TVI justifica aposta na “Operação Triunfo”


Operação Triunfo

Operação Triunfo

A TVI adquiriu a “Operação Triunfo” e prepara-se para a estrear em setembro, sendo esta uma das grandes apostas da rentrée televisiva.

Numa altura em que o canal decidiu alterar a sua linha de reality shows, apostando em formatos semelhantes, mas com uma componente mais virada para o talento, os diretores do canal de Queluz de Baixo decidiram recuperar o formato da RTP1.

«É um grande formato de entretenimento que vai ao encontro daquilo que a TVI quer agora como linha: talento com uma componente de vigilância 24 horas por dia», afirma uma fonte ligada ao canal à TV7 Dias.

Tal como aconteceu no passado, a “Operação Triunfo” vai filmar o dia-a-dia dos concorrentes, que passa por aulas de canto e ainda a convivência na academia.

“Operação Triunfo”, é um programa que oferece a 16 participantes a oportunidade de mostrar que têm talento para se tornar uma estrela da música.

No primeiro dia, 16 jovens entre 19 e 26 anos instalam-se numa casa feita especialmente para o programa. É nesta casa que todas as músicas serão produzidas. Produtores musicais, estilistas e celebridades dão orientações sobre todas as habilidades necessárias para se tornarem uma estrela.

Os participantes são seguidos por câmaras enquanto estudam, treinam, cantam, dançam e competem para provar que são talentosos.

No final de cada semana os candidatos tem que mostrar seu progresso e apresentam-se num grande show ao vivo.

Um júri, composto de profissionais do mundo da música, seleciona 4 candidatos que não tiveram uma performance tão boa.

Os professores salvam um destes 4 e os outros participantes, que tiveram uma boa performance, salvam mais um.

Os 2 candidatos que foram salvos devem dar o melhor de si durante a semana seguinte para a sua próxima apresentação ao vivo, desta vez são os telespectadores que decidirão quem fica e quem deixa o programa.

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
  • Miguel

    Que grande SECA!
    Ir buscar um formato de há 10 anos, mais que morto e enterrado, que nem na altura foi particular sucesso (só a primeira edição e mesmo assim nada de especial)

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close