Para os ‘donos da publicidade’, «a medição das audiências está melhor do que nunca»

A APAN defende o atual sistema

Para a APAN (Associação Portuguesa de Anunciantes), «as audiências estão melhores do que nunca». A associação é um dos três vértices da CAEM. A Comissão de Análise e Estudo de Mercado é formada pelos representantes dos meios, agências e anunciantes.

A presidência da CAEM é rotativa. Cabe, em cada mandato, a um representante dos meios (RTP, SIC, TVI, MEO, ZON…), depois das agências e por fim, dos anunciantes.

Atualmente vive-se uma presidência vinda do âmbito dos meios (Luís Marques), mas a cúpula seguinte vai chegar da área dos anunciantes, ou seja, a APAN. Este organismo vem agora defender, como já o fez noutras ocasiões, a legitimidade do atual sistema de medição e quer, de resto, que ele vá ainda mais longe.

Quando terminar esta polémica à volta da medição Gfk, a APAN quer que a CAEM crie condições para a medição através de um sistema de métrica para as audiências do digital e do outdoor.

A elaboração de um sistema de medição para o outdoor já faz, de resto, parte dos planos da APAN há dois anos, razão pela qual a elaboração de um caderno de encargos que permita avançar com uma consulta ao mercado está mais avançada. Mas, com o investimento médio no digital a crescer, este tema assumiu uma importância redobrada.

Manuela Botelho, secretária-geral da Associação Portuguesa de Anunciantes, não descarta a possibilidade de lançar um concurso para digital e outdoor em simultâneo, aproveitando o «enorme estofo» ganho com o concurso para a medição de audiências de televisão, um processo que admite ter sido muito complexo.

Ao Diário Económico a responsável diz que «para os anunciantes, as audiências estão melhores do que nunca. Hoje, qualquer um dos membros da CAEM sabe exatamente como está o painel, os ajustamentos que ainda há por fazer são pequenos e em nada vão afetar a medição».

Os anunciantes são quem sustentam, em última análise, toda a publicidade gerada em televisão e por isso qualquer que seja a posição da APAN, esta tende a ser seguida, pois só se pode gerar receitas caso a associação de anunciantes confie no sistema de medição e o dê como fiável para poder pagar aos meios os ratings gerados pelos mesmos.

O sistema de medições atual está envolto em polémica desde que foi criado, mas contou sempre com o apoio da APAN que sempre conferiu mais fiabilidade neste sistema e o considera o melhor de sempre.

Mesmo que outros dados sejam divulgados por alguns meios (a TVI divulga dados Marktest), para a Associação que congrega os anunciantes não há outra «moeda de compra e venda de espaço publicitário ou outra ferramenta que não seja os dados da GFK».

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close