzados”


Destinos Cruzados

Mau ambiente entre atores de “Destinos Cruzados”

Após terem saído algumas noticias na imprensa especializada que davam a conhecer o mau ambiente vivido entre algumas estrelas de “Destinos Cruzados”, a TV Guia desta semana vem confirmar este facto.

Segundo a revista , Rita Pereira e Nuno Homem de Sá têm vindo a mostrar tensos nos bastidores da novela de António Barreira, evitando trocarem qualquer palavra.

«Não está a ser fácil. Eles não se entendem desde que o Nuno disse que na novela existiam muitas mulheres e muitas estrelas. A Rita ficou ofendida e, desde aí, as coisas nem sempre correm bem», explica uma fonte próxima da produção.

O mau ambiente vivido em nada tem afectado o andamento das cenas da novela: «Apesar de tudo, são profissionais e fazem as cenas à primeira. Só que quando acabam nem falam um com o outro», conta a mesma fonte.

Confrontado pela TV Guia, Nuno Homem de Sá não quis tecer qualquer comentário. No entanto, o ator confessa: «Isto tem um elenco fortíssimo de mulheres… e de homens… e não é pera doce para a produção atender a tantos desejos, tantas vontades. Eu já estou habituado.»

Mesmo assim, o Humberto de “Destinos Cruzados” desabafa, sem referir qualquer nome: «Há pessoas que são atores e há pessoas que deviam ser mais humildes. Quando há muitas mulheres todas querem a mesma atenção. Não é fácil dá-la a todos por igual. E há umas que querem o que não merecem».

E vai mais longe: «Não ligo a estrelas, nunca liguei… nem aturo. Não colaboro com certas situações. Nunca colaborei. Não aturo certas coisas. Mas não faço a vida negra a ninguém. Mas também não gosto que me deitem abaixo», explica.

Apesar destes problemas, Nuno Homem de Sá mostra-se feliz por regressar à televisão:
«Estou a gostar muito de fazer esta novela. Estou a trabalhar com pessoas muito boas, como a Alexandra, o Virgílio, a Rita Loureiro, a Marina Mota… e que trabalham muito mais do que eu.»

«Passo bem sem ser estrela. Não sou exigente, não faço a produção perder a cabeça. Trato todos com profissionalismo. O que faço todos os dias é vir gravar, fazer o meu trabalho e, depois, volto para casa, para a minha família. Isso é o mais importante», conclui

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close