“A Teia”: Resumo dos próximos episódios

"

Episódio 137 (22 a 28 de abril)

Vera e Lopes revistam o quarto de Ricardo, e não encontram a pasta que Ricardo dizia ter na sua posse.  Mónica mostra a Mayra a pasta que a PJ procurava, justificando-se que a escondeu por não confiar em Vera.

Simão avisa Jaime que vai fazer tudo para correr com ele dos armazéns e informa-o que quer marcar uma reunião com os acionistas.

Mayra diz a Simão que tem uma prova contra Jaime para acabarem com ele, mostrando-lhe o documento que pode provar que ele pagou a uma mulher, para que ela não o denunciasse de a ter violado.

Cláudia chega a casa e conta abalada que não conseguiu recuperar Flor por ela já ter sido levada por outra família.  Flor fica em choque por Hermínia a levar para a casa onde vive Elvira e tenta fugi, mas Elvira e Hermínia agarram-na. Jaime diz a Isaura que têm de arranjar maneira de travar Simão e fica tenso por Isaura lhe dizer que Vera vem a caminho, para falar com ele.

Jaime acaba por assumir a Vera ter tido relações sexuais com Mónica, mas de forma consentida, negando saber que pasta é aquela que Ricardo fala na mensagem.

Vera sai a avisar Jaime que vai envidar esforços para descobrir onde está essa pasta.  Simão diz a Mónica ter a certeza que Lara lhe está a esconder alguma coisa, para não querer mais ajudá-lo, desde que ele lhe mostrou a pasta com o acordo que pode tramar Jaime.

Lara vai buscar um documento que está escondido no quarto, e percebe-se que é a página que falta na pasta de Mónica, e que prova que foi com Dalila que Jaime fez um acordo.

Lara recorda-se emocionada de ter prometido a Dalila nunca revelar do acordo que ela fez com Jaime. Humberto vai à campa de Dalila e pede envergonhado a sua permissão para lutar por Cecília.  Lara mostra a Mónica e Simão a página em falta no documento que prova que Jaime fez um acordo com Dalila, após a ter violado.

No entanto avisa-os, que só vai dar permissão para mostrarem aquilo à polícia, com o consentimento de Humberto.  Joana beija Filipe pela primeira vez, e diz-lhe que gostou que ele tenha interrompido na sua conversa com João Maria e Filipe avisa de imediato Vera que o plano deles, está a avançar.

Gonçalo incita Matilde a voltar a tocar violoncelo, fazendo-a perceber que o facto de ela ter perdido a audição faz com que os seus outros sentidos fiquem mais aguçados.

Lara conta à família que Dalila fez um acordo financeiro com Jaime, para manter o seu silêncio pelo facto de ele a ter violado, e pergunta-lhes se lhe dão autorização para o denunciar à polícia.

Humberto dirige-se aos armazéns e Isaura percebe que se avizinha uma tempestade.  Humberto descontrola-se e agride com violência Jaime, que o avisa que tudo o que vai conseguir, será denegrir o nome de Dalila em tribunal.

Humberto proíbe Lara de tornar público o acordo de Dalila com Jaime, percebendo que ele tem razão ao dizer-lhe que será Dalila que irá ficar com a sua imagem manchada.

Jaime recebe mensagem do assassino que o questiona, se acha que se vai escapar mais uma vez do que fez. Max ouve Cláudia a comentar com Renata e Filipe, a nova coleção de joias que vão chegar aos armazéns. Renata fica incrédula por Hermínia apresentar Flor, dizendo que a adotou.

Renata fica desconfiada e vai atrás dela. Flor está quase a contar o que sabe sobre Hermínia e Elvira quando esta última entra no quarto, fazendo Flor desistir.  Max mostra a Hermínia o panfleto das novas joias que vão chegar aos armazéns e Hermínia refere que Flor será fulcral para o plano de as roubarem.

Vera exige a Lara que lhe entregue a última parte do documento e avisa-a que vai ter problemas com a justiça se estiver a ocultar provas.

Cecília fica chocada por Humberto lhe contar que Jaime violou Dalila e comprou o seu silêncio através de um acordo e critica-a por continuar com ele.

Humberto entra em casa e avisa a família, não querer ouvir mais falar da violação de Dalila, com todos a olharem espantados para a televisão, onde está Jaime a preparar-se para fazer uma declaração, onde anuncia doar duzentos e cinquenta mil euros para a associação de apoio à vítima, para ajudar a combater o crime de que várias mulheres são alvo todos os dias.