Zapping Entrevista: Maria Bradshaw

maria-bradshaw

Atualmente concorrente do “The Voice Portugal”, Maria Bradshaw é uma cara já conhecida do público dada a sua participação na quarta edição do “Ídolos” (programa da SIC), de onde arrecadou um quarto lugar. Maria tem há muito uma paixão enorme pela música e partilhou-a connosco, não excluindo o seu percurso musical e a recente participação no talent show da RTP1.

1. Obrigado desde já por ter aceitado falar connosco. Para os mais desatentos, a Maria já foi finalista de um programa televisivo da SIC, o “Ídolos”. Pode falar-nos um pouco dessa experiência?

Foi uma experiência muito enriquecedora. Tinha apenas 19/20 anos, muito pouca experiência. O “Ídolos” ajudou-me a amadurecer em alguns aspectos e a perceber melhor o mundo da televisão.

2. Porque decidiu concorrer ao “Ídolos”?

Foi uma amiga que me inscreveu na altura, lembro-me que não estava nada à espera quando recebi uma mensagem com a confirmação da data do casting. Concorri sem nenhuma expectativa. Fui para ver como era e o que acontecia.

3. Quais são as melhores memórias que gaurda do mesmo?

Guardo muitas e boas memórias, foram 3 meses dedicados totalmente ao programa. Guardo essencialmente momentos que passei com a equipa e os outros concorrentes. Guardo também muitas sensações e emoções que vivi no palco e fora dele.

banner1

4. Em 2012 foi estudar canto para Londres, na London Music School. De que gorma a enriqueceu esta formação?

Ir estudar para fora pode ser um pouco assustador. Nunca tinha saído de Lisboa nem vivido sozinha, portanto foi um grande desafio pessoal. Fui sozinha para Londres, com o objectivo de desenvolver e fazer crescer as minhas capacidades artísticas, não só na escola mas na cidade em si que é uma riqueza a nível musical. Foi arrebatador. Cresci a todos os níveis e comecei a ver a vida de uma forma diferente.

5. A sua passagem pelo “Ídolos” teve os efeitos que desejava na sua carreira musical?

Quando concorri ao “Ídolos”, não fui com objetivo nenhum. Ajudou-me naturalmente a crescer musicalmente. Deu-me abertura a experiências e coisas novas.

6. Em que projetos participou desde então?

Tive a oportunidade de, desde então, atuar em palcos muito bem conceituados como o Campo Pequeno, Meo Arena, Festas do Mar e tive oportunidade de partilhar o palco com artistas espetaculares. Fiz também a versão portuguesa de um tema dum filme da Disney (“A Fabulosa Aventura de Sharpay”) ,”Vou Brilhar”, que foi gravado em Madrid. Adorei o desafio e adorei em especial o método de trabalho da equipa espanhola. 

7. Atualmente podemos vê-la no “The Voice Portugal”. Quais as razões que a levaram a participar num segundo talent show?

Depois do “Ídolos”, consciencializei-me de que aquela foi a minha primeira e última oportunidade para entrar num programa de televisão. Passaram-se 6 anos. Nesta fase da minha vida, o “The Voice Portugal” apareceu na altura certa. Adoro desafios e coisas que me façam ir além do meu próprio conforto. O “The Voice Portugal” é mais um desafio de vida.

banner2

8. Que reações recebeu por parte do público depois da sua interpretação de “I Will Always Love You”?

Inicialmente estava curiosa e expectante. Queria perceber se as pessoas iriam aceitar bem o facto de uma pessoa que já esteve num programa semelhante a este, se ter candidatado uma segunda vez. Curiosamente o feedback tem sido muito positivo e tenho recebido muito apoio por parte das pessoas. A verdade é que estas pequenas atuações que vou fazendo no programa, são para mim, mas são também e especialmente para cada pessoa que me ouve.

9. Com as Provas Cegas agora findadas, o que tem a dizer da equipa a que pertence? E no que toca às outras três equipas?

A equipa da Marisa é muito distinta. Vozes muito fortes e cheias de personalidade. Tem sido ótimo conhecer os meus colegas e trabalhar com eles. As outras 3 equipas, apesar de não ter oportunidade de os conhecer melhor, são concorrentes à altura. Penso que de uma forma geral, esta edição do “The Voice” apresenta um leque de concorrentes muito forte.

10. O “The Voice” permite aos concorrentes ter uma próxima ligação com os mentores. O que tem achado de Marisa Liz, a sua mentora? Já a conhecia pessoalmente?

Marisa Liz. Uma mulher extraordinária. Já sigo o trabalho dela há uns anos. Fascina-me a força interior dela e a persistência em fazer boa música e a música dela. Identifico-me muito com ela a vários níveis. É uma pessoa e artista muito emocional. Tem sido óptimo trabalhar com ela. Já me cruzei com ela no passado mas nunca tinha tido oportunidade de a conhecer.

11. O que espera levar consigo desta nova experiência musical?

Espero desenvolver muito trabalho durante o programa. Desta experiência espero levar uma maior criatividade, um maior sentido de trabalho e dedicação ao que faço. Não há limites na dedicação, empenho e trabalho quando fazemos o que realmente nos faz viver. Para mim, é música.

banner-3

12. Qual a sua opinião acerca do estado da indústria musical em Portugal?

Penso que temos no nosso país a música intrínseca naturalmente. Os artistas que temos, de géneros muito diversificados, fazem música extraordinária e muito diversificada. Penso que no decorrer dos anos, as pessoas têm sentido necessidade de ouvir mais música e têm aberto mais os braços para os vários géneros musicais. Temos artistas de fado, soul, pop, rock, R&B, cada um no seu elemento, mas que ao mesmo tempo têm inovado e criado música de uma forma muito mais universal. É maravilhoso porque na música não há limites.

13. Um dos seus objetivos é “vingar no mundo da música”. O que significa ao certo isso para si?

“Vingar no mundo da música” já é uma frase quase pré-feita. É muito mais que isso. Música é emoção, sentimentos, estados de espírito, arrepios e para muita gente é uma ajuda, conforto e um abrigo para o dia-a-dia. O meu propósito é simples. Partilhar. Partilhar com as pessoas a minha música. Quero chegar às pessoas e fazê-las sentir o que eu sinto quando oiço música.

14. Temos agora algumas perguntas de resposta rápida, de forma a a conhecermos um pouco melhor:

-Cantor(a) preferido(a): Whitney Houston.

-Pessoa mais importante para si: A minha mãe.

-Maior sonho na vida: Partilhar a minha música.

-Géneros musicais favoritos: Jazz, Soul, Pop.

-Sentimento de que mais gosta: Amor.

-Adjetivo que melhor a caracteriza: Sonhadora.

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close