"

Nova temporada: Saiba qual é o primeiro tema do “E Se Fosse Consigo?”

E Se Fosse Consigo

“E Se Fosse Consigo?”

A SIC vai estrear hoje, a seguir ao “Jornal da Noite”, a segunda temporada do programa “E Se Fosse Consigo?”.

Na segunda série, o formato de informação da continua a centrar-se em questões relacionadas com o preconceito, a intolerância, a discriminação e a violência, que põem em causa direitos e liberdades.

Através de cenas ficcionadas com atores, que reproduzem situações da vida real, procura-se perceber até que ponto cada um age de acordo com aquilo que diz ou aquilo que pensa.

O “E Se Fosse Consigo?” coloca cada um no lugar do outro. De quem é alvo e de quem pode agir numa situação de abuso e desrespeito. Ao questionar cada cidadão, cada espectador, questiona o país e também as instituições, os poderes e o Estado, que são um reflexo dos cidadãos e da forma como se vive em sociedade.

As diferentes formas de discriminação e indiferença, na família, na escola, no trabalho, na vida social, provam que estabelecer direitos na Constituição e nas leis, numa sociedade democrática, não é garantia de que se cumpram.

Além das experiências sociais, cada um dos programas inclui reportagem com testemunhos e contributos de especialistas sobre as diferentes temáticas. O sucesso dos resultados da primeira série e o impacto que os programas tiveram junto dos vários públicos, em particular dos mais jovens, levou à aposta de mais uma série de oito programas.

O programa da SIC tem apresentação e coordenação da jornalista Conceição Lino e será emitido às segundas-feiras, a seguir ao Jornal da Noite. O núcleo principal do programa integra os jornalistas Ana Lúcia Martins e Guilherme Lima e a produtora editorial Isabel Mendonça.

Tema de estreia da segunda temporada do “E Se Fosse Consigo?”:

Os homens vítimas de violência no contexto de relações de intimidade é o tema abordado na estreia. As mulheres continuam a ser as principais vítimas mas os homens também podem ser alvo de comportamentos de controlo, agressões físicas, psicológicas e sexuais, que trazem consequências para a saúde e prejuízos à vida familiar, social e profissional.

Nem todos têm a consciência de que podem estar a ser vítimas de crimes e a vergonha é o grande obstáculo para que denunciem estas situações.

O receio de que os familiares, os amigos e também as instituições policiais e judiciais possam não acreditar neles é outra das barreiras a que estes casos sejam conhecidos e sejam tratados pela justiça.

O que é uma outra forma de vitimização. Um dos últimos estudos da Escola de Psicologia da Universidade do Minho indica que apenas 10% dos homens vítimas contam à polícia o que estão a passar, em comparação com 26% das mulheres.

O primeiro programa, com apresentação e coordenação de Conceição Lino, estreia hoje, às 21h na SIC.