Regresso d’ “A Noite da Má Língua” não seduz portugueses

SIC

A rubrica ‘Perdidos e Achados’ do “Jornal da Noite” trouxe ontem uma edição – até ver – irrepetível do clássico dos anos de 1990 “A Noite da Má Língua”.

O especial conduzido por Júlia Pinheiro voltou a sentar à mesma mesa Rui Zink, Miguel Esteves Cardoso e Manuel Serrão. Rita Blanco, também integrante do painel no passado, não pôde estar presente por se encontrar fora do país e apareceu só por breves momentos a comentar a sessão.

Este regresso por uma noite da “Noite da Má Língua” deu à SIC 7.4 de audiência média e 19.3%, com 715.600 espectadores em média. O “Jornal da Noite”, na sua totalidade, ficou na vice-liderança com 7.0/18.3% (681.400 espectadores em média).

O período foi liderado pelo “Jornal das 8” que deu à TVI, na média geral, 10.3/27.2% (996.700 espectadores fidelizados em média).

O especial da SIC competiu ainda com o “Linha da Frente” da RTP1 que registou 6.3/16.3% (613.700 espectadores em média) no período.

Pode consultar mais dados no fórum Zapping.

Os dados apresentados são da responsabilidade da CAEM/GfK.

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

  • r

    A SIC devia ter emitido a emissão em direto isso sim.

  • Nome de utilizador

    Não houve promoçaõ, devia ser em directo e no inserido numa rubrica do jornal da noite

  • joana costa

    Por favor inovem, sejam criativos não andem atràs de sucessos fora de época nem em cópias, penso que já vimos que não resulta. Portugal em Festa uma desgraça, pois autrora Joâo Baião foi sucesso, mas agora quem consegue suportar aquele tipo de apresentador, por favor não passa e desculpem o termo de um saltitante aos pulos. Julia Pinheiro a mesma coisa, sucesso na TVI porque tinha classe, o humor era com classe, tinha apoios de peso, como Manuel Luis Goucha, que digam o que dizer, é um homem com classe e culto, e sabe fazer o que hoje em dia é raro ver em qualquer apresentador, sabe fazer uma entrevista e uma conversa com classe, com humor muitas vezes mas com classe. A Julia desceu muito baixo, perdeu classe, mas também a trabalhar com dois seres que não passam de comediantes, mas comédia mesmo foleira. Só tenho pena que a Julia não veja estes pormenores, porque insiste sempre nos mesmos erros. Já são falhas que não podem ser perdoadas. A Sic na altura da aquisição da Julia Pinheiro devia ter pensado que a aposta devia ter sido feita na Cristina Ferreira, jovem, bonita, ideias criativas, com um corpo e uma cara que atrai as câmaras, que até não passa de uma mulher de brincadeiras mas o seu proprio visual faz com que desperte as nossas curiosidades. Tentamos sempre ir ali espreitar. A Júlia já não desperta isso, neste mundo do visual o que conta é mesmo o visual. Quando hà falta deste tem que se ser muito inteligente e fazer programas com classe e inteligência e não usar as palhaçadas, o que devia estar a fazer a Julia Pinheiro, não usar caretas, não rir por rir, fazer programas que o visual não conte mas sim os conteudos das conversas e em Portugal hà muita falta desses programas e desse tipo de apresentadores. Não é dificil fazer esta analise e tirar esta conclusão.

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close