Ministro Poiares Maduro defende maior oferta de canais na TDT

O ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional voltou a defender, em Coimbra, uma maior oferta de canais na TDT, de forma a criar uma «maior concorrência» com os operadores da televisão por cabo.

«A oferta de canais de sinal aberto é insustentável e não é aceitável», criticou Poiares Maduro, afirmando que haverá uma «discussão pública» para breve sobre o futuro da televisão digital terrestre (TDT), que vai envolver a Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) e a Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM).

O ministro, que falava na sessão de encerramento do congresso ‘Os desafios dos media de serviço público’, no Auditório da Reitoria da Universidade de Coimbra, voltou a referir a importância da RTP para «apoiar a produção audiovisual independente», considerando que essa externalização de serviços pode ser «o valor acrescentado do serviço público» de televisão e de rádio. Portugal tem «um mercado em que os operadores privados estimulam muito pouco o mercado independente», sendo a função do operador público apoiar «mais criadores e produtores independentes», ao mesmo tempo que tem de garantir «capacidade interna para não estar dependente» desses mesmos produtores. Poiares Maduro referiu também que a RTP vai participar num «programa de jovens criadores, onde haverá crowdfunding [financiamento colaborativo]» e que será «parcialmente apoiado pelos operadores de televisão».

O ministro frisou, durante a sessão de encerramento do congresso, que decorreu entre terça e quarta-feira, que também será apresentado um novo modelo governativo em que se prevê existir um conselho geral com o poder de nomear o conselho de administração da RTP. «Vai ser um conselho geral verdadeiramente independente, com pessoas com credibilidade», de forma a «reduzir o risco da percepção de governamentalização» da RTP, defendeu Poiares Maduro à comunicação social, não adiantando de que forma esse mesmo conselho geral será constituído e nomeado. O ministro revelou também que «a reforma profunda da RTP» estará concluída «em poucos meses».

(Com Lusa)

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close