“Perdidos e Achados” recorda o Concurso Bebé Nestlé

Perdidos e Achados

78 anos depois da primeira edição o “Perdidos e Achados” recorda o Concurso Bebé Nestlé, que deu origem a anúncios míticos nos jornais e na televisão.

Em 1935, os mais de 300 prémios valiam então 15 mil escudos, entre dinheiro, leite, papas e chocolates.

Da primeira fábrica de leite em pó do país, criada por Egas Moniz, às farinhas lácteas que revolucionaram a alimentação infantil, damos a conhecer o primeiro Bebé Nestlé e outros rostos que ficaram na história do imaginário popular.

Horácio Barata nasceu em 1932, com 3 quilos e 50 centímetros. Orfão de mãe, foi alimentado nos primeiros meses de vida com leite em pó da Nestlé e a curva de crescimento impressionou médicos e nutricionistas. O menino, hoje com 80 anos, ficou conhecido como o primeiro Bebé Nestlé e acabou por tornar-se o símbolo da marca suíça em Portugal.

Ana Esteves e Frederico Mesquita, nascidos em 1949, constam também do Livro de Ouro da Nestlé. Considerados exemplos de beleza e simpatia à nascença ficaram para sempre associados ao mítico concurso.

No “Perdidos e Achados” deste sábado, a SIC revisita estes e outros bebés, com memórias que ultrapassam o tempo. Uma reportagem de Maria Miguel Cabo.

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close