“Nazaré”: Resumo dos próximos episódios

"

Episódio 3 (13 a 17 de julho)

Duarte volta para casa mas está com um comportamento estranho.

Josué é internado e pede a Nazaré que tome conta de Alice.

Toni começa a fazer tours turísticos pela Nazaré.

Bernardo está visivelmente nervoso com a notícia de que Duarte acordou. Matilde anda de um lado para o outro e reclama com Bernardo pelas suas constantes avaliações científicas da situação.

Natália e Rui estão frente a frente e o clima é de grande tensão. Natália tenta explicar a Rui que, caso apareça agora na vida do irmão, este vai achar que é apenas pelo dinheiro que herdou do pai. Rui não concorda e começa a ofender a mãe dizendo que lhe mentiu estes anos todos e que ele não vai desistir de se aproximar do irmão.

Toni enfrenta Adolfo e pergunta-lhe o que é que lhe passou pela cabeça para provocar aquele acidente. Adolfo tenta desculpar-se enquanto se enrola no cobertor e bebe uma bebida quente para recuperar do tempo que ficou fechado na arca frigorifica. Toni não é de falas mansas e avisa-o para se manter longe da Nazaré. Joanes vem e avisa que a polícia ali está para falar com Adolfo.

Ana entra na loja de surf e ouve barulho de água a correr nos chuveiros. Pergunta por Cris, julgando ser ele, mas quem sai do chuveiro é Gil. Ana fica ofendida com a sua presença e diz-lhe que os chuveiros são apenas para os clientes. Os dois começam a discutir quando Cris chega e pede a Gil que vá embora e que não repita o que fez sem antes consumir na loja ou no bar.

Júlia chega ao Hotel vinda da esquadra e comenta com Nuno, indignada, que a polícia não vai fazer nada até passarem 48h do desaparecimento. Júlia está agitada e nervosa e Nuno tenta explicar-lhe que esses são os procedimentos normais e pergunta-lhe se não se recorda de nada no comportamento de Roberto que pudesse indicar alguma coisa estranha. Júlia diz que não, que a única coisa que levou o marido querer ir para a Nazaré foi a comida, as praias e as ondas.

Em casa, Joaquim agarra algo que está enrolado num pano e tenta esconder atrás da máquina de lavar. Pelo formato do objeto conseguimos perceber que é uma arma. Neste processo, Joaquim magoa-se na mão e acaba por ficar arranhado.

Amélia senta-se ao balcão do bar do hotel e pede a Nuno um café enquanto o provoca e pergunta porque é que se está a armar em herói para tentar ajudar Júlia a encontrar o marido. Nuno controla a raiva que sente da cunha e afasta-se enquanto esta liga para o escritório e pede à secretária que descubra tudo sobre o Hotel e sobre a família Vaz. Rui e Natália chegam nesse momento e Natália pergunta a Rui qual é o plano. Rui diz que não tem nenhum e que está apenas a seguir a sua intuição. Natália pede-lhe que não pense que Duarte o vai receber de braços abertos.

Nazaré chega a casa com Duarte e todos ficam contentes por vê-lo. Duarte está um pouco estranho, Nazaré diz que ele assinou um termo de responsabilidade para se vir embora e que tem de ir descansar. Matilde, Bernardo e João tentam ser disponíveis, mas Duarte responde de uma forma desagradável e diz que só quer que o deixem em paz.

Já os dois no quarto, Nazaré agradece a Duarte o que fez por ela, mas diz-lhe que não devia ter feito o que fez pois, caso o perdesse, perdia-se também a ela. Nazaré diz a Duarte que o ama e ficamos no olhar intenso dos dois.

Toni está no Restaurante com Vânia enquanto aguarda, ansiosamente, a chegada dos turistas. Vânia não acha nada boa ideia estes tours, primeiro por causa do vírus, segundo porque acha que Toni está a enganar as pessoas. Toni diz-lhe que não se preocupe, pois, vai mantê-los longe e vai dar-lhes uma experiência inesquecível na Nazaré.

Ana está a fechar a loja quando Amélia aparece e pergunta se pode comer alguma coisa. Ana reconhece-a do Hotel e diz que está a fechar a loja, mas que poderá cozinhar-lhe algo no Hotel. Amélia aceita e começa, de uma forma muito dissimulada, a fazer perguntas sobre Nuno e sobre a relação que os irmãos têm com ele. Ana diz-lhe que Nuno sente muito a falta da mulher e que não teve muita sorte ao amor (referindo-se a Verónica). Ficamos na expressão desconfiada de Amélia.

Toni entra, seguido de dois turistas de máscara, em sua casa e dirige-se à sala. Começa a contar a história de como nasceu a vila da Nazaré inventando um conto com Nazaré, Félix e ele como o herói de toda a trama e o que fica com a bela Nazaré.

A conversa entre Duarte e Nazaré continua e Nazaré pede a Duarte que nunca mais lhe pregue um susto daqueles. Prometem ser felizes e cumprir todos os planos que já tinham designado para a sua vida a dois.

Ana conta a nuno a conversa que teve com Amélia e pede-lhe desculpa por ter falado em Verónica. Nuno diz-lhe que não se preocupe, mas avisa-a para se manter longe de Amélia pois ela não é quem mostra ser e não passa de uma pessoa amargurada e com más intenções.

Natália vai até ao quarto de Rui, pela manhã, enquanto este se prepara para ir surfar. Natália pergunta, esperançosa, se o filho já desistiu da ideia de se encontrar com Duarte, mas Rui diz-lhe que não e que hoje Duarte deve ir à Atlântida e Rui pretende ir lá ao seu encontro.

Duarte e Nazaré acabaram de acordar e ela diz-lhe que vai passar na Geliré e depois vai ao Mercado comprar o seu queijo favorito. Duarte, de repente, olha para a mesa de cabeceira e vê o candeeiro no chão. Fica visivelmente incomodado e pergunta a Nazaré porque fez aquilo enquanto se levanta e coloca, minuciosamente, o candeeiro de volta na mesa de cabeceira.

Bernardo está com Érica enquanto esta tenta, insistentemente, dar a papa a Yara. Bernardo comenta coma irmã que acha muito estranho ter encontrado Nuno exatamente no mesmo restaurante onde o detetive lhe disse que Verónica foi vista. Érica desvaloriza e diz ao irmão que está a tirar conclusões precipitadas, mas Bernardo não deixa de pensar que Nuno tem algum envolvimento com o desaparecimento de Verónica.

Rui chega ao Mercado, desinfeta as mãos e tira uma senha para a banca de Dolores. Joaquim serve um café a uma cliente mas, sem querer, deixa cair a chávena e Rui corre para ajudar. Fica “preso” a olhar para uns folhetos de um veterinário que estão em cima do balcão. Ao mesmo tempo chega Nazaré e tira também uma senha para a banca de Dolores. Dolores chama o número de Rui, mas este não ouve, e Nazaré segue para ser atendida. Nazaré pede um queijo amanteigado quando Rui chega e diz que tinha a senha anterior e que quer um queijo igual ao dela. Dolores diz que daqueles já não tem mais e Rui fica indignado por ter perdido o queijo apenas porque estava a ajudar uma pessoa. Nazaré começa a mandar vir com ele e diz que a única coisa que pode fazer é dividir o queijo. Rui acha-lhe piada e diz para levar o queijo que ele volta outro dia.

Toni e Vânia falam com Glória e Ismael por videochamada no Restaurante. Vânia queixa-se que Toni ainda não a pediu em casamento e Toni, à sua bela maneira, desvia o assunto. Ermelinda, Floriano, Josué e Alice estão por ali a tomar o pequeno-almoço quando, de repente, Josué não se sente bem e deixa de conseguir respirar. No pânico de todos.

Toni vai a correr até ao Mercado e pede a ajuda de um médico pois Josué não está bem. Rui acusa-se e diz que não é médico, mas é algo parecido. Toni arrasta-o com ele.

Rui tenta ajudar Josué a controlar a respiração, mas diz que ele tem mesmo de ir para o hospital. Josué, com bastante dificuldade, só pede a Nazaré que tome conta de Alice.

Amélia fala ao telemóvel enquanto vai tirando notas de tudo o que a secretária lhe diz sobre a família Vaz e sobre Nuno. Nuno aparece e Amélia desliga o telefonema e confronta-o com o facto de Verónica ter sido uma das culpadas do incêndio que matou Joana e pergunta-lhe se se envolveu com ela. Nuno acaba por admitir e Amélia garante-lhe que lhe vai tirar tudo o que conseguir, pois, ele não merece nada.

Olivia e Matilde analisam as contas do Lar e percebem que, caso as coisas continuem como estão, não vão conseguir manter as portas abertas. Olivia diz que já tentou falar com Ermelinda, Floriano e João, mas que eles não a ouvem. Matilde sai do gabinete com um megafone e começa a gritar com eles dizendo que não vai permitir que continuem com esta atitude e acrescenta que, se não arranjarem forma de ganhar algum dinheiro, o Lar não vai subsistir.

Alice está com Nazaré e Duarte na Quinta. Nazaré tenta fazer de tudo para animar Alice enquanto Duarte é seco e desagradável dizendo que agora só os médicos podem ajudá-lo e que não há nada que eles possam fazer. Nazaré, sem perceber aquela atitude do marido, sugere que Alice vá com ela ao pomar apanhar fruta.

Júlia chega ao Hotel e Nuno pergunta se tem novidades do marido, mas Júlia nega. Bernardo chega também nesse momento e começa a fazer perguntas a Nuno sobre a sua presença no restaurante chinês. Nuno tenta desviar a conversa, mas Bernardo acaba por perguntar a Júlia o que se passa e a querer envolver-se nas buscas por Roberto. Nuno, já desagradado com a atitude de Bernardo, pede-lhe que se vá embora e deixe o caso nas mãos da polícia.

Natália está sentada no quarto enquanto deixa uma mensagem a Rui a dizer que tem de se ir embora daquela terra. Quando desliga vemos que Natália vê uma notícia onde se vê a família Blanco: Félix, Verónica, Duarte, Érica e Bernardo. No desconforto e nervosismo de Natália.

Alice e Nazaré preparam o lanche quando tocam à campainha. Nazaré vai abrir e qual não é o seu espanto quando vê Rui. Ele fica igualmente surpreendido e pergunta-lhe se ela mora ali. Nazaré confirma e Rui pergunta se pode falar com Duarte Blanco. Nazaré, estupefacta, pergunta a Rui se conhece o seu marido. No espanto dos dois.