Saiba como inicia a terceira temporada de “Bem-vindos a Beirais”


A RTP1 estreia esta noite a terceira temporada de “Bem-vindos a Beirais”. A novela/série despediu-se há horas da segunda leva de episódios, mas já tem uma nova empreitada.

A ficção continua sem interrupções no horário nobre da RTP1 para mais um conjunto de capítulos. Mesmo antes de estrear esta nova fase, a estação pública já havia encomendado uma quarta temporada que só deve estrear na rentreé de setembro.

 

Veja como começa a terceira temporada:

Na sociedade recreativa está Diogo a ler o jornal. Ele pede um café a Marina e continua a ler o jornal. De repente, ele sai disparado e leva o jornal consigo e Marina acaba por não perceber a reação dele.

Diogo chega à Junta e entra furioso e atira o jornal para cima da mesa. Ele pergunta a São que notícia é aquela e São responde-lhe que é uma boa notícia para Beirais.

Diogo refere que a notícia é tão boa que está num jornal nacional, mas que também devia estar num jornal de Beirais ou na rádio. Diogo confronta São e diz-lhe que a construção de um campo de golfe em Beirais não é o que as pessoas mais precisam.

São refere que agora é ela quem manda na Junta e por isso ele não tem que questionar as suas ideias ou decisões. São também acusa Diogo de ter feito uma reserva natural, que na opinião dela não é útil e o campo de golfe sempre atrai pessoas de fora da aldeia.

Nas ruas de Beirais, Diogo encontra Susana. Ela pergunta-lhe se ele está bem pois tem um ar furioso. Diogo conta que descobriu que São vai construir um campo de golfe e um hotel de luxo em Beirais.

Susana fica espantada e pergunta-lhe se ele vai fazer alguma coisa. Ele diz-lhe que está a pensar fazer alguma coisa, mas ainda não sabe o quê. Susana refere que têm que pôr as pessoas a par da situação pois é preciso explicar o que está a ser preparado nas costas e é necessário ouvir todos os habitantes da aldeia.

Diogo pergunta-lhe como é que ela está a pensar fazer isso e Susana diz-lhe que podem fazer um debate na sociedade recreativa.

No minimercado, Hortense lê no jornal que morreu. Há uma notícia dela sobre a sua morte: “Cumprimos o doloroso dever de informar que, finda a sua passagem pela Terra, Hortense Pedroso decidiu fazer a sua derradeira viagem a bordo de um caixão… Brito e Lameiras”.

Alzira refere que há duas pessoas que vão ficar mortas (os cangalheiros) quando colocar as mãos em cima deles.

Diogo desabafa com Viriato e diz-lhe que tem a sensação que entregou a Junta às forças do mal. Viriato pergunta se Diogo está a referir-se a São e Diogo diz que sim. Diogo conta que São quer construir um campo de golfe em Beirais e Viriato pergunta-lhe qual é o mal pois acha a ideia ótima.

Diogo explica que São só está a fazer isso para ela ficar mais rica, não por querer saber de Beirais. Diogo continua a explicar que o mal da São é ela estar a investir em coisas que não têm a ver com as tradições de Beirais.

Viriato diz-lhe que se calhar os beiralenses não querem manter a tradição. Diogo está espantado porque não consegue perceber como é que Viriato está do lado do golfe.

Viriato explica-lhe que é um jogo disputado a um ritmo civilizado sem gente a correr por todo o lado. Viriato refere que tem que voltar a treinar e Diogo fica admirado pois não sabia que Viriato jogava golfe.

Viriato pergunta-lhe se ele se vai opor ao golfe e caso a resposta seja afirmativa, o que é que ele tem para oferecer em troca. Diogo fica calado sem saber o que dizer.

Na agência funerária, Hortense confronta Joaquim e Moisés sobre a notícia que saiu no jornal. Ela pergunta aos cangalheiros o que seria se alguém com mais idade da família dela tivesse visto a notícia falsa sobre a sua morte.

Marina também está presente e pergunta-lhes como é que surgiu aquela ideia disparatada e Moisés refere que é uma homenagem. Hortense diz-lhe que ela é que lhes fazia uma homenagem com um “pau”.

Viriato também aparece na funerária e também quer explicações pois também leu no jornal uma notícia sobre a sua suposta morte.

Viriato exige uma compensação pelas notícias falsas e refere que os alegados defuntos também têm os seus direitos de imagem e que isso tem que ser pago. Além disso, Viriato quer uma indemnização pela difamação cometida.

Na sociedade recreativa, já está tudo pronto para o debate sobre o projeto do campo de golfe. Susana e Diogo estão no palco e são muitos os habitantes da aldeia que querem assistir. Susana refere que é importante os beiralenses pronunciarem-se sobre este projeto.

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close