“Ouro Verde”: Resumo dos próximos episódios

Anterior1 de 34Seguinte

Resumo dos próximos episódios de “Ouro Verde”:

Episódio 192 (21 a 27 de agosto)

Bia fala ao telemóvel com Jorge, que lhe diz estar de volta a Portugal, mas que lhe conta melhor como conseguiram resolver as coisas com Laurentino quando chegar. Bia desliga e Aparecida vem avisá-la de que Inês está à sua espera na sala.

Lúcio mostra-se frustrado diante de Sérgio por nada ter podido fazer contra Otelo, a quem se refere como mentiroso profissional, afirmando que não o espantaria que ele fosse cúmplice de Miguel em vários crimes.

Laurentino continua amarrado à árvore e quando um peão lhe vai dar água, Edson impede-o de o fazer, dizendo que Laurentino vai pagar na terra pela morte de Neném e pela desgraça de Aparecida, acrescentando que aquilo é apenas o começo da tortura.

Lúcio diz a Sérgio que já esteve perto de apanhar Miguel e Otelo quando Joaquim destruiu o caderno de Pezão e os dois disfarçam quando Judite se aproxima. Esta pede ao irmão que dispense Sérgio por um dia, pois quer voltar para casa.

Bia vai ter com Inês à sala e as duas mostram-se constrangidas. Inês diz a Bia que veio falar com ela sobre a associação e Bia pergunta-lhe se já tomou alguma decisão em relação à proposta de ficar à frente da mesma.

Amanda acorda e depara-se com José a olhar para si, ficando envergonhada. De seguida diz-lhe que deviam adiar a cerimónia religiosa porque não se sente bem com o facto de irem casar quando passou tão pouco tempo sobre a morte de Catarina.

Inês diz a Bia que não pode aceitar a proposta dela porque a amiga lhe mentiu numa questão que é um princípio fundamental para si, e Bia pergunta-lhe se a associação «Mundo Verde» vai acabar.

José diz a Amanda que já suspeitava que ela fosse ter aquela reação e diz que pediu ao Padre Sebastião que passasse lá por casa, mas Amanda diz apenas que aquele não é o melhor momento para a cerimónia religiosa.

Rita chega a casa de José quando Mónica e António estão a tomar o pequeno-almoço e diz-lhes que está a ajudar José na organização do casamento. Mónica trata-a com ironia, mas Rita nem liga e, quando a cunhada sai, desfaz-se em simpatia com António, que não sabe como reagir.

Miguel ordena a um jornalista que lhe forneça uma lista de todos os informadores, de acordo com os contactos que possuem.

Inês diz a Bia que ela está a dramatizar, pois vai encontrar alguém competente que dirija a associação, afirmando que não quer ser acusada de oportunista por ficar com um projeto criado por Bia.

Rita deixa António ainda mais surpreendido ao elogiar o sacrífico que Mónica fez para assumir o comando do banco quando não havia mais ninguém na família capaz de o fazer.

Bia diz a Inês que jamais seria acusada de oportunismo, mas esta diz que se sente bem assim e corta relações com Bia, frisando que não vai mudar de ideias quanto à associação.

Rita diz a António que não se dá bem com Mónica, mas sabe reconhecer-lhe o valor, recusando o convite de António para tomar o pequeno-almoço e saindo, onde se cruza com o Padre Sebastião, que fica espantado com a postura dela e pergunta a António como é que ele se sente em relação a Inês.

No gabinete de Mónica, Otelo fala ao telemóvel com Maria Teresa, dizendo que têm de apressar as coisas, pois anda um tipo da PJ a morder-lhe os calcanhares e não precisam daquilo naquela altura.

Maria Teresa tranquiliza Otelo, afirmando que já faltou mais para lançarem a grande bomba.

Otelo desliga a chamada quando Mónica entra, a quem dá os parabéns pela maneira como conduziu tudo enquanto esteve à frente do banco, perguntando-lhe por que é que não lhe disse que contou à polícia que ele a tinha levado até Ramos de Almeida.

Na fazenda, Edson monta um cavalo e diz aos peões que deem água a Laurentino, no que eles obedecem, dizendo a este que o vai levar a dar um passeio pela fazenda, o que leva Laurentino a perguntar-lhe o que ele vai fazer.

Mónica diz a Otelo que precisou de abrir o jogo para a polícia, pois Miguel está a acusar o filho de um crime que não cometeu, mas Otelo questiona se Tomás não será mesmo um assassino.

Padre Sebastião fica surpreendido ao ouvir António dizer que, em face às últimas atitudes de Inês, se desligou dela e não tem a menor vontade de voltar para a antiga namorada.

Mónica garante a Otelo que Tomás é incapaz de matar, ao contrário de Miguel, acusando este de estar envolvido na morte dos Magalhães e dos Ramos de Oliveira, mas Otelo diz que não há provas do envolvimento de Miguel nesses crimes.

António diz a Padre Sebastião que não lhe está a custar tanto «largar» Inês como custou em relação a Rita, mas o padre diz-lhe que ele teve uma relação de longos anos com Rita e que o peso da culpa no final de uma relação dessas é gigante.

Mónica diz a Otelo que têm de parar Miguel antes que seja demasiado tarde e Otelo diz a Mónica que, apesar de a ter desiludido, ela é a mulher da sua vida. Mónica pede-lhe que a esqueça para não sofrer mais, até porque ela tem namorado.

Na fazenda, os peões amarram as mãos de Laurentino com uma corda e amarram esta ao cavalo que Edson monta, deixando Laurentino em pânico, que começa a ser a arrastado e a gritar aos peões que façam algo, mas nenhum se mexe.

António e Padre Sebastião conversam, quando aparecem José e Amanda. António diz que tem que ir para o banco e José sai com ele, deixando Amanda e Padre Sebastião a sós para conversarem à vontade sobre o casamento.

Paula, solícita, oferece-se a Judite e a Sérgio para ajudar na limpeza da casa, mas Judite recusa. Paula manda-lhe uma indireta, afirmando que lhe bastava um pouco de dinheiro para mudar toda a decoração da casa dela.

Amanda fala com Padre Sebastião e diz-lhe que não sabe como continuar a viver depois da morte da filha, mostrando-se revoltada por Catarina ter partido e ela ter ficado.

António e Bernardo chegam ao banco e a secretária da presidência diz-lhes que os novos donos marcaram uma reunião para a semana seguinte, o que António diz para confirmar, pedindo a Bernardo que faça uma apresentação completa de todo o património do BBFF.

António entra no seu gabinete e liga a José, a quem diz que o dono do fundo que comprou o banco virá ao mesmo na segunda-feira a seguir ao casamento. José, irritado, diz-lhe que assim seja e, quando desliga, diz a Rita que talvez tenha de adiar a lua-de-mel. De seguida, retomam o assunto do casamento, com José a dizer que é uma pena não terem a comida do restaurante de Vera pois esta encontra-se detida. Rita diz ao sogro que tem uns contactos e vai tratar de um catering em condições.

Padre Sebastião tenta confortar Amanda, que diz que não sente vontade de viver e que está a morrer aos poucos, mas o Padre dá-lhe um valente puxão de orelhas ao dizer-lhe que tem de aproveitar o tempo que lhe resta pela frente.

Judite diz a Paula que não é altura de gastar mais dinheiro, pois não sabe como vai correr o negócio do restaurante, mas Cátia diz que só pode correr bem com ela como relações públicas e cantora, dizendo que Sérgio vai ter que tocar com ela.

Paula recebe uma chamada de Rita e diz-lhe que não tem notícias de Filardi. Esta diz-lhe que não lhe está a ligar por esse motivo, deixando Paula surpreendida com o que ouve.

O jornalista entrega a lista dos informadores do jornal a Miguel, que o despacha. Nessa lista encontra um PJ, de nome Armando, a quem se prepara para telefonar.

Paula, ao telefone com Rita, diz-lhe que a cunhada dela é que preparou toda a comida do jantar e que arrendou o restaurante de Vera, de quem era o braço direito.

Rita diz a Paula que tem um trabalho para elas, revelando tratar-se do catering do casamento de José, o que deixa Paula perplexa.

José entra em casa, onde estão Padre Sebastião e Amanda, que reitera ao marido que não se sente capaz da cerimónia religiosa, mas José acaba por convencê-la, afirmando tratar-se de uma coisa discreta e que vão viajar pelos sítios por onde Catarina andou, como forma de homenagearem a filha.

Miguel fala ao telemóvel com o PJ Armando, ficando a saber que tanto Mónica como Lúcio estiveram com Lúcio na Judiciária.

Judite e Sérgio chegam a casa, reclamando do cheiro de cigarros entranhado na habitação, quando Judite recebe um telefonema de Paula a dizer que Rita a contactou para tratarem do catering do casamento de José.

Judite não sabe se deve aceitar, pois ainda não tem a cozinha do restaurante a funcionar, mas Paula diz que fazem tudo na Quinta do Príncipe e Judite acaba convencida, admitindo que, realmente, começam em grande.

Amanda diz a José e Padre Sebastião que vai pedir que façam um chá e, quando os dois ficam a sós, Padre Sebastião diz a José que ele só está a pressionar Amanda por causa da vinda de Maria Teresa e que aquilo pode dar confusão, mas José diz que lhes basta manterem-se longe de Maria Teresa.

Jorge chega a casa e Bia abraça-o, com ele a pedir-lhe desculpa por ter viajado sem a avisar, mas tinha a ver com Laurentino e Aparecida, escondida, ouve Jorge contar a Bia que caçaram Laurentino graças a Jamisbraun.

Edson chega ao alpendre da fazenda, com Laurentino a ser arrastado e ferido, ordenando aos peões que lhe deem água e Weslane censura Edson, mas este diz que aquilo não é nada, ordenando que o voltem a amarrar ao tronco, pois durante a noite haverá bichos que comecem a penetrar nos ferimentos de Laurentino.

Bia fica chocada quando Jorge lhe diz que Edson vai resolver o assunto à maneira dele e diz ao companheiro que ele pode ser acusado de um crime de morte, mas Jorge diz que há pessoas que não merecem viver, como Laurentino, e que este conhecia as «leis da Amazónia», que são únicas.

Alguns dias depois, a casa de José está preparada para o casamento. Paula e Cátia chegam com ar discreto, e Berta encaminha-as para a cozinha aonde já está a chef Judite.

Bia e Jorge entram no quarto de Mónica, que já está arranjada para o casamento, e lhes conta que José parece uma criança. Nesse momento aparece Salvador, que fica pela primeira vez frente a frente com Jorge.

Salvador pede desculpas a Jorge, que diz que entende perfeitamente o que ele sentiu, garantindo que hão de encontrar o verdadeiro culpado de tudo. A conversa é interrompida por Sancha que diz que a noiva está pronta.

Edson aparece junto de Laurentino, amarrado ao tronco e cheio de ferimentos, mas Weslane diz que Edson não pode continuar com aquela tortura e Laurentino pede ao outro que o mate de vez.

Weslane entra na cozinha, quando ouve um tiro lá fora e a voz de Edson a dizer que podem enterrar aquele demónio.

Jorge vai ter com Amanda ao quarto para a levar ao altar e os dois emocionam-se.

Na sala, os convidados esperam pela noiva e José está uma pilha de nervos, quando aparece Miguel, causando celeuma, mas José permite que o filho fique e Amanda começa a descer a escadaria ao som da marcha nupcial, de braço dado com Jorge.

Aos portões da Quinta do Príncipe para um carro com vidros fumados, aonde estão Otelo e Maria Teresa, que observam a quinta.

Anterior1 de 34Seguinte
Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
  • SofiaP

    Alguém me sabe dizer quando vão postar mais resumos de ouro verde, pf?
    (como tinham feito há cerca de duas semanas… mais detalhados do que aparece no site tvi e “prolongados”)

    E, desde já, muito obrigada pelas info’s e parabéns pelo trabalho 🙂

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close