"

“A Herdeira”: Alexa mata Duarte

Depois de sofrer um grave acidente de carro e mais tarde, um AVC, Duarte quer colocar um ponto final na sua vida. O pai de Luz pede a Alexa que o mate.

Estas são momentos de grande emoção que Maria João Mira escreveu para “A Herdeira”. A TV Guia teve acesso às cenas que vão para o ar em breve.

A Herdeira

A Herdeira

Duarte está visivelmente destruído. Doente, e incapaz de se mexer, vê-se preso a uma cama de hospital, sem nada poder fazer. Ninguém acredita em Alexa e ele teme nunca vir a conhecer a filha que viu desaparecer há mais de 20 anos de forma misteriosa, pouco depois da mulher morrer.

Alexa, no entanto, não está disposta a desistir. Reconhece que ama, de facto, Duarte e que as noites que passaram no México foram das mais bonitas da sua vida.

Apaixonada, chora em casa, sob o olhar atento de Maria (Rita Bakker), que não sabe como animar a mãe. A jovem decide não desistir e contar tudo a Duarte.

Numa das noites em que não está ninguém a vigiar o empresário, a vingadora consegue ultrapassar toda a segurança e chegar ao quarto deste. Este está na cama, paralisado. Uma cadeira de rodas encostada a um canto mostra que este já lá esteve sentado, mas que será sempre uma solução temporária. Alexa chora, devastada.

Duarte acorda, entretanto. Alexa faz juras de amor e diz-lhe que sabe que Luz é filha. O empresário chora e fá-la prometer que ela vai tentar dar-lhe tudo o que pretende e que fará dela uma Alvarenga. A jovem diz que ele poderá assistir a tudo aquilo, mas Duarte diz que não irá conseguir, pois está cada vez mais debilitado e não quer ficar preso a uma cama para o resto da vida, fazendo a filha sofrer.

Drogado e cheio de dores, o empresário pede-lhe um último favor:

– Mata-me, mata-me…

Alexa rejeita de imediato a solução que ele pretende. Diz que nunca fará isso. Duarte diz-lhe que, se ela não o fizer, Madalena fá-lo-á de forma dolorosa. E que com ele irá a filha.

Alexa chora, desesperada. Beija-o apaixonadamente e, depois de várias declarações de amor, sufoca-o com uma almofada. Mais tarde, Duarte está morto.

– Amo-te, declara-lhe a jovem, que, entretanto, decide desaparecer.