“Nazaré”: Resumo dos próximos episódios

"

Episódio 138 (6 a 10 de abril)

Nuno dá revólver a Verónica para se proteger.

Ana reconhece Mike no Mercado.

Joaquim ameaça Verónica na esperança e obter provas que ilibem Nazaré.

No Mercado, Toni tenta justificar-se dizendo a Laura e a Prata que não fez nada. Laura diz-lhe que há provas que o incriminam e ele pede para se justificar. Prata leva-o algemado enquanto Toni pede a Luís que avise a mãe e o irmão do que se está a passar.

Em casa dos Carvalho, Matias toca à campainha e quem abre é Heitor. Há um momento de tensão entre os dois e Heitor manda Matias embora e diz que Sofia não pode ver à porta. Sofia pergunta quem era e Heitor disfarça. Sofia não o quer ali em casa e pede-lhe que se vá embora, mas Heitor recusa-se e diz que a casa também é dele por isso tem direito de ficar.

No Restaurante, Glória comenta com Dolores e Matilde que credita na inocência de Toni quando as amigas não mostram ter assim tantas certezas. Matias tem medo que o irmão tenha cometido uma loucura apenas com o intuito de ajudar Nazaré.

Verónica pede a Nuno que deixe o Hotel e se mude lá para casa alegando que se sentiria mais segura. Nuno deixa-lhe um revólver, para o caso de ser necessário e diz-lhe que já esteve a pensar num plano para localizarem Félix. Nuno mostra a Verónica o sistema para poderem aceder à localização do telemóvel de Félix. A única coisa que precisa agora é que este ligue o telemóvel e contacte Verónica.

Matilde visita Nazaré na prisão e mostra-se indignada com o silêncio de Toni. Nazaré diz à mãe que também está presa e é inocente e que se Toni efetivamente fez alguma coisa foi para a ajudar.

Ermelinda e Floriano falam ao telemóvel com João que garante que o bebé está seguro e não sai da sua vista. Ivana aproxima-se do casal e diz-lhes que não queria fazer mal ao bebé, queria apenas levá-lo de volta para o pai. O casal manda a auxiliar “passear” e diz-lhe que não vai levar o bebé a lado nenhum. Ivana vai voltar para a Rússia.

No Mercado, Ana cruza-se com Mike, segue-o até à banca de Matias e consegue identifica-lo através da tatuagem. Mike apercebe-se da presença de Ana e desata a correr. Matias segue atrás dele.

Joaquim visita Toni na prisão que lhe conta que é verdade que bateu no carro de Félix mas que não o matou. Toni confessa-lhe ainda que, quando soube do acidente mortal, achou melhor ficar calado com medo de ser tornado num suspeito.

Já na Quinta, Joaquim diz a Duarte que Toni não sabe da pen com as imagens da morte de António e que não é o caminho certo para conseguirem ajudar a Nazaré. Joaquim fala a Duarte de uma ideia que teve utilizando o “falso Félix” que será a derradeira tentativa de levar Verónica a confessar todos os crimes que cometeu.

Nuno entra no gabinete de Verónica e diz-lhe que Félix ligou o telemóvel. Verónica já sabe e conta a Nuno que recebeu uma sms a querer marcar um encontro. Nuno pede-lhe que mantenha o telemóvel ligado o máximo de tempo possível para que consigam localizá-lo.

Por sua vez, Joaquim e Duarte estão na Quinta a discutir o plano quando Bernardo chega do pomar e acaba por contar a Duarte que Verónica e Nuno estão a tentar localizar o telemóvel de Félix.

Quando estão prestes a conseguir a localização, Duarte corre e desliga o telemóvel mesmo no último segundo não sabendo, porém, se conseguiu impedir que o localizassem. De seguida, Duarte liga a Joaquim a contar o sucedido.

Bárbara mede a temperatura e calcula o nível de ovulação. De seguida sorri e, diz a si mesma, que Duarte hoje não lhe escapa. De seguida vai ao encontro do marido e, sedutora, senta-se ao seu colo. Duarte diz a Bárbara que não é oportuno pois tem de trabalhar, mas ela garante-lhe que o vai fazer esquecer todos os seus problemas.

Verónica e Nuno comentam o facto de não terem conseguido rastrear o telemóvel de Félix quando Nuno recebe uma chamada e informa Verónica que tem de ir substituir um dos seguranças da sua equipa. Verónica fica ansiosa.

Na casa Félix, Joaquim entra e dá um sedativo a Paula, que desmaia. Verónica entra em casa, chama por Paula, mas só ouve a voz de falso Félix dizendo-lhe que está sozinha. Verónica, em pânico, corre até ao quarto e pede que “Félix” não lhe faça mal. “Félix” diz-lhe para irem à polícia para ela confessar todos os seus crimes, ou seja, Verónica ou fala ou morre.