“A Teia”: Resumo dos próximos episódios

"

Episódio 153 (6 a 12 de maio)

Elvira acaba por admitir a Vera que pagou a Amílcar para ele denunciar Tiago, para conseguirem livrar-se o quanto antes dele, por ter a certeza que ele está a prosseguir o trabalho de Diana.

Vera diz-lhe que vai ser através de Cláudia que vão conseguir provas contra Tiago e Elvira suspira aliviada. Cláudia assegura nervosa a Vera que Tiago não saiu de casa na noite da morte de Ricardo.

Vera percebe que Cláudia pode estar a esconder alguma coisa e avisa-a que vai pedir um mandado para revistar a casa. Tiago fica tenso por Simão lhe dizer que Lucinda, a viúva de Amílcar, lhe contou que alguém pagou ao marido para acusá-lo da morte de Ricardo, o que quer dizer que alguém anda a tentar tramá-lo.

Elvira e Jaime concordam que Cláudia parece estar mesmo a proteger Tiago da acusação de ser o assassino, ficando a pensar se terá ela coragem de entregar o marido à justiça.

Simão diz a Tiago que tem de pensar agora como se vai proteger de Elvira, Vera e Jaime, que estão claramente a tentar tramá-lo. Cláudia olha pensativa para a camisa suja de sangue de Tiago, que ele usou na noite da morte de Ricardo e que guardou sem dizer nada ao marido.

Lara olha emocionada para Simão a pedir-lhe que se afaste de Marta, por achar que ela é perigosa. Simão acaba por declarar o seu amor, que corresponde apaixonada ao beijo do seu amado.

Marta olha perturbada para o dinheiro que recebeu da Pessoa e disfarça quando vê Julie, pedindo-lhe que lhe dê um abraço. Simão sorri atrapalhado por Inês perceber que ele voltou para Lara e admite à filha, ter receio que alguma coisa corra mal novamente, com Inês a dizer-lhe que ele nunca teve medo de nada e não vai ser agora que vai passar a ter.

Valdemar pede a Lara para ir consigo encontrar Rúben, que continua desaparecido. Lara observa que Humberto não devia ceder à chantagem do filho. Jaime acorda sobressaltado com um grito de Lurdes vindo da sala, pega na sua arma e sai cautelosamente.

Jaime fica furioso com Isaura por ela ter convidado Rúben para ficar lá em casa e Isaura defende-se que parte daquela casa também é sua, e decide começar a tratar das partilhas da herança de Augusto, fazendo uma chamada para o Dr. Mealha.

Cláudia mostra a Joana a camisa manchada de sangue de Tiago, que pode levá-lo preso pela morte de Ricardo. Tiago fica tenso por Maria lhe dizer, que acha que a mãe saiu de casa cedo para ir à polícia, contando-lhe que Vera esteve ontem ali em casa.

Simão expressa a Lara a sua preocupação com Tiago, que está a ser tramado por Elvira, tendo receio que Cláudia ceda e resolva colaborar naquela armadilha contra o marido.

Cláudia aguarda no corredor da PJ, enquanto recorda os conselhos de Joana. Tiago liga para Simão e conta que Cláudia está prestes a denunciá-lo à polícia.

Cláudia já está no gabinete de Vera a aguardar que ela chegue. Tiago conduz a alta velocidade em direção à PJ para tentar impedir que Cláudia o denuncie.

Simão e Lara entreolham-se frustrados por o segurança dos armazéns, lhes dizer que Vera já saiu dali há pouco. Jaime e Elvira brindam satisfeitos e aliviados por hoje se irem ver livres da ameaça de Tiago após Cláudia testemunhar contra o marido.

Tiago pede a Cláudia para que não o denuncie, dizendo-lhe que apesar de todos os seus erros nunca foi, nem nunca será um assassino, contando-lhe que Amílcar foi subornado para o acusar do assassinato de Ricardo. Vera chega ao seu gabinete e percebe que Cláudia desistiu de apresentar queixa contra Tiago e liga-lhe.

Cláudia diz a Vera que somente foi à PJ para corroborar novamente a inocência de Tiago no assassinato de Ricardo. Desliga e olha para Tiago, que a abraça a agradecer-lhe pelo voto de confiança.

Cláudia entrega-lhe a camisa manchada de sangue, dizendo-lhe para fazer o que achar melhor com aquilo. Elvira e Jaime olham-se frustrados por Cláudia ter desistido de entregar Tiago à polícia.

Vera repreende irritada Filipe por ele admitir estar com vontade de desistir do plano de magoar Joana, por estar a ficar com pena dela. Humberto abraça Rúben, que avisa o pai que continua firme na sua decisão de não aceitar que ele namore com Cecília.

Humberto e Valdemar olham irritados para Isaura a avisar que vai convidar Rúben para viver consigo quando receber o dinheiro das partilhas, estando segura que ele vai aceitar.

Isaura olha em choque para o Dr. Mealha a dizer-lhe que o casamento dela com Augusto foi forjado pelo falecido marido e ela não tem direito a nada da sua herança.

Isaura desaba a chorar prostrada no sofá. Tiago conta aliviado a Simão que Cláudia deu-lhe um voto de confiança e não o denunciou à polícia.

Jaime diz a Vera que têm de fazer alguma coisa para apanharem Tiago, esperando que o plano de Elvira, dê resultado. Elvira vai a casa dos Messias e oferece uma caixa de bombons a Maria.

Cláudia conta a Joana que decidiu confiar em Tiago e acreditar que ele não é um assassino, não concebendo que o homem íntegro com quem casou há quinze anos, possa ter mudado tanto.

Cláudia fica apavorada ao perceber que Elvira saiu com Maria e liga a Tiago que não atende. O telemóvel de Tiago toca com uma chamada de Cláudia, e Vera a desliga-o.

Vera pede desculpa a Tiago por ter chamado Cláudia a depor contra ele, argumentando que foi Mário que insistiu e contém a sua irritação por Tiago comentar que as coisas na PJ estão mesmo más, para terem chegado ao ponto de Amílcar ter sido assassinado lá dentro.

Cláudia chega aos armazéns e vê Maria na esplanada com Elvira e corre disparada para lá. Elvira avisa Cláudia, que a próxima vez que se encontrar com Maria, não vai ser em tom amistoso, mas para lhe fazer mal se ela continuar a proteger Tiago, impondo que ela entregue o marido à polícia.