“Perdidos e Achados” regressa à Aldeia da Luz, agora invadido pela água

SIC

As comportas da barragem do Alqueva encerraram em 2002. A água invadiu vastas áreas do Alentejo e criou o maior lago artificial da Europa. O progresso trouxe o regadio, investimentos na agricultura e melhoria no abastecimento de água às populações. Mas a grande inundação, também arrasou completamente uma aldeia: A aldeia da Luz.

Mais de 400 pessoas foram obrigadas a sair, todas as casas e edifícios públicos tiveram que ser demolidos.

Uma nova aldeia foi construída à imagem da antiga, dois quilómetros mais à frente, numa cota mais elevada para evitar a aproximação da água.

A população mudou-se, a Luz foi inaugurada com pompa e circunstância pelo então primeiro-ministro Durão Barroso, mas 13 anos passados os ”Luzenses” sentem que deixaram na velha aldeia a alma da comunidade.

O ‘Perdidos e Achados’ regressou à aldeia da luz, para sentir o pulso de uma população perdida no interior alentejano, e revisitou o local, agora invadido pela água, onde em tempos existiu um povoado.

Para ver sábado, no “Jornal da Noite”.

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close