“Onde Está Elisa?”: Resumo dos próximos episódios

"

Episódio 29 (29 de outubro a 4 de novembro)

Júlio e Carlos continuam a olhar-se em desafio. O telefone de Carlos toca, é Rui. Rui diz que está a ligar porque Francisca recebeu uma chamada de Elisa. Rui dúvida por Francisca andar perturbada e comenta não estar a gostar do desempenho de Júlio. Carlos diz que é importante que falem com a polícia para saber se é possível localizar a chamada.

Bruno envolve-se com duas mulheres. O telefone de Bruno vibra, é Constança. Constança abre a porta do atelier e encaminha-se para o gabinete de Bruno e fica pasmada ao ver Bruno com duas mulheres, a beijarem-se e a acariciarem-se. Bruno age com naturalidade, como se calculasse que Constança iria aparecer. Constança sai furiosa do gabinete e atira para o chão a maquete do Centro Cultural.

Olívia fala ao telemóvel com Inácio enquanto aguarda Constança. Vê duas mulheres a saírem apressadas e decide encaminhar-se para o edifício. Bruno e Constança insultam-se e Constança parte para a violência. Olívia chega e separa-os. Sebastião está a trabalhar no café e Ana provoca-o. Olívia tenta acalmar a irmã e Inácio acaba por sair da sala.

Matilde e Gonçalo estão chateados por os pais não estarem em casa e resolvem ir visitar Sebastião ao café.

Olívia tenta acalmar Constança e diz-lhe que o melhor será divorciar-se, com Constança a dizer que não vai abdicar daquilo que construiu. Francisca e Rui recebem Júlio e Carlos e falam sobre o telefonema de Elisa.

Rui, Francisca, Júlio e Carlos aguardam a confirmação da localização da chamada. Entretanto Rui recebe uma mensagem de Joana, mas rapidamente desliga o ecrã para Francisca não ver. Rui olha um pouco aflito para Carlos que o observa, conhecedor. Júlio recebe telefonema a dizer que localizaram a chamada de Elisa de uma cabine. Sebastião serve sumo de laranja com vodka aos primos sem que Manuel se aperceba. Gonçalo e Matilde estão animados sob o efeito do álcool. Matilde tenta seduzir Manuel. Júlio e Carlos chegam à cabine telefónica e inspecionam o local. Matilde e Gonçalo entram em casa e tentam não fazer barulho. Ouvem a porta da rua e dirigem-se para lá.

Constança entra e está bêbada. Matilde tenta ajudar a mãe e Gonçalo reforça a ideia de que os pais não devem continuar casados se não estão bem juntos. Polícia científica procura impressões digitas e outras pistas na cabine. Raquel chega e diz a Júlio que acredita que o telefonema foi mais uma partida.

Carlos atende Francisca e pergunta-lhe se já há novidades sobre a Elisa.

Carlos aproxima-se de Júlio e Raquel e sugere que se peçam as imagens da câmara de segurança do banco que está ali ao lado. Beta pergunta a Constança se está tudo bem e informa que Gonçalo e Matilde ainda não apareceram para o pequeno-almoço. Constança diz que vai ver o que se passa. Francisca emociona-se com o apoio de Sofia. Entretanto surge Rui ao telefone com Júlio que pergunta como conseguiram deixar escapar Elisa, depois dela aparecer em mais um sítio público.

Rui irritado desliga o telefone e comenta com Francisca que não sabe qual dos inspetores é pior. Alexandra entra no atelier e depara-se com um ambiente caótico e chama por Bruno. Alexandra entra no gabinete de Bruno, que está no chão estendido, inconsciente. Raquel continua a ver as imagens da câmara de vigilância. Júlio diz que vai falar com Tiago para despedirem Carlos. Raquel fica preocupada. Tiago conversa com Anabela e ela diz-lhe que Carlos não está desequilibrado, está até bastante coerente. Raquel conseguiu aumentar um pouco a zona das imagens que mostra o exterior e consegue distinguir uma figura isolada a dirigir-se para a cabine. Júlio queixa-se de Carlos a Anabela e Tiago. Entretanto Raquel entra e diz que Carlos tinha razão sobre as imagens da câmara de vigilância do banco. Há imagens de Elisa.

Tiago, Júlio e Raquel analisam as imagens da câmara de vigilância do banco. Alexandra não aprova o comportamento de Bruno e lembra-se que está prestes a chegar um fotógrafo de uma revista. Bruno sai apressado para se ir arranjar. Alexandra faz menção de ir ligar a Olívia, mas desiste. Sebastião pergunta se está tudo bem com os pais de Gonçalo, uma vez que ouviu dizer que Bruno se envolveu com duas mulheres no atelier.

Sebastião continua em tom provocador e Gonçalo dá-lhe um murro. Bruno faz poses para a câmara para parecer jovial e acordado, mas a ressaca é evidente. Júlio faz ponto situação do caso Elisa e alerta que o aparato policial em torno da cabine telefónica atraiu muitos jornalistas. Na TV, Júlio fala para os repórteres e Carlos assiste. Tocam à campainha. Carlos desliga a televisão e abre a porta a Tiago, que vê todo o aparato sobre a investigação sobre Elisa. Bruno acabou de dar a entrevista. Gonçalo entra furioso no atelier e dá um violento empurrão ao pai e pergunta como foi capaz de fazer aquilo. Tiago diz que deveriam ponderar que ele voltasse a liderar a investigação.

Carlos comenta que acredita que a história da fotografia e da ameaça ao Petrovich seria para o culpar do assassinato de Vânia e não para o afastar do caso Elisa. Gonçalo continua exaltado com o pai e Bruno tenta justificar-se. Gonçalo diz que o melhor é mesmo os pais se divorciarem e sai.

Páginas: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close