"

Conheça o final de Júlia em “Alma e Coração”

“Alma e Coração” está a terminar gravações e por isso começam a ser revelados os desfechos de algumas personagens. A revista Maria descobriu o final de Júlia, uma das grandes vilãs da trama de Pedro Lopes.

Júlia engravida de Gonçalo e o bebé nasce com uma doença genética.

Alma e Coração

“Alma e Coração”

Saiba como tudo se vai passar:

Diana (Cláudia Vieira) chega junto ao balcão da clínica de obstetrícia e fala com a rececionista.

– Liguei hoje de manhã, com alguma urgência, e conseguiram encaixar-me numa desistência, diz ela, que anui quando lhe perguntam se é a primeira vez.
Isto porque a trapezista descobre que está grávida de Rodrigo.

Entretanto, ela olha em seu redor, avaliando a sala de espera e outras grávidas. Entretanto, ouve uma voz que lhe é familiar, dizendo:

– É a consulta de obstetrícia, uma ecografia de primeiro trimestre e tenho umas análises que a doutora receitou também…
Quando se vira, depara-se com Júlia. Diana apoia a rival:

– Júlia?, chama Diana.

É então que a vilã se vira na direção dela, com o boletim de grávida na mão, ao mesmo tempo que faz um ar de surpresa. As duas ficam à conversa e Júlia conta que está grávida de Gonçalo, mas que ficou sem chão quando soube.

– A única coisa que sei é que não quero contar nada a ninguém. Pelo menos, enquanto não decidir o que vou fazer. Não faço a menor ideia de como ele vai reagir. É tudo uma incógnita. Sinto-me a enlouquecer, diz ela, em jeito de desabafo.

– Podes ficar descansada, não vou contar nada a ninguém, sossega-a Diana, enquanto diz, compreensiva, que ela vai saber o que fazer.

– Sempre quis ser mãe. Depois tive o problema cardíaco e tive de adiar tudo. Mas veio a Vitória e preencheu esse lugar, continua Júlia, justificando:

– Mas ela não veio de mim, nunca a senti crescer, mexer-se aqui dentro.Pois, eu gostava de dizer que senti os primeiros movimentos, os sintomas todos, mas passei a maior parte da minha primeira gravidez em coma, afirma Diana, que é interrompida pela rival, dizendo-lhe que também ela engravidou de um monstro, deixando-a
triste.

– Na verdade, foi como se tivesse descoberto que engravidei de dois monstros. Primeiro, o André, que sempre foi o pai da Vitória, até descobrir que…
De repente, a trapezista fica com a voz embargada sem conseguir continuar o seu discurso. Num gesto inesperado, a vilã coloca a sua mão sobre a mão dela e diz:

– Se tiver este bebé, vou ficar ligada ao Gonçalo para sempre. O que é que faço?”, ao que Diana lhe responde:

– Já estás ligada a ele. A vitória também é filha do Gonçalo. E nós amamo-la como não amamos mais ninguém, não é? Dá-te tempo. Não precisas de tomar já uma decisão. Acho que a decisão te vai surgir quando menos esperares.
Mais tarde, Vitória está ansiosa por receber notícias de Júlia, que foi novamente a uma consulta, mas desta vez por não se ter sentido bem. Ao ver a mãe sair do consultório, aproxima-se de imediato.

– Foi só um susto, uma quebra de tensão, mas, felizmente, está tudo bem com o bebé. Pelo menos por agora…, diz Júlia, perante a curiosidade da filha

– Mas há uma coisa que não te contei, o cardiologista já me tinha avisado… Se quiser continuar com a gravidez, vou ter de deixar de tomar os imunossupressores porque esta medicação pode prejudicar a saúde do bebé, acrescenta ela.

– Mas, se deixares de tomá-los, corres risco de vida! Os médicos não te disseram isto?, questiona Vitória, em pânico.

– Parar a medicação acarreta alguns riscos, mantê-la também. Cabe-me a mim decidir o que fazer. Não quero arriscar perder o bebé, avisa a vilã, acrescentando:

– Estou consciente de todos os perigos, mas já tomei a minha decisão: vou ter este filho.

Perante isto, a jovem chama a atenção da mãe para o facto de ter tido a sorte de ter uma nova oportunidade de viver com este segundo coração.

– É a terceira oportunidade que tens de viver e estás a desperdiçá-la, diz ela, questionando:

– Não te importas de morrer por causa desse bebé. É isso?

Ciente de que quer levar esta gravidez avante, Júlia vai dizendo que já falou com o médico e que, se o seu coração falhar, quer que a liguem a um suporte de vida até o bebé nascer.
Vitória, por sua vez, não aceita a decisão e pergunta à mãe como consegue ser tão egoísta, pensando só no bebé e não em si, que pode ficar sem ela.

Entretanto, Júlia volta a ter uma recaída e sente-se mal, novamente. Não podendo recorrer à ajuda de Diana, já que tem receio que Gonçalo descubra que elas se uniram contra ele, vai ter com Natália, que fica muito aflita ao vê-la naquele estado.

A mãe de Vitória pede para que ela chame uma ambulância, para a levar para o hospital. No entanto, Natália, muito aflita, fala com Diana, contando-lhe o que aconteceu.

Já mais tarde, e vinda do hospital, Natália percebe que Júlia está muito apática, sem reagir a nada, e já não sabe o que lhe há de fazer.

É então que volta a ligar a Diana e esta decide ir lá a casa, mesmo correndo algum risco de se cruzar com Gonçalo.

Em conversa, a trapezista pede que lhe conte o que se está a passar com ela e eis que Júlia lhe revela que os médicos suspeitam que o bebé que ela carrega na barriga possa ter síndrome de Down, deixando Diana em choque.