Miguel Guilherme está a gostar da experiência de “Mundo ao Contrário”


Mundo ao Contrário

Miguel Guilherme está a gostar da experiência de “Mundo ao Contrário”

A carreira de Miguel Guilherme nunca rimou com novela, mas depois de ter assinado um contrato de exclusividade com a TVI e de ter tido uma personagem de destaque em “Doce Tentação”, o ator não esperou muito e já está de novo no ar em “Mundo ao Contrário”.

À TV7 Dias, Miguel Guilherme considerou o atual projeto em «tudo diferente, a história e o papel». O ator está a gostar da experiência que Simão, um homem bairrista e de bom coração, lhe está a proporcionar. «O Simão é uma espécie de self made man [alguém que evoluiu sozinho]. Ele é rico, mas veio de baixo. Começou por ser empregado de mesa e depois enriqueceu com uma cadeia de restaurantes de frangos para fora. É um tipo com muito dinheiro, mas com os pés bem assentes na terra, ou seja, é humilde na sua forma de vida», confessou à publicação da Impala.

Para o também humorista, esta personagem é um gomem de caráter: «Um dos seus restaurantes fica no bairro, onde se vai centrar a maior parte da história da novela. Este é um bairro problemático. Ele poderia perfeitamente vender esse restaurante, que não lhe iria fazer diferença absolutamente nenhuma, mas isso só não acontece porque ele não quer, uma vez que foi ali que começou e está muito agarrado àquelas pessoas, a quem dá os frangos. Nem os vende», refere.

Durante os primeiros episódios já foram lançadas vários indícios acerca de um possível envolvimento entre Simão e Constança, vivida por Margarida Marinho. Miguel Guilherme prefere não comentar nem lançar pistas acerca do futuro. «Não sei se eles vão explorar esta relação do Simão e da Constança. Eles conhecem-se porque o filho da minha personagem namora com a filha da Constança, ou seja, as famílias conhecem-se e frequentam os mesmos meios».

Apesar das incertezas, o ator admite que esse pode ser o caminho de “Mundo ao Contrário”: «Tudo indica que sim, mas não posso afirmar isso com toda a certeza. Não tenho muita informação a esse respeito», conclui.

A terminar, Miguel Guilherme confessa ainda que, embora não seja muito recorrente na sua carreira, não desgosta do formato novela. «Gostei muito de fazer a “Doce Tentação”, mas já há alguns anos também tinha feito uma novela para a SIC, que se chamava “O Jogo”», termina à revista semanal.

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close