“Valor da Vida”: Resumo dos próximos episódios

"

Episódio 156 (25 a 31 de março)

Aisha diz que está tudo normal e Artur acha que Alexandre se zangou por causa dele e volta a dizer que quer que ela e Alexandre tomem conta de Camilinha se lhe acontecer alguma coisa.

Isabel tenta convencer Horácio que a viagem de Bruno não tem nada a ver com Aline e diz que acha que o irmão se foi embora por causa de Aisha.

Carolina acha estranho Sara ter estado este tempo todo infiltrada e Vasco sugere irem falar com ela. Luís e Cláudia entram no escritório e começam aos beijos.

Luís começa a despir-se e tenta despir Cláudia, mas ela vai embora, deixando-o incrédulo. Aisha diz a Artur que ele é que vai criar a filha.

Jesus liga a Jamilah e conta que as câmaras foram instaladas em casa de Nasser e Jamilah diz que não pode ir ter com ele por causa das filhas.

Carlos interroga Sara e ela começa por contar onde conheceu Marcelo. Um dos presos ameaça Marcelo e acusa-o de ser violador e dá-lhe um murro.

Marcelo grita por socorro e os presos continuam a bater-lhe. Isabel conta da paixão de Bruno por Aisha e diz que o irmão não se consegue aproximar dela, por causa da morte de Alexandre, pois não quer ser acusado de oportunismo.

Bruno conduz, enquanto chora e pensa em Aisha e na morte de Alexandre. Sara diz que foi enganada por Marcelo, como todas as outras mulheres.

Um inspetor entra na sala e segreda algo ao ouvido de Carlos, que sai, apressado. Horácio vai tentar descobrir se Aline voltou para o Brasil. Isabel está preocupada com Camilinha e Horácio diz que a bebé nem é irmã dela, por isso, ela pode parar de fingir, mas ela anui que gosta dela na mesma.

Camilla explica a Isabel que não pode ir buscar a bebé, pois esta nas mãos de Artur e Isabel ameaça a mãe que se Camilinha não voltar para casa, ela é que a entrega à polícia e desliga.

Carlos chega à cela e pergunta a Marcelo o que é que aconteceu, e o médico conta que o acusaram de ser violador e chegam os paramédicos.

Carolina e Vasco chegam para dar apoio a Sara e esta acusa a irmã de estar com a vida em frangalhos por causa dela. Carolina confronta a Sara com o artigo que escreveu a entalar Marcelo e, por isso, ela é que tem culpa.

Os gémeos estão muito perturbados. Leonor pergunta o que é que se passa, e Maria do Céu conta que eles descobriram que Marcelo é o pai verdadeiro deles.

Carolina e Vasco pressionam Sara e ela acusa-os de terem encomendado a investigação a Luís e Cláudia e, por isso, Marcelo está internado, por agressões na prisão. Admite que escreveu o artigo para se safar e diz a Carolina que ela devia ter morrido no acidente.

Camilla diz a Horácio que tem de encontrar a cópia do caderno, pois Isabel não pode chantageá-la e Horácio acha que ela está a adotar, inconscientemente, Camilinha como filha. Júlia emociona-se ao dar o biberão à bebé e acha-a parecida com Alexandre. Marta diz que a mãe está a exagerar e Júlia manda-a embora.

Jamilah diz à filha que fez bem em ir falar com Artur para o calmar. Aisha assente que como Alexandre morreu, vai ter de ser ela a assumir o compromisso de ficar com a bebé, mas acha que Júlia não vai deixar.

Isabel conta que se afeiçoou à bebé e Leo acha que ela não devia ter ameaçado a mãe, pois a segurança deles depende do caderno.

Marta recebe uma carta de um tribunal brasileiro para Artur, e estranha. Júlia fala com Luís sobre o documento que ele tem de redigir e de querer alterar a guarda da criança para ela, caso aconteça alguma coisa a Artur.

Luís diz que o bebé devia ficar com Aisha, mas Júlia não concorda. Aisha vai à fábrica e pede para falar com Júlia, mas a secretária diz-lhe que ela esta em reunião, e Aisha diz que aguarda.

Luís diz que vai redigir o documento, Aisha chega e vinca estar ali porque Artur falou com ela, e voltou a insistir que quer que a filha fique com ela e Alexandre, caso lhe aconteça alguma coisa.

Aisha e Júlia discutem por causa da guarda de Camilinha e Júlia afirma que agora que Alexandre não existe, ela não é precisa para nada e mete-a na rua.

Marcelo acha que não precisa de ficar preso e Carlos acusa-o de mandar incendiar a clínica para destruir as provas.

Um inspetor entra e diz a Carlos que foram encontrados vestígios de ADN debaixo das unhas de Alexandre e que foi afastada a hipótese de suicídio.