“Sol de Inverno”: Resumo de 28 de abril a 4 de maio

Anterior1 de 5Seguinte

Resumo dos episódios de “Sol de Inverno” de 28 de abril a 4 de maio

197º Episódio 

Destaque: Eduardo e Rita raptam Laura quando ela se prepara para ir descansar numa clinica no estrangeiro e internam-na num hospício

Ana conversa com Bruno e consegue finalmente falar do acidente que a atirou para uma cadeira de rodas, Bruno mostra-se compreensivo e o facto de sentir grande empatia com Ana, leva-o a confessar que não tem grande vida social e sentimental, por ser tímido e ter pouco à-vontade para meter conversa com as mulheres. Ana aproveita a oportunidade e convida-o para assistirem a uma sessão de cinema. Vicente chega entretanto e afirma que já programou os próximos treinos. Ana reclama o seu e ele marca ainda para aquele dia.

À saída do tribunal, Matilde e Concha abraçam-se emocionadas, sem qualquer certeza sobre o que irá ditar a sentença do julgamento de que estão a ser alvo por tráfico de droga. Lé acha que não vale a pena sofrerem por antecipação, enquanto Adelino conforta Matilde, certo de que o testemunho de Xavier não terá consequências, por se tratar de um drogado e Sofia sublinha que só o traficante as reconheceu. Salvador recebe uma chamada de Teresa e diz a Matilde que vai ter de ir falar com os irmãos sobre o estado de saúde de Laura. Matilde despede-se dele forçando um sorriso.

Fátima fala ao telefone aos gritos com o irmão e incomoda uma cliente na livraria, merecendo a censura de Mariano. Depois de desligar, Fátima conta indignada a Mariano que o irmão André ligou da terra a dizer que também quer ir viver com ela, tal como o pai, Acácio. Mariano diverte-se com as preocupações de Fátima que reafirma que quer viver sozinha com Carlos.

Rosa confessa a Lurdes que tem um amante e que está tentada a deixar Horácio para viver esse novo amor. A amiga faz-lhe ver que tem de tomar uma decisão que pode mudar toda a sua vida. Rosa confessa que gosta muito da pessoa que conheceu e desfia um rol de defeitos que agora encontra no seu casamento. Isabel aparece nesse instante e Rosa cala-se, temendo que ela tenha escutado a conversa. No entanto, Isabel dá mostras de que não ouviu o que elas estavam a conversar e fala com imensa felicidade que o dinheiro que ganhou no euro milhões lhe trouxe. A esse propósito reafirma a sua intenção de comprar a fábrica da Boheme e convida Lurdes para ser o seu braço direito, caso consiga fazer o negócio.

Horácio aproveita a hora de saída da fábrica para se aproximar de Artur e pergunta-lhe se Lurdes jantou em casa na noite anterior. O rapaz diz que chegou tarde e que a mãe já estava a dormir nessa altura. Horácio é obrigado a revelar as suas verdadeiras intenções, revelando que Rosa lhe havia dito que ia jantar com Lurdes. Artur diz ao encarregado que não precisa de ficar embaraçado porque as suas perguntas significam que ele e a mulher ainda se preocupam um com o outro. Fábio interrompe a conversa e conta que vai ser operado, mostrando-se a apreensivo porque Célia vai recomeçar a trabalhar, enquanto ele terá de cuidar do bebé Crispim. Artur e Horácio desvalorizam a situação, convictos de que ele conseguirá resolver tudo a contento. Fábio confessa que está cheio de medo das dores que a operação lhe pode provocar.

Ana conta a Rosa que se está a dar muito bem no ginásio onde trabalha e que não tem sentido qualquer tipo de descriminação, acrescentando que conseguiu pela primeira vez conversar sobre o acidente que a atirou para uma cadeira de rodas, ouvida com compreensão por Bruno. A mãe procura saber se ela e Bruno têm algo mais do que uma amizade. Ana reage mal e afirma aborrecida que são apenas colegas. Rosa justifica que ao fazer a pergunta, expressa apenas o receio de que ela se magoe.

Laura comunica aos filhos que decidiu seguir os conselhos de Teresa e vai descansar umas semanas para uma clínica no estrangeiro. Rita diz que vai mandar servir o almoço e dirige-se para a cozinha. Eduardo escapa-se pouco depois com o pretexto de ir à adega buscar vinho, mas na verdade dirige-se à cozinha e pede a Eduardo para ir à Boheme buscar uma encomenda, para que seja ele e Rita a levarem a mãe para o aeroporto. O motorista estranha o pedido e Rita impõe-se, ameaçando que é melhor cumprir a ordem se quer manter o emprego e continuar a viver na quinta com a mãe. Eduardo ainda acrescenta que ele deve manter segredo sobre o assunto e que se algum dos irmãos fizer perguntas, deverá confirmar que levou a patroa até ao aeroporto. Carlos não contesta e faz o que lhe mandam.

Manel visita Matilde e esta fica constrangida quando Sofia entra na sala e é surpreendida pela presença dele. Manel justifica que precisava saber se elas estavam bem e Sofia convida-o a sentar-se. Matilde vai fazer café e Manel aproveita para contar a Sofia que Laura lhe confessou que pagou a Andreia para dizer que ele a tinha tentado violar. Sofia fica estupefacta e deseja que Laura venha a pagar bem caro pelo mal que tem feito.

Eduardo e Rita estão no quarto e certificam-se de que o seu plano para se livrarem de Laura não tem falhas e ele prepara-se para se juntar aos irmãos que já estão a despedir-se da mãe.

Na sala, Margarida, Teresa e Simão despedem-se da mãe e Laura recomenda-lhes que não se metam em confusões enquanto ela estiver fora. Eduardo agarra nas malas da mãe que lhe pergunta onde está Carlos para a levar ao aeroporto. O filho faz-lhe crer que o motorista a aguarda no carro e quando Margarida faz menção de levar a mãe até à viatura, Eduardo afirma que Laura não quer despedidas.

Laura encaminha-se para o carro e acha cada vez mais estranho não ver Carlos. Mesmo assim deixa-se convencer a entrar no automóvel. Eduardo fica aflito por ver Teresa e Margarida que acenam à mãe, mas tranquiliza-se quando elas se recolhem. Laura é então surpreendida pela entrada repentina de Rita que fica sentada a seu lado no banco detrás do carro e lhe dá uma injecção que a adormece imediatamente. Rita verifica a pulsação de Laura, sai do carro e diz a Eduardo que pode arrancar.

Em casa, Simão interroga-se se não se terão precipitado a internar a mãe. Margarida lembra que foi ela quem quis ir descansar e Teresa afirma que não é muito habitual Laura reconhecer as suas fragilidades. Salvador confessa que também não estava à espera.

Eduardo interna Laura num hospício e recomenda ao médico responsável que mantenha a mãe com uma entidade falsa e combina o pagamento pelo “serviço”. Ela começa a despertar lentamente e percebe o que está prestes a suceder-lhe. Ainda toldada pelo medicamento que lhe foi injectado balbucia o nome do filho com insistência até que ele perde a paciência e a manda calar com um grito. Laura pergunta-lhe que sítio é aquele e ele responde que é onde ela vai ficar para sempre. Ela tenta demovê-lo mas Eduardo é ainda mais cruel e decreta que ela não o vai humilhar mais e que a partir de agora é ele quem dá as ordens. De seguida despede-se do médico e este garante que a paciente nunca mais terá contacto seja com quem for do exterior. Laura é levada por dois enfermeiros e amarrada à cama do quarto-cela que lhe foi destinado. Laura grita e debate-se mas percebe que lhe está traçado um cruel destino.

Alheios ao que se passa com a mãe, Teresa e Simão preparam a gestão da Boheme enquanto ela estiver fora. Simão antecipa problemas com Eduardo, enquanto Teresa afirma que não teve tempo de perguntar à mãe se subornou Andreia para dizer que Manel a quis violar. Simão confessa que apesar de concordar que a mãe tem instintos de vingança, acha demais que tenha feito aquilo de que Manel a acusa. Teresa acaba por dizer ao irmão que teme que Margarida volte a fazer disparates.

Matilde comenta com Sofia que Laura vai para uma clínica para fora do país e aproveita para perguntar à mãe se acha que ela delineou o plano para a incriminar pela droga que foi encontrada na autocaravana. Sofia considera ser possível que isso tenha acontecido porque Laura se tem revelado ao longo dos anos uma pessoa doentia. Sofia e Matilde concordam que um exemplo disso, foi o negócio que fez com Andreia para que ela caluniasse Manel.

Joana conta a Benedita que já tem uma casa em vista e critica-a por lhe exigir que saia da sua casa. Benedita lembra-lhe que foi ela quem não aproveitou a oportunidade que lhe foi dada. Joana contrapõe com arrogância que até vai ser bom morar sozinha porque o pai vai sair em breve da prisão e não terá onde ficar. Benedita estranha que ela tenha tantas preocupações com o homem que violou a mãe e não trate Beatriz com o carinho que ela merece por ter cuidado dela a vida toda. Joana reafirma todo o ódio que sente pela mãe, acusando-a de sempre ter sido uma pessoa insignificante. Benedita acaba por olhar Joana com desprezo.

Matilde prepara-se para ir dormir e abeira-se de Adelino para se despedir dele. O avô está no computador a encomendar um medicamento e assim que repara nela, esconde o que está a fazer. Depois de Matilde se recolher, Adelino faz a compra de uns comprimidos azuis e fica com ar sério a olhar o monitor. 

Anterior1 de 5Seguinte
Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close