Guerra Aberta! Manuel Luís Goucha desmente capa da Flash!


Capa Flash!
«Não vale a pena comprar, que os títulos nojentos da capa (polémica? guerra?…) não correspondem à matéria no interior. Já estamos habituados, faz parte…mas vá lá, ao menos escolheram boas fotos!» Foram com estas palavras que Manuel Luís Goucha desmentiu a capa da Flash! desta semana.

A capa da revista deu a entender que os apresentadores do “Você na TV!” estariam em guerra aberta, depois de Cristina Ferreira ter sido nomeada Diretora de Conteúdos não Informativos da TVI.

Na entrevista dada à Flash!, Goucha elogia e defende a colega das más-línguas: «Ela vai esgadanhar-se toda para fazer um bom trabalho! Sabe que não vai ter a vida facilitada, que causa invejas. Vai aprender tudo o que tem a aprender, crescer… vai exercer o cargo de forma real , disso não tenho a menor duvida.  Ela nunca aceitava o cargo se não fosse para trabalhar.  Vai esgadanhar-se toda para arranjar tempo para continuara apresentar, para tratar do blogue, para cumprir com as obrigações  que tem como mãe e para ser diretora.»

Para o apresentador, ver Cristina Ferreira neste cargo não foi novidade até porque «ela já falava há algum tempo que queria ser diretora e desde essa altura que acreditei que ia consegui-lo. Foi muito diferente da situação em que vivi com ela quando a conheci e ela me disse que ia trabalhar comigo. Nessa altura, duvidei. Agora não.»

Porém, Manuel Luís Goucha não se sente ultrapassado pela apresentadora e afirma que a sua relação com Cristina em nada vai mudar: «Não fui nada ultrapassado, até porque nunca me sinto ultrapassado por uma mulher. O meu campeonato é outro, é o campeonato dos homens. Ela ter sido nomeada directora não belisca em nada a nossa relação de muitos anos. Há dez anos que eu estou com a Cristina desde as 7h20 até às 13h, conheço muito bem a Cristina.»

«Os meus desejos não passam por ser  diretor, passam por fazer televisão! Eu não compito com nenhuma mulher, eu só compito comigo. Seria infelicíssimo se fosse diretor, se tivesse fechado um gabinete – e eu até vou ter um gabinete brevemente – se tivesse de ir de férias, de fazer orçamentos… Eu quero é estar do lado onde estou, fazer o que estou a fazer.» e acrescenta, referindo-se às pressões superiores dos administradores e das audiências: «Eu sei liderar equipas e sei trabalhar em equipa, mas gosto pouco é que mandem em mim… Ser diretor envolve mais coisas do que liderar pessoas.»

No próximo ano, a dupla volta ao horário nobre para comandar mais uma edição do “A Tua Cara Não Me É Estranha”.

 

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close