“Rosa Fogo”: 14 a 20 de outubro

Anterior1 de 4Seguinte

Esta Semana em “Rosa Fogo”
(14 a 20 de outubro de 2013)

6º Episódio

Teresa acaba por revelar a Catarina que o filho Estevão está apaixonado por Maria. A empregada que já sonhava em casar com Estevão e ir para Nova Iorque fica furiosa e, quando Estevão chega a casa confronta-o, mas o jovem tenta fugir às perguntas, limitando-se a dizer que até há uma Maria na Forella mas, o resto, são histórias que a mãe inventou.
Matilde regressa à escola e tem de enfrentar as perguntas e observações embaraçosas de algumas colegas mas, Vera Mónica vai estar lá para a ajudar e responder à altura às colegas. Mais tarde, Matilde pergunta à avó se é uma órfã coitadinha como disseram as amigas.
Lara e o filho Javier continuam sem ter notícias da polícia sobre Horácio. Javier diz à mãe que é melhor considerar a possibilidade do pai ter morrido. Lara não tem trabalho nem sitio onde morar. Decide então ir para a quinta de José até esta ser vendida e sempre na expectativa de Horácio voltar.

Na empresa discute-se a nova gama de produtos para o cabelo que Joana ia lançar e em homenagem à antiga gestora. Estevão propõe que a nova gama se chame Joana. Maria fica chocada e proíbe que a ideia avance, contra todos os outros empregados que concordam com Estevão. O novo gestor bem tenta convencer Maria mas em vão. Consciente que é a melhor decisão para a empresa, Estevão pede ajuda a João Nuno e Sofia, para elaborar uma estratégia que convença Maria, para exorcizar a dor que ela sente pela perda da tia. Eduarda, que à porta escuta a conversa, fica emocionada com a forma como Estevão fala e com o carinho que revela em relação a Maria. Mas quem vai realmente convencer a bailarina e gestora é a avó Gilda, que quando confrontada com a ideia e para surpresa de Maria, acha muito bem que exista uma gama para os cabelos com o nome de Joana.
Gilda vai com José fazer a recolha de sangue para testar se é efectivamente sua mãe, sempre com receio de estar a ser enganada ou de acreditar numa mentira. José tenta acalma-la mas depois de tudo o que passou, Gilda não quer arriscar.

Júlio ganha coragem e mesmo sem conseguir pronunciar bem a palavra obrigada, agradece a Alzira por ter dado trabalho à nora Sílvia. Vera Mónica, filha de Sílvia, também fica muito satisfeita com a notícia, revelando muita cumplicidade com Alberto.
Diogo entra na casa de José à procura da arma que usou para assaltar a ourivesaria e com a qual matou um homem mas, apesar de revirar tudo, não consegue encontrá-la. Entretanto José continua a pressioná-lo para afastar Estevão da empresa, para assim poder controlar melhor o império Mayer quando for aceite como filho.
Maria conta a Diogo o que Estevão quer fazer com o nome da tia e o namorado encontra aí um pretexto para voltar a aconselha-la a despedir o gestor e a sair da empresa. Mas Maria não consegue convencer a avó a afastar Estevão e, por outro lado, também não quer sair da empresa.

Ambrósio vai à confeitaria e, para surpresa de Alzira e Regina, anuncia que vai fechar a barbearia e regressar à terra. Só à noite dá a notícia às filhas que ficam surpreendidas, achando que o pai não vai aguentar a vida na santa terrinha, fora do buliço da cidade. Mas Ambrósio está determinado e a única coisa que lhes pede é que pensem no que vão fazer com a barbearia. Vender está fora de questão. Aflitas, Cármen e Aida não sabem o que fazer. Ambrósio admite que a culpa talvez tenha sido dele porque depois da mulher morrer, sempre tentou proteger muito as filhas e elas nunca sentiram necessidade de se esforçarem e terem um trabalho. Cármen não fica em nenhum emprego e só pensa em diversão. Aida tirou o curso de línguas e passa o tempo todo de volta dos livros. Agora é que vão ser elas porque Ambrósio vai mesmo embora.

Ainda zangada com os filhos, Alzira manda-os para a cama depois de jantar e perante a insistência de que já não são crianças, Alzira começa a dizer que se sente mal. Os filhos já não lhe ligam nenhuma mas desta vez Alzira cai o chão e eles ficam mesmo aflitos.
Manuel revela a Gilda que Joana não estava sozinha na ponte. Alguém estava com ela e empurrou-a. Gilda fica assim a saber que a nora foi assassinada e pede a Manuel para não comentar nada até saber quem assassinou Joana.
À noite Maria sai da academia e é perseguida por alguém que a agarra e lhe aperta o pescoço.

Anterior1 de 4Seguinte

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close