«Não perco nem a feijões», José Eduardo Moniz em relação a “Jardins Proibidos”


Sem qualquer cargo executivo na TVI, José Eduardo Moniz regressou para prestar consultoria às tramas da estação de Queluz de Baixo.

Com mudanças feitas em “O Beijo do Escorpião” e acertos em “Mulheres”, o ex-diretor geral prepara agora a primeira novela pensada por si, nesta nova era.

“Jardins Proibidos” chega para liderar no horário nobre da TVI e fazer frente a “Mar Salgado”, que deve estrear pela mesma altura na SIC.

Em 2000, a trama protagonizada por Vera Kolodzig fez história ao bater a ficção exibida na SIC. Volvidos 14 anos, José Eduardo Moniz não admite derrotas.

«Foi uma novela que deixou grandes saudades, que ajudou a TVI a impor a sua produção. É um marco da história», conta o homem-forte da ficção da quatro à TV Guia.

Habituado a vencer quando comandava a estação, o agora consultor nem pensa na derrota: «”Jardins Proibidos” [de 2000] é um excelente ponto de partida para esta novela ser também ganhadora e forte. Porque eu não perco nem a feijões», garante José Eduardo Moniz

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close