“Portugueses pelo Mundo” vai estar, esta noite, na Malásia

O “Portugueses pelo Mundo” viaja esta noite até Kuala Lumpur, capital da Malásia. Situada a 30 km do estreito de Malaca, é única cidade do mundo com uma floresta milenar dentro dos seus limites. Uma cidade em permanente construção, onde o moderno e o mais tradicional convivem na perfeição.

Bem-vindos a Kuala Lumpur!

Edgar Prates, 36 anos, diretor de marketing, natural de Faro. Encontramos Edgar no famoso mercado de Petaling Street, um mercado das falsificações, onde se encontra tudo dez vezes mais barato. De seguida, viajamos até Kuantan, uma zona subdesenvolvida mas que está a mudar com a construção do parque industrial China-Malásia. Edgar explica que tem sempre duas malas, uma para o trabalho, onde tem sempre um punhal islâmico e outra mala com roupa de praia para mergulhar, ao final do dia, na praia de Cherating. Por fim, Edgar mostra-nos Malaca, um sítio inspirador que o faz lembrar Portugal pela sua cultura, a música e algumas tradições e onde existe a Praça dos Portugueses, um espaço dado aos portugueses nos anos 30.

João Antunes, 30 anos, gestor de projeto, natural de Leiria. Bem no centro de Kuala Lumpur, em Jolan Pinag, conhecemos a casa de João, num 33º andar e conseguimos perceber que a cidade está sempre em construção e que no elevador não existe o número 4, porque em chinês esse número quer dizer morte, passando assim do 3º andar para o 3ºA e depois para o 5º. Vamos até ao mercado de Chow Kit, um mercado muito tradicional, aproveitamos para conhecer uma casa típica malaia, onde os sapatos ficam à porta. Em Merdeka vimos a junção dos dois rios que deu o nome a Kuala Lumpur, que quer dizer canal lamacento. Num bairro característico chinês, em Jalon Alor, João mostra-nos várias frutas típicas e têm um jantar bem tradicional, onde come pela primeira vez rã. Despedimo-nos do João em Chang Kat uma rua totalmente europeia.

Diana Oliva, 29 anos, arquiteta de interiores, natural de Lisboa. Diana mostra-nos Batu Caves umas grutas naturais que têm templos Indus. De seguida vamos conhecer Frim – Kepong, uma antiga mina de estanho que agora é uma floresta que fica a 15 minutos do centro. Diana entra num consultório de acupuntura, em Kota Damasara, onde nos apresenta a Dra. Hin que nos explica os benefícios da acupuntura. Em KLCC Park podemos ver as Petronas Towers e o espetáculo de luz e som que acontece na fonte do parque. No Roof Top Pool Bar, o bar mais famoso da cidade, Diana despede-se com saudades de Portugal.

Hugo Pacheco, 30 anos, Brand manager, natural de Moura. É em Brickfields, mais conhecido por Little India, que encontramos Hugo a tomar um típico pequeno-almoço indiano. Ao passear pelas ruas de Brickfields, Hugo fala do choque cultural que teve quando chegou há 5 anos, mas das primeiras coisas que viu foi a igreja da Nossa Senhora de Fátima, o que lhe deu “um cheirinho a casa”. Vamos conhecer a terra da mulher de Hugo, Ipoh, onde existe o Templo Chinês e Hugo explica que a maioria das divindades chinesas está ligada ao dinheiro. Foi em casa dos sogros de Hugo que conhecemos um snack tradicional vegetariano, Pakora, que é acompanhado sempre pelo chá. Por fim, Hugo leva-nos a conhecer a melhor vista da cidade, em Ampong Point, um local de eleição dos malaios que, como não bebem álcool, aqui socializam através da comida.

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close