Moniz comenta a sua intervenção em “O Beijo do Escorpião”


jose eduardo moniz

Iniciadas as funções de consultor para a ficção da TVI, José Eduardo Moniz teve como primeiro desafio recuperar a novela “O Beijo do Escorpião”. O objectivo foi alcançado mas Moniz rejeita «qualquer toque de Midas».

«Há conversas úteis com a equipa de autores e com a produção que levaram a que se tomasse um conjunto de iniciativas que fizeram que a novela se relançasse», disse o ex-director da estação, referindo que «a partir do momento em que se deram alguns toques na história, e os autores fizeram um trabalho inestimável a esse nível, a novela cresceu. Fizemos com que o espectador se sentisse atraído por ela outra vez».

Moniz destaca o rapto da personagem André em Lloret de Mar como um momento importante «na medida em que se aproximou mais a novela da realidade. Chamou a atenção para a novela, introduziu a tensão de que ela não dispunha, a não ser a partir dos actos que tinham todos a mesma origem: a personagem Alice».

Este primeiro trabalho como consultor para a ficção da TVI foi para si um grande desafio: «Provar que era possível recuperar uma novela que toda a gente considerava morta tornou-se para mim um imperativo».

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close