José Eduardo Moniz vai defender Ana Leal, em tribunal, contra Judite de Sousa

José Eduardo Moniz vai defender Ana Leal

O ex-diretor geral da TVI, José Eduardo Moniz e o ex-diretor do Público, José Manuel Fernandes são duas das testemunhas que vão defender a jornalista Ana Leal que está impedida de entrar nas instalações do local onde trabalha, a TVI, depois de lhe ter sido apresentada uma nota de culpa, escreve esta quinta-feira o jornal i.

A jornalista contestou esta semana a nota de culpa que recebeu no mês passado e que a impede de frequentar o seu local de trabalho. Recorde-se que na base desta proibição, consequência do inquérito disciplinar que decorre, está o facto de a jornalista ter pedido esclarecimentos ao diretor de Informação, José Alberto Carvalho, e ao Conselho de Redação da TVI, sobre o facto de uma notícia sua ter saído à última hora do alinhamento do telejornal. Tudo aconteceu no dia em que Judite de Sousa era a responsável pelo alinhamento do “Jornal das 8”.

Para provar a sua inocência perante as acusações que lhe são feitas pela administração da estação de Queluz, a jornalista arrolou como testemunhas José Eduardo Moniz (ex-diretor geral da TVI), José Manuel Fernandes (ex-diretor do Público), Óscar Mascarenhas (provedor do leitor no Diário de Notícias), bem como outras pessoas do ramo. Mas não só, a sua defesa assenta ainda no testemunho de João Palma (ex-presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público) e Figueiredo Dias (professor catedrático de Código Penal).

Além de apresentar este rol de testemunhas, Ana Leal vai também tentar provar a sua inocência com recurso a recortes de notícias que mostram que Judite de Sousa, subdirectora de informação de Queluz e, no dia em questão, responsável pelo alinhamento do “Jornal das 8”, tem relações difíceis não só com os jornalistas mas também com os conselhos de redação.

Ao jornal i, o advogado de Ana Leal, Ricardo Sá Fernandes, frisou que a defesa da jornalista «assenta no argumento de que ela exerceu o direito à liberdade de expressão e nunca pode ser sancionada por isso».

Partilhe: Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Noticias relacionadas

Ao continuar a utilizar este site, está a concordar com o uso de cookies. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close