“Nazaré”: Duarte e Bárbara casam-se e Nazaré vê tudo… disfarçada

"

A novela “Nazaré” está ao rubro. Nos próximos episódios da trama da SIC muita coisa vai mudar na história de Nazaré e Duarte. Com a morte de Félix, a história avança seis meses e a revista Maria revela o que se vai passar neste tempo.

Nazaré viu-se obrigada a fugir do País para não ser presa por um crime que não cometeu. Apesar de sofrer por estar longe, a jovem tenta não saber do que se vai passando por cá, mas o amor a Duarte acaba por falar mais alto e ela não resiste a marcar presença no dia do casamento dele com Bárbara.

A noiva vai intimando os preparativos, juntamente com os empregados.

– Despachem-se, pelo amor de Deus! Que horas são? Alguém sabe as horas? Os convidados a chegar e eu nesta figura!, diz ela, já muito nervosa

– Ei… respira, tem calma, pede Duarte, deixando-a ainda mais irritada

– Ainda nem me vesti, daqui a pouco, preciso de outro banho, ando de um lado para o outro, o cabelo está espetado… Não digas mais nada, a sério!

Nisto, Dolores tenta acalmar a filha e quer saber se ela não vai contar ao noivo porque está assim.

– Claro, mãe! Mesmo antes do casamento, vou-lhe dizer que o amor da vida dele voltou!, responde Bárbara, que é surpreendida pela mãe:

– Tu és o amor da vida dele. Não podes viver com esta sombra da Nazaré para sempre. Com ou sem ela aqui, tens de confiar em ti… E no Duarte. Confia no vosso amor.

Porém, a futura mulher de Duarte tem medo que Nazaré regresse e que ele perceba que ainda gosta dela

Entretanto, Érica está com Yara ao colo, que começa a choramingar. Luís entra nessa altura e Dolores faz uma festa quando vê o filho, já Érica mostra algum desconforto ao mesmo tempo que tenta acalmar a filha, que não para de chorar.

– Não estará muita confusão aqui para ela?, questiona ele, ao que a prima de Duarte diz que vai levá-la para o quarto.

Em cima da cama, a jovem mãe despeja o conteúdo do saco da bebé à procura do suplemento, mas não o encontra e começa a ficar aflita.

Nisto, Verónica aparece e traz consigo o suplemento.

– E disto que estás à procura?, questiona ela, humilhando a filha à frente de toda a gente.

– O Duarte não vai gostar de a ver aqui, interrompe Bernardo, mas a vilã não se incomoda com isso.

– Como é que te esqueces do suplemento da menina? É esse tipo de irresponsabilidade que só mostra que não estás preparada para cuidar de uma bebé. Estavas mais preocupada em vir para a festa, continua Verónica, que manda calar Luís, dizendo-lhe que ele nem é o pai de Yara.

Irritada, Érica vai dizendo que é muito bem capaz de cuidar da filha. Luís manda a vilã sair, esta resiste, mas chega Duarte.

– Fora daqui! Fora!, grita o noivo.

– Larga-me!, vai dizendo Verónica.

Ao ouvir a discussão, Bárbara, vestida de noiva, sai do quarto para ver o que se passa.

– Acabou! Vais sair daqui agora!, continua Duarte, enquanto empurra a tia.

Verónica esbarra em Bárbara e, para não perder o equilíbrio, agarra-se ao vestido de noiva, rasgando-o.

– O meu vestido. Olha o que é que fizeste!, diz ela a chorar.

– Era isto que querias? Destruir o meu casamento?, questiona Duarte.

Momentos depois a vilã é expulsa.

Mas este não será o único momento a deixar os nervos em franja com o vestido de noiva de Bárbara, ela ainda tem esperança que o casamento não se concretize, mas Dolores não aguenta ver a filha tão chorosa e remedeia a situação.

Laura, por sua vez, chega nesse momento e consegue apaziguar as coisas, fazendo com que Verónica se vá embora e a cerimónia prossiga

– Era suposto ser um dia perfeito, afirma a noiva, muito chorosa.

– E ainda pode ser. Tu vais casar com o homem que amas, mais nada importa, querida. O vestido está pronto, tu só precisas de dar um jeito à cara e esquecer este drama, aconselha Dolores.

Infiltrada na festa está Nazaré. Receosa que alguém a reconheça, ela usa uma peruca loira e veste uma roupa igual à dos empregados.

O conservador dá início à cerimónia e quando chega à parte em que questiona os presentes se querem dizer algo, Nazaré hesita, mas a chegada de Toni vem mesmo a calhar.

– Não faças isso… Se abres a boca, vais presa, pede-lhe ele.

– Ele já não te ama. Vai casar com outra. O que é que ganhas em mostrar-te? Achas que ele vai desistir do casamento por te ver?, continua Toni.

Triste, a jovem fica sem palavras, mas é obrigada a concordar com ele.

No momento cia boca de alianças entre Duarte e Bárbara, Toni leva Nazaré para a cozinha, mas Laura mantém-no debaixo de olho, já que estranha ele estar ali… nunca acreditando que ele tenha sido convidado.

– Já está… Casaram. Acabou, Toni. A minha história com o Duarte chegou ao fim. Vim porque tinha de ver com os meus próprios olhos. Eu amo-o. Amo-o! O que é que queres que eu faça com o que sinto?, afirma ela, questionando?

– E tu, porque vieste?

– Vim vê-la casar. A cena das pessoas se arrependerem mesmo na altura do ‘sim’, só acontece nos filmes, responde ele.

Nessa altura, Nazaré diz-lhe que Bárbara não faz assim tanto o género de Toni, ao que este responde que Duarte também não faz o dela.

No fim da cerimónia, Nazaré sente vontade de revelar-se, mas Toni, mais uma vez, chama-a à razão:

– Vamos mas é embora daqui antes que a Laura te veja.

A verdade é que Laura, que já não é inspetora da Polícia, acaba por se deslocar à cozinha à procura de Toni. Ao ver uma jovem a lavar a loiça, ela puxa-a, achando que é a filha de Matilde… mas engana-se.

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close