Programa 1: Conheça os concorrentes que passaram no “Rising Star” [com Fotos]


Decorreu esta noite a primeira gala do “Rising Star: A Próxima Estrela”. Por aqui passaram 12 vozes, das quais os portugueses escolheram as melhores.

Conheça os vencedores da noite:

Irina Furtado

A Irina Furtado tem 35 anos, vem da Póvoa de Santo Adrião e é cantora profissional. Tem uma banda de estilo rock e pop e fez parte do coro de Mickael Carreira durante 7 anos, colaboração que entretanto terminou por decisão sua. Foi recentemente mãe e espera que o filho se orgulhe da sua participação no programa. Nunca tinha tentado a sua sorte num programa de talentos até se ter inscrito no “Rising Star – A Próxima Estrela”. CURIOSIDADE: A Irina já foi cantora residente em programas televisivos.

Ana Benevides

A Ana Benevides tem 16 anos, vem de São Miguel (Açores) e é estudante. Teve a certeza de que a música era a sua vida quando subiu ao palco pela primeira vez. Gosta de compor e contar a sua história em rimas. Acredita que o “Rising Star – A Próxima Estrela” pode mudar a sua vida porque sente que tem muito para dar. CURIOSIDADE: A música ajudou a Ana a mostrar a sua personalidade.

Bruno Ribeiro

O Bruno Ribeiro tem 22 anos, vem de Santarém e é ator. Tem formação musical e participa atualmente num coro de gospel e em musicais. Encontrou na música o refúgio de que precisava. Quando era mais novo, a sua madrinha ofereceu-lhe uma cassete do “Música no Coração”, e descobriu a sua paixão por musicais. Já quis ser pintor, mas agora sonha com a Broadway. CURIOSIDADE: O Bruno é adepto do “couchsurfing”.

Miguel Rodrigues

O Miguel Rodrigues tem 26 anos, vem de Albergaria-a-Velha e é professor de canto e de orquestra e também maestro. Estudou desde pequeno para ser pianista, mas lesionou-se devido ao esforço numa das mãos. Viu-se obrigado a deixar o piano de parte e dedicou-se à voz. No “Rising Star – A Próxima Estrela” quer dar visibilidade ao seu trabalho. CURIOSIDADE: O Miguel ponderou ser padre, mas acabou por se dedicar à música.

Gonçalo Lopes

O Gonçalo Lopes tem 18 anos, vem de Coimbra e é estudante. Quer ser fisioterapeuta. Encantou a sua namorada, que também está a participar no “Rising Star – A Próxima Estrela”, com uma música de João Paulo Rodrigues, que cantou só para ela. A paixão pela música surgiu quando era mais novo e cantava com o pai na igreja. CURIOSIDADE: O Gonçalo pratica hóquei em patins.

Mickael Salgado

O Mickael Salgado tem 23 anos, vem de Tentúgal e é estudante na área da música. Os obstáculos com que se deparou por ser invisual ajudaram-no a desenvolver outras capacidades. Em criança, rendeu-se ao fado. Lembra-se de ouvir músicas do fadista Fernando Farinha, em cassetes do avô. A palavra “desistir” não faz parte do seu vocabulário e a prova disso é a sua participação no “Rising Star – A Próxima Estrela”. CURIOSIDADE: O Mickael nasceu em Paris.

Nelson Sousa

O Nelson Sousa tem 25 anos e vem de Vila Nova de Gaia. Trabalhava numa fábrica, mas abdicou de um emprego com ordenado fixo para lutar pelo seu sonho: o mundo da música. Lembra-se de, aos 5 anos, fazer parte de um grupo de jovens que faziam imitações de artistas. Quer provar aos pais que é possível viver só da música. CURIOSIDADE: O Nelson canta há cerca de 7 anos em festas populares e casamentos.

Flávia Neto

A Flávia Neto tem 20 anos e vem de Armação de Pera. Acha-se extrovertida, doida e tem muita energia. Promete animação enquanto for concorrente do “Rising Star – A Próxima Estrela”. Quer singrar no mundo da música para conseguir ajudar a mãe, que trabalha no mercado de Armação de Pera. CURIOSIDADE: A Flávia tentou estudar música no Conservatório, mas as dificuldades financeiras impediram-na de prosseguir os estudos.

Inês Ramos



Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

  • Miguel

    Os talentos são bons, mas nada de especial… muito longe do nível dos talentos nos programas ingleses ou americanos, onde os cantores têm altíssima qualidade! Nem tive paciência para ver mais do que a primeira parte do programa… e foi mais pelo aspeto tecnológico do que pelos cantores…

    • Catrapum

      ora aí está, se o objetivo deste programa é encontrar “A Próxima Estrela” não se devia dar mais tempo de antena ao talento musical do que à família a mandar beijinhos e força… isso não devia ter sido feito em casa? alí já é supostamente para os concorrentes mostrarem o que valem e deixarem-se de lamechisses!!!

      • Uhuh!

        Cérebro precisa-se! Tu por acaso sabes o que estás a dizer? Para já, eles nem dispensam muito tempo a falar com os familiares, se vires bem, ás vezes so falam com um ou com dois ou tres para fazer algum tempo e assim! E eles fazem isso para preparar tudo e dar tempo de descanso á banda! Pois nao sei se sabes mas ter um ecrã gigante e uma banda ao vivo não é pera doce! E deixo a dica: tentem encontrar em talent show portugues maior talento que o do Vasco Duarte da segunda semana (boa sorte)!

    • Marta Clemente

      Nem é preciso ir para aí.
      Noutros “talent shows” portugueses bem recentes, o nível também era incomparavelmente superior.

  • Anonimo

    Engraçado, não vi nenhuma notícia na fase de seleção do factor-X a dizer quem era selecionado, com fotos e muito menos com curiosidades.
    O mesmo posso referir quanto ao The Voice

    • Tonhó

      se calhar é a endemol que envia estas coisas e as outras produtoras não, sei lá… mas essa mania da presseguição é coisa do 3º mundo!

  • pedro

    O programa é mt chato

  • opinião

    Acompanhei o programa praticamente todo. Votei em todos os concorrentes e a aplicação funcionou às mil maravilhas. O júri é bom, os apresentadores safaram-se bastante bem. Resumindo, o programa é bom e inovador. A parte má deste programa é o tempo morto com o check-in. Eu percebo que é para dar tempo para terem o máximo pessoas possível para a actuação, mas aborrece muito o público. No fim da actuação, já sabemos a vida toda do concorrente, mesmo que ele não passe. O Check-in devia começar no inicio da VT e não depois. Ainda pior para as pessoas que não podem votar. Para essas ainda é mais seca, e quando há um programa semelhante na RTP1 há mesma hora, depois não esperem milagres. Se querem que o programa dure 3h sem aborrecer as pessoas, deviam cortar
    no tempo de paleio e acrescentar mais 2 ou 3 concorrentes. E dar mais destaque ao painel com as caras, já que infelizmente muitas pessoas só votam para ver se a cara delas aparece…

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close