Morreu o ator João Ricardo [1964-2017]


João Ricardo

João Ricardo

Morreu o ator João Ricardo. O estado de saúde agravou-se nas últimas horas e levou a um internamento de urgência no Hospital S. Maria, Lisboa.

Já durante o dia de hoje o quadro clínico sofreu um novo agravamento. João Ricardo morreu aos 53 anos de idade.

Recorde-se que havia sido diagnosticado um tumor na cabeça em 2016, tendo sido submetido a uma operação para a remoção do mesmo.O ator deixou o elenco de “Rainha das Flores” para recuperar.

Já este ano ingressou em “Espelho D’Água”, também da SIC, mas «o tumor reapareceu», como confirmaram os representantes do ator em comunicado. O artista foi mais uma vez obrigado a sair de uma novela.

Com uma carreira televisiva de cerca de 30 anos, o ator estreou-se em televisão com o telefilme de 1988 “A Última Viagem” (RTP). Seguiram-se as séries “Caixa Alta (RTP, 1989) e “O Quadro Roubado” (RTP, 1992).

Em 1993 entrou na série francesa “Deux Justiciers Dans la Ville” e na série da RTP “Ideias Com História”. Regressou em 1996 à televisão com “Mistérios de Lisboa”.

A popularidade surgiu nesse ano de 1996 com os bonecos do “Big Show SIC” (SIC) e abriram as portas da comédia. Foi difícil para João Ricardo libertar-se, depois, deste rótulo.

A adaptação do grande clássico da rádio, “Lelé e Zequinha” (1997, RTP) deu-lhe a consagração ao grande público. Nesse ano participou ainda na peça de teatro “A Maluquinha de Arroios” e na sitcom “Nós os Ricos” (ambos na RTP).

Em 1998 João Ricardo ingressou no elenco do telefilme “Paris Hotel” e emprestou o talento ao espetáculo de rua “Peregrinação” da Expo 98.

Estreou-se na TVI em “Todo o Tempo do Mundo” em 1999. No mesmo ano fez ainda “Cruzamentos” para a RTP1.

Em 2000 faz para a RTP a série de época “Almeida Garrett” e no ano seguinte, também para a estação pública, a série “Fenómeno”.

Regressa à TVI em 2003 para “Coração Malandro”. Contracenou com Margarida Marinho num dos pares mais excêntricos de sempre das novelas portuguesas.

O cinema chegou em 2003. O primeiro filme da carreira de João Ricardo foi “A Passagem da Noite” de Luís Filipe Rocha.

Em 2004 participou num episódio da série “Inspector Max” (TVI) e voltou ao cinema com “A Costa dos Murmúrios” de Margarida Cardoso.

No ano seguinte provou que nem só de comédia podia viver a sua carreira com o ponderado Duarte de “Mundo Meu” (TVI).

Em 2006 regressou à RTP e às séries de época com “Bocage” e nesse mesmo ano entra em “Tempo de Viver” (TVI), mais uma vez com uma personagem séria.

“Corrupção”, polémico filme português de 2007, também contou com o talento do ator João Ricardo. Nesse mesmo anos também figurou em “Deixa-me Amar” (TVI).

2008 foi dos anos mais intensos na carreira. Esteve em “Liberdade 21” (RTP), “Podia Acabar o Mundo” (SIC), “Equador” (TVI) e “Morangos com Açúcar” (TVI). Foi ainda o ano de entrada na SIC como ator exclusivo, condição que manteve até à morte.

Ainda nesse ano de 2008 participou no “A Corte do Norte”, fazendo um raro pleno. Esteve nas três estações e ainda no grande ecrã.

Em 2010 participou em “Cidade Despida” e “Voo Directo” (ambas da RTP) e ainda “Filme do Desassossego”. No ano seguinte esteve em “Mistérios de Lisboa” (TV Mini-Series) e em 2014 em “Eclipse em Portugal”.

Na última década a carreira de João Ricardo esteve sempre ligada à SIC e foi o ator que mais novelas fez na estação. Tudo começou em 2008 com “Podia Acabar o Mundo”.

Ao todo o ator participou em 10 novelas de Carnaxide em cerca de 9 anos de contrato. “Perfeito Coração” foi a segunda experiência do género na SIC.

Em 2010 com “Laços de Sangue” (vencedora de um Emmy Internacional) ganhou ainda mais popularidade graças ao excêntrico Coutinho.

A cómica personagem voltaria, depois, em “Rosa Fogo” num dos raros crossovers da ficção televisiva portuguesa.

Em “Dancin’ Days” e “Sol de Inverno” voltou a experimentar a comédia, que manteve com o impagável Bento de “Mar Salgado”.

Em 2016 regressou às personagens dramáticas com o Domingos de “Coração D’Ouro”. Ainda nesse ano inicia os trabalhos na novela seguinte.

“Rainha das Flores” trouxe-lhe o primeiro grande vilão da carreira. O ator teve, no entanto, que sair a meio da trama para iniciar os primeiros tratamentos a um tumor na cabeça.

Resiliente, regressou já este ano em “Espelho D’Água (ainda em exibição na SIC). O estado de saúde de João Ricardo agravou-se, no entanto, e o Mário da trama teve de deixar a produção.

João Ricardo faleceu hoje aos 53 anos de idade. Para a posteridade fica a carreira de 30 anos e  perto de 50 participações em ficção audiovisual.

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close