“A Única Mulher”: Incriminado pela morte de Tomé, Luís Miguel foge à policia

"

Em breve, em “A Única Mulher”, Luís Miguel vai ser o principal suspeito pela morte de Tomé, que durante uma batalha com o engenheiro desequilibra-se e cai do terraço do hospital.

A revista Ana teve acesso a como tudo se vai passar:

No momento em que Tomé cai, Mara ampara Luís Miguel, em choque total. A enfermeira diz-lhe que ele não teve culpa e afirma:

Tu não querias matá-lo. Eu não vi, mas sei que não o mataste. Mas ele conta-lhe a acusação que Tomé lhe fez e a confissão de o ter atropelado e assume que:

– Queria. Queria livrar-me da ameaça que ele era para nós. Ele disse-me que tinha falhado na operação da Jandira, porque estava drogado. E acusou-me.

A mulher pede-lhe:

– Não voltes a dizer isso nunca mais, Luís Miguel! Por favor…, mas ele continua:

– Quando disse que me tinha atropelado, eu perdi a cabeça e… ele admitiu. Disse que devia era ter-me matado naquele dia. Eu deixei de ver e… A culpa é minha.

Nesse momento, surge Caetana e acusa-o de ter matado o filho.

– Tenho pouco tempo de vida, mas os dias que me restam, vou dedicá-los a fazer com que pagues por tudo!.

Mara sai em defesa do marido e explica que

– O Luís Miguel não matou o Tomé, Caetana… Foi um acidente!.

Mafalda entra e pede-lhe que a acompanhe, dizendo:

– Eu vou providenciar apoio psicológico, que é o que mais precisa neste momento… O seu filho caiu-lhe morto aos pés.

Mara abraça o pai das filhas, aterrada.

Entretanto, em casa, Pilar está a conversar com Yolanda e Julieta entra na sala, aflita, dando a notícia que Tomé morreu após uma luta com Luís Miguel.

No hospital, Henrique, Jorge e Benedita estão reunidos com Camacho falando sobre o acidente. Caetana entra no gabinete e acusa o engenheiro de ter assassinado o filho, dizendo ter ouvido tudo. Todos ficam surpresas. Caetana responde às perguntas do inspetor, contando que o filho foi drogado, e desconfia de Luís Miguel. Quer vingar a morte do filho e exige a prisão do engenheiro.

No dia seguinte, a filha de Norberto e o marido chegam a casa muito abatidos. Neuza aguarda-os, nervosa. Camacho surge nas escadas vindo do quarto com um frasco de comprimidos na mão. O casal fica estupefacto e em choque ao perceber que ele encontrou a droga que estava nas análises que Tomé fez antes de morrer, e que Caetana acusa Luís Miguel de ter drogado o filho para o prejudicar e o matar.

Mara defende o marido dizendo que os comprimidos são dela. O pai das gémeas nega ter matado e drogado Tomé. Mara abraça-o e Neuza olha-os, desolada.

Na Taparia, Laura e Camacho conversam sobre as acusações que estão a ser feitas a Luís Miguel. O inspetor acredita na inocência dele e admira Mara por ter defendido o marido.

Jorge diz a todos que Luís Miguel está a ser incriminado e Henrique pensa imediatamente que aquilo é obra de Mina. Henrique diz que vai tratar da defesa do sobrinho e sai dali apressado, deixando estranheza em todos. Nesse momento, Luís Miguel diz a Mara que alguém pôs os comprimidos no seu estojo para o tramar. Ficam apavorados com a ideia de alguém ter entrado lá em casa.

Já em conversa com o filho, Mina confessa ter sido ela a incriminar o engenheiro. O marido de Concha fica alucinado e tenta chamar a mãe à razão, mas ela está determinada em prosseguir com a sua vingança.

A enfermeira e Luís Miguel tentam perceber quem poderá estar a tramá-los. Juram ficar juntos aconteça o que acontecer e abraçam-se.

Entretanto, Mara visita Caetana e diz-lhe que o marido não matou Tomé e ele caiu do telhado porque se desequilibrou. Caetana acusa-a de ter usado Tomé como um brinquedo e a enfermeira sai dali revoltada. Já sozinha, Caetana faz um chamada para Camacho, querendo falar sobre o homicídio do filho. Desliga tendo a certeza que está a fazer justiça.

Camacho e Laura chegam a casa de Mara, dizendo-lhe que Luís Miguel sabia que Tomé o tinha atropelado e Caetana confessou que encobriu o filho recorrendo a manipulação das câmaras do hospital. Caetana acusa o engenheiro de ter matado o filho e um funcionário do hospital ouviu a discussão entre ambos.

Pouco depois, Camacho revela que vem prender Luís Miguel. Mara mente dizendo que ele não está quando os inspetores o querem levar detido numa atitude muito irregular sem mandado judicial. Fazem uma busca na casa.

Laura sai do prédio e pede reforços para prenderem Luís Miguel que é suspeito de fuga.

Na rua, Camacho tenta alcançá-lo e Laura faz o mesmo. No entanto, este desaparece de vista misturando-se na multidão.

Durante a fuga, cai e Camacho tenta que ele se entregue, mas este alega que é inocente e consegue enfiar-se num carro e fugir. Laura fica frustrada.