“Valor da Vida”: Resumo dos próximos episódios

"

Episódio 177 (15 a 21 de abril)

Artur diz a Aisha que ela e o bebé vão ficar em casa de Piedade até estarem recuperados e poderem viajar.

Raissa diz à mãe que a irmã foi levada para um lugar seguro. Paulo conta que Jesus foi raptado e que Bruno ao tentar impedir foi agredido.

Pepe entrega um frasco com um líquido e recomenda a Sara para ter cuidado com a dose, pois pode ser fatal. Camilla diz a Horácio que Jesus não pode ser libertado, pois se ele quer acabar com Artur, tem de ser travado.

Aisha está muito perturbada, Piedade entra e pensa que Aisha quer trabalho no bordel e mete-a na rua, mas o Padre assevera que eles são as pessoas de que estavam à espera.

Sara diz a Leonor que já tem o que precisam para neutralizar Vasco e pede-lhe para passar em sua casa, no dia seguinte.

Dalva conta a Jaques que Luís e Vasco queriam que ela falasse sobre a rede de tráfico e que têm uma suspeita de quem está por detrás da rede, e vinca que têm de casar rápido. Júlia diz a Carlos que aquilo não foi um assalto normal e que Camilla quer reaver o caderno.

Carlos pede para falar com a empregada. Umas funcionárias contam a Renato que Jesus foi sequestrado à saída do hospital e Renato fica em choque.

Cidália quer voltar atrás com o processo contra a farmacêutica e Becas conta que se demitiu, pois Jesus não é melhor que Vitorino.

Carlos recebe telefonema e fica a saber que Jesus foi raptado e estranha Júlia não ficar surpreendida.

Neves acorda Jesus e o médico pergunta o que é que eles querem, com Horácio a afirmar que não querem dinheiro, mas sim a fórmula dos comprimidos azuis. Sobral liga a Vasco e conta que Jesus foi raptado.

Artur diz a Aisha que a mãe e a irmã estão a caminho de lá. Dalva está furiosa com Leo e este assegura que só quer ser feliz, sem prejudicar a situação de Patrick.

Leo beija-a e Dalva dá-lhe um estalo e diz que vai embora daquela casa. Vasco conta a Carolina que Jesus foi sequestrado e suspeita que tenha sido Artur, para conseguir a fórmula dos comprimidos, mas Carolina não concorda. Jesus diz que agarraram a pessoa errada e não sabe do que eles estão a falar.

Horácio diz que sabe tudo do projeto dele e quer saber quem mais está envolvido. Renato conta a Rodolfo que Jesus foi raptado e pede a Rodolfo para passar em casa de Júlia.

Michelle conta que Cidália já saiu do hospital e Jaques diz que lhe vai fazer uma visita, mas Michelle proíbe-o. Artur conta que Jesus está bem e Jamilah contrapõe dizendo que se ele está preso, elas não precisam de ficar ali.

Jamilah diz que vai embora e Raissa tenta convencer a mãe a ficar. Leonor chega e diz que foi ajudar Carolina a preparar a festa, mas Maria Pia vinca que ela já está a tratar de tudo.

Jesus diz que não tem nenhuma garantia de que o libertam se ele falar e Horácio ameaça tortura-lo.

Jamilah acaba por concordar em ficar ali, Piedade chega e tem um ataque ao ver as libanesas. Leonor chega e diz que estava com saudades da filha e Vasco conta que Carolina ainda não tratou de nada da festa.

Vasco sai e Leonor pergunta à filha se quer mesmo renovar os votos e se quer continuar com Vasco e Carolina estranha.

Dalva diz que não fica mais naquela casa e leva Patrick e decide casar com Jaques sem festa, pois não quer que as pessoas saibam que casou com ele.

Carolina não gosta do que a mãe diz e Leonor acha que Vasco não é confiável. Dalva chega a casa de Cidália e pergunta se pode ficar ali uns dias, Cidália confirma que sim e pede para ela contar o que aconteceu.

Rodolfo chega a casa de Júlia e Marta conta que um homem encapuzado entrou lá em casa e Rodolfo percebe que não há pistas e fica aliviado.

Dalva confessa que vai casar com Jaques para ser mãe de Patrick, legalmente e conta que é o filho dela de verdade. Rodolfo pergunta a Júlia se querem fazer mal à família ou a Artur e Júlia estranha a pergunta.

Artur chega e fica desconfiado com a presença de Rodolfo. Jesus está muito espancado. Camilla liga e pergunta se há novidades e Horácio diz-lhe que não.

Policia chega e pede para falar com Bruno, pois vai testemunhar de um sequestro.