“Quer o Destino”: Vitória corre risco de vida! Catarina arma plano para a matar

"

“Quer o Destino” está ao rubro e em breve, Vitória vai correr risco de vida.

Depois de descobrir que Vitória é, na realidade Margarida, a matriarca dos Santa Cruz não vai descansar até fazer desaparecer a enfermeira.

“Quer o Destino”: Acabou tudo! Vitória é desmacarada e segredo é revelado

A verdade chega a Catarina pelas mãos de Rita que também quer acabar com Vitória por esta ter acabado com a sua realação com Lucas.

– Vou ser transparente consigo… Por isso é que lhe vou mostrar as provas que tenho sobre o passado da Vitória, porque não quero que essa mulher continue a enganar a sua família… Toda a informação que aqui está chegou-me via detetive. Aí dentro está o nome e o contacto dele, pode confirmar que é dos melhores do país, continua, mostrando algumas fotografias, que comprovam o que diz.

A matriarca dos Santa Cruz empalidece e as suas mãos começam a tremer, e pede para levar as fotografias com ela.

Ao chegar a casa, Catarina dá de caras com Lucas, que lhe pergunta onde foi. Quando lhe vai responder, suspende as suas palavras ao ver Vitória. Cruzam olhares e Catarina não esconde o ódio.

Ao abrir a boca, começa a tremer descontroladamente e tem um ataque epilético. A enfermeira reage de imediato para que ela não caia desmaiada. A mãe de João começa a recuperar, até que abre os olhos. Todos tentam perceber se ela está bem.

– Esta é a Vitória, é enfermeira, e eu tenho três irmãos, temos os nomes dos evangelistas, eu sou o Lucas, o seu filho mais velho…, conta o engenheiro.

Ao ouvir o nome da enfermeira, olha fixamente para ela.

– Eu sou a enfermeira Vitória, estive ao seu lado quando veio para casa do hospital, diz a rapariga.

Nesse instante, a vilã recorda-se do momento em que Rita lhe contou tudo e começa a apertar a mão de Vitória com muita força, sem a soltar.

– Está a magoar-me, senhora dona Catarina, diz ela.

Em vez de parar, a malvada crava a outra mão no braço dela e é Lucas quem a salva.

Esgotada, a matriarca dos Santa Cruz fecha os olhos e o pai de Ana pergunta a Vitória se precisa de ajuda médica. Ela não responde e pede que levem a doente para o quarto.

Quem vai logo ao encontro da mãe é Mateus, que lhe pergunta o que aconteceu.

– Traga-me um chá, Lucas, por favor, mas tem de ser você. Não quero estranhos no meu quarto, pede-lhe, para ficar a sós com o veterinário.

– Mateus, ouça… ouça com atenção. O Marcos tinha razão em tudo, essa enfermeira é a… a maluca que vos desgraçou na Senhora do O, anuncia ela, prosseguindo:

– Mentiu-nos o tempo todo… e, se até Nosso Senhor tem limites na capacidade de perdão, imagine- -se uma simples pecadora como eu, começa por contar. Abrimos as portas desta casa, recebemo-la como se fosse família, dei-lhe tudo, carinho, afeto, compreensão…

O vilão reage:

– Deixe estar, mãe, guardado está o bocado… ela já vai ver como é que mordem, quero estar presente quando ela perceber que a descobrimos.

Catarina traça então um plano com o filho e encomenda a morte da rapariga. Mas com algumas advertências.

– Antes de qualquer coisa, temos de descobrir tudo sobre ela e os comparsas, não pode ter agido sozinha, e quero saber até que ponto é que ela tem conhecimento das… enfim, do que se passou naquele dia. No final, eu entrego-lha. Você sabe como é que se resolve isto, ordena, sem deixar margem para dúvidas.

O namorado de Isabela assente e continuam a conversa.

– Ainda bem que concorda, filho. Com o desaparecimento da traidora, põe-se um ponto final nesta história. Quase 15 anos de sofrimento é muito… ninguém merece, dispara a malvada, que quer saber quem serão os cúmplices dela.

– Para mim, são o Carlos e o doutor Cartaxana, garante ele, cheio de ciúmes do médico. Catarina não acredita.

– Só se a aranha venenosa o manipulou como a nós, com aquele ar de mosca morta, mentirosa, traidora, uma Mata Hari dentro da minha própria casa.

– Descobrimos tudo a tempo, não fique assim, tranquiliza-a Mateus.

Catarina está inconsolável.

– E o afeto que ganhei por ela? Isso ainda é o que mais me dói. Hipócrita, a fazer-se de minha amiga, a compreender o que lhe contava em confidência… tudo problemas que me deve ter arranjado, insiste.

– Vou resolver isto… e obrigado por me ter impedido de falar. Ia acabando com a minha vida…. Este segredo vai comigo para a tumba, finaliza o vilão.