[Reportagem] Os 760 da nossa televisão

A 4 de Dezembro de 2007, o “Diário de Notícias” afirmava que “as televisões comerciais encontraram uma nova forma de gerar receitas. A fórmula nasceu em canais underground por satélite mas, aos poucos, foi conquistando os generalistas, um pouco por todo o mundo. Os controversos concursos call TV, alvo de duras críticas por parte de deputados britânicos, que os acusam de ser uma forma dissimulada de jogo, já chegaram ao nosso país.

Quando o Telefone Toca

Foi o começo de uma lucrativa forma de fazer televisão. Quem não se lembra das madrugadas com Liliana Aguiar ou Vanessa Palma e os seus “Quando o Telefone Toca” ou “Toca a Ganhar”? Ambos prometiam dinheiro, muito dinheiro, para quem ligasse e acertasse na resposta correcta. Contudo, muito antes destes programas que apelavam ao telespectador a ligar compulsivamente para ganhar dinheiro, já se usava o famoso “760” para fazer dinheiro, ora nos talk-shows das manhãs, ora no das tarde.  Mas é certo que há muito tempo que as chamadas de valor acrescentado são usadas na nossa televisão. Quem for do tempo do “0800” lembrar-se-a dos pais chamarem a atenção para que não ligassem para esse número.

Ao longo dos anos são inúmeros os programas onde estas chamadas de valor acrescentado fizeram sucesso para os cofres da televisão e também para as contas bancárias de alguns portugueses. Todavia os regulamentos destes programas provêem que não hajas vencedor e a legislação não permite que os prémios sejam em dinheiro, sendo este pago em cartão de crédito, ouro, viagens, carros, electrodomésticos, entre outros. A isto junta-se recentemente duas queixas que chegaram a Entidade Reguladores para a Comunicação Social: “A ERC informa que recebeu duas queixas relativamente a este tema, encontrando-se os processos em fase de instrução”, disse Joana Pizarro, chefe de gabinete do Conselho Regulador.

Com estas queixas e descobertas que se encontravam ocultas a ERC decidiu investigar. Esta investigação levou a que “RTP”, “SIC” e “TVI” criassem um acordo de auto regulação em relação aos concursos de chamada de valor acrescentado. Este acordo chegou a ERC e pode ler-se que “dá resposta a algumas preocupações já manifestadas pela própria ERC” e clarifica “alguma desinformação que se tem registado nesta matéria“. Carlos Magno, presidente deste entidade congratula-se pelo facto dos canais generalistas terem chegado a um acordo e acrescente: “Acho que as televisões perceberam que estavam a exagerar e a auto regulação é um sinal de bom senso”.

Este documento foi analisado  e aprovado pelos membros do conselho regulador. O mesmo entra em vigor hoje, dia 1 de Julho. As mudanças mais visíveis prendem-se com novos procedimentos sobre o número de vezes que o apresentador pode apelar a que o telespectador ligue, que agora só poderá ser de 5 vezes por hora. Esta regra são se aplica aos formatos de televisão de “Call TV”.

Outras mudanças significativas será o facto dos canais se comprometerem a usar uma sinalética nos programas que incluem este tipo de concursos e o esclarecimento do valor das chamadas e do IVA. Os prémios relativos a estes concursos apenas podem ser pagos em espécie (ouro, automóveis, cartões de débito pré-carregados,viagens, imóveis e vales de compra) e isso terá de ser explicado durante a promoção do mesmo.

Quanto ganham e quem ganha?

Não são só as pessoas que ganham ao ligar para estes concursos. As chamadas tem um preço de 0,60€ mais IVA. Daqui são 0,5€ para quem está a patrocinar a linha, mais 0,1€ para o operador e os 0,138€ extra são do IVA, o que dá os 0,738€. Os canais de TV ganham 0,5€ numa chamada que custa 0,74€. Por exemplo, a TVI a ganha entre 450 a 900 mil € por cada programa “Somos Portugal” e só em chamadas, quando o prémio pode chegar, no máximo aos 100 mil euros.

Em 2012, de acordo com o relatório de contas da “Media Capital”, a “TVI” fechou o ano com 33,4 milhões de euros de receitas de serviços multimédia, uma subida de 76,7% face aos números de 2011. Segundo o mesmo documento, estes valores estão relacionados com concursos e programas incluídos na grelha de programação dos meios de televisão difundidos pelo grupo. Entre estes estão formatos como “A Tua Cara Não me é Estranha” e “Casa dos Segredos”, onde os vencedores e os concorrentes expulsos são escolhidos através de voto telefónico dos telespectadores. Também a “SIC”  teve um crescimento de 17,7% neste tipo de receitas, atingindo os 19,9 milhões, em 2012. No relatório, lê-se que foi “das maiores facturações de sempre” e adianta que o crescimento é explicado “pelo sucesso verificado em acções especiais, como foi o caso do ‘Camião d’Ouro’, que assinalou os 20 anos da SIC, e pelo bom desempenho dos concurso dos programas de daytime [como ‘Querida Júlia’ e ‘Boa Tarde’]“. 

Para os telespectadores as probabilidades são melhores que as do Euromilhões e aproximam-se das do Joker, isto em programas de 4 horas Mas o pior é que quanto mais tempo a linha estiver aberta, piores são as probabilidades.

Fonte: ERC, Site RTP, SIC, TVI

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

  • riki

    o video nao funciona, alguem tem o link para ver diretamne no youtube

    • Zappingtv

      Resolvido 😉

      E obrigado!

      • riki

        ainda não funciona 🙁

        • acorda

          então o problema é teu e não do site

  • pimpolho

    Hoje em dia fazem-se programas a pensar no 760 e não na qualidade/conteúdo…
    Não admira que o cabo ande ultimamente a ratar nos 40% de share e continuadamente a subir!!!

  • tiago

    Ate nisto o Sabadabadao e uma aposta diferente, fez bem a SIC ao criar este programa. A data de estreia e o horário e que pelos vistos não foram os melhores.

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close